Palmas, 11/12/2017

Economia

Tocantins Agro

Marcelo Miranda apresenta o Tocantins Agro e discute parcerias com empresas japonesas

  • Com foco em refrigera√ß√£o industrial, processamento de prote√≠na animal e agricultura de precis√£o, empresas demonstram interesse no Tocantins

Pedro Barbosa

Marcelo Miranda apresenta o Tocantins Agro e discute parcerias com empresas japonesas



Ivonete Motta/Governo do Tocantins
 
Com uma agenda positiva de propostas de investimentos estrangeiros no Estado, a comitiva tocantinense no Jap√£o segue uma programa√ß√£o de reuni√Ķes com grupos empresariais. Recebido com honras de chefe de Estado, o governador Marcelo Miranda e sua comitiva se reuniram nesta quinta-feira, 21, na sede da Mayekawa, do grupo Mycom, em T√≥quio, com os dirigentes da empresa, quando eles reafirmaram a inten√ß√£o de instalar uma unidade de representa√ß√£o de seus produtos no Estado, e a partir da√≠ atender os mercados do Norte e Nordeste.
 
A empresa, líder mundial na área de refrigeração industrial, fez questão de hastear a bandeira do Brasil ao lado da bandeira de Tóquio, para reforçar os laços de cooperação entre os dois países, conforme explicou seu diretor-executivo Ichiji Ishizu. Ele foi o primeiro executivo da multinacional a viajar ao Brasil para apresentar a máquina desossadora automatizada de frango, uma tecnologia desenvolvida pela empresa, que modernizou e deu mais segurança ao processamento da carne, uma vez que a manipulação humana e mínima, evitando o risco de contaminação, por exemplo.
 
Ichiji Ishizu disse que o Japão importa cerca de 450 mil toneladas de frango por ano do Brasil, mas que em função dos hábitos de consumo, o país vai precisar de mais proteína brasileira. Ele disse que considera que o Tocantins pode ser um importante fornecedor desses produtos. A empresa já demonstrou interesse em se instalar no Tocantins, para participar da implantação do projeto Tocantins Agro, com o fornecimento de máquinas e equipamentos no processamento da proteína animal.

Tocantins Agro
 
O projeto Tocantins Agro tem como um de seus pilares o implemento da produ√ß√£o agr√≠cola do Estado e a oferta de seguran√ßa alimentar para o mercado interno e externo, conforme explicou o governador Marcelo Miranda. "O Brasil passa por um momento de transi√ß√£o, e sob a lideran√ßa do presidente Michel Temer estamos vendo a economia se recuperar, basta olhar os indicadores. O Tocantins tamb√©m passa por um novo momento, pois j√° estamos com nossa infraestrutura implantada e agora temos condi√ß√Ķes de nos colocarmos como um grande produtor de alimentos para o mundo. E foi isso que viemos buscar no Jap√£o, a parceria dos irm√£os japoneses, que sempre apoiaram nosso Estado e agora queremos que eles retornem em outra modalidade de investimento, a Parceria P√ļblico Privada", enfatizou o Governador.
 
Para transformar a produ√ß√£o de gr√£os em prote√≠na animal, o governo do Estado instituiu o projeto Tocantins Agro, que prev√™ a constru√ß√£o de sete barragens em rios do Sudoeste, que v√£o perenizar uma √°rea de v√°rzea tropical de 300 mil hectares. O governo do Estado vai investir US$ 165 milh√Ķes na constru√ß√£o da primeira dessas barragens, sendo US$ 99 milh√Ķes de recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento e US$ 66 milh√Ķes de recursos pr√≥prios para viabilizar uma √°rea de 26 mil hectares. O restante da √°rea, de 274 mil hectares, ser√° ofertado na forma de concess√£o ou Parceria P√ļblico Privada (PPP). O sistema vai possibilitar a colheita de at√© duas safras e meia/ano.
 
Em sua apresentação, Marcelo Miranda demonstrou que o risco do projeto é pequeno, uma vez que o Tocantins já é produtor de grãos, principal insumo da ração animal; o mercado de carnes existe e está em franca expansão e o projeto tem um forte viés de inclusão social, uma vez que a criação de aves e suínos (a proteína animal) exigirá a integração de pequenos produtores, organizados em cooperativas. A infraestrutura de transporte, com a utilização dos modais rodoviário e ferroviário vai levar o produto ao Porto do Itaqui e de lá para o mercado internacional.
 
O vice-presidente da Federa√ß√£o das Ind√ļstrias do Estado do Tocantins (Fieto) e presidente do Sindicato dos Frigor√≠ficos do Estado, Oswaldo Stival J√ļnior, observou que a produ√ß√£o no Brasil caminha no sentido Centro-Norte e que a presen√ßa da Mayekawa na regi√£o central vai possibilitar a distribui√ß√£o de seus produtos tanto no Norte quanto no Nordeste brasileiro.
 
O Tocantins possui 22 plantas frigor√≠ficas e o fortalecimento da cadeia produtiva de aves e su√≠nos cria tamb√©m novas oportunidades de neg√≥cios para a empresa, enfatizou Stival J√ļnior.
 
Parcerias
 
A produ√ß√£o do Tocantins Agro ser√° escoada via o Porto do Itaqui, que movimenta cerca de oito milh√Ķes de toneladas de gr√£os/ano, sendo boa parte do Tocantins. Segundo o presidente da Empresa Maranhense de Administra√ß√£o Portu√°ria, Ted Lago, o porto est√° sendo preparado para movimentar 20 milh√Ķes de toneladas/ano e tamb√©m cargas refrigeradas.
 
Ichiji Ishizu considera que o Tocantins Agro surge com a vis√£o de agregar valor √† produ√ß√£o prim√°ria, ao transformar a prote√≠na vegetal em animal, dentro de par√Ęmetros de sustentabilidade e seguran√ßa alimentar, e que a empresa tem condi√ß√Ķes de transferir tecnologia de ponta para ampliar a confian√ßa do mercado e adicionar valor ao neg√≥cio.
 
NEC
 
A convite, Miranda e sua comitiva se reuniram tamb√©m o vice-presidente executivo senior da matriz da NEC (Nippon Electric Company), Norihiko Ishiguro, que apresentou aos convidados uma plataforma de monitoramento de sistemas de agricultura de precis√£o, que est√° sendo testado em Portugal, mas tem no Brasil um mercado potencial para ser utilizada. O software re√ļne informa√ß√Ķes captadas em esta√ß√Ķes meteorol√≥gicas, sensor de solo, imagem de sat√©lite, imagem de drones, an√°lise de solos, dentre outros e analisa as condi√ß√Ķes de produ√ß√£o, alertando em tempo real para a necessidade de corre√ß√£o do solo, por exemplo, controle de irriga√ß√£o e pragas, dando maior efici√™ncia e produtividade na agricultura.
 
A comitiva tamb√©m visitou o centro de inova√ß√£o da NEC onde teve a oportunidade de conhecer um moderno sistema de seguran√ßa p√ļblica, que combina v√°rias tecnologias, como a utiliza√ß√£o de c√Ęmeras de v√≠deo, instaladas em pontos estrat√©gicos, e um sistema de reconhecimento facial que j√° √© aplicado em 14 aeroportos do Brasil.
 
Fundada há 168 anos, a gigante da área de Tecnologia da Informação e Comunicação possui 108 mil funcionários, está presente em 160 países, distribuída em 238 subsidiárias. A NEC Brasil foi fundada em 1968, possui 600 funcionários e foi uma das primeiras filiais fora do Japão. A empresa considera o Brasil um parceiro estratégico, tanto que enviou três executivos para participar do seminário sobre as potencialidades do Tocantins, realizado na Embaixada do Brasil em Tóquio, na terça-feira, 19. O governo do Tocantins convidou a empresa para participar da edição da Agrotins em 2018.
 
Agenda
 
Marcelo Miranda conclui sua agenda em T√≥quio nesta sexta-feira, 22, com visitas ao Minist√©rio da Agricultura, Floresta e Pesca e √† Toyota Tsusho, bra√ßo do Grupo Toyota que opera na √°rea agr√≠cola. O secret√°rio de estado do Desenvolvimento Econ√īmico, Ci√™ncia, Tecnologia, Turismo e Cultura, Alexandro Castro, continua em T√≥quio at√© a pr√≥xima segunda-feira, 25, para a primeira reuni√£o de trabalho com a Zen-Noh, central de cooperativas tamb√©m visitada pela comitiva.


Confira também


Coment√°rios

comments powered by Disqus