Palmas, 24/06/2017

Especial

Mandioca

Seminário apresenta tecnologias para alcançar alta produtividade no cultivo da mandioca

  • Ao falar do seminário, o Secretário Clemente Barros, apontou as principais inferências para o produtor aumentar a sua produtividade no campo

Manoel Junior

Seminário apresenta tecnologias para alcançar alta produtividade no cultivo da mandioca



Elmiro de Deus/Governo do Tocantins
 
O Seminário Estadual sobre a Cadeia Produtiva da Cultura da Mandioca realizado nesta segunda-feira, 6, no auditório da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), mostrou as tecnologias de pontas para alcançar alta produtividade no cultivo da mandioca, no Tocantins. No seminário estavam presentes, o secretário do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Clemente Barros, o presidente do Desenvolvimento Rural (Ruraltins), Pedro Dias, o presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Carlos Magno, acadêmico, produtores, representantes de comunidades e associações rurais, dentre outros.
 
Ao falar do seminário, o Secretário Clemente Barros, apontou as principais inferências para o produtor aumentar a sua produtividade no campo. "É de suma importância que estes produtores, principalmente da agricultura familiar busquem os conhecimentos aliados às novas tecnologias de produção, novas variedades para conseguir uma maior produtividade e, consequentemente, gerar renda no campo", reforçou.
 
O gerente de Assistência Técnica e Extensão Rural da Seagro, José Carlos Moraes, explicou a situação da produção da mandioca, no Brasil e Tocantins, enfocando a importância da mandiocultura e seus produtos derivados para o consumo humano, indústrias de processamentos, ração animal e o potencial envolvendo a cadeia produtiva que a mandioca oferece aos produtores. "É um cultivo rústico de fácil manejo, gera emprego no campo, mas é necessário que o produtor utilize das tecnologias disponíveis para alcançar novos padrões de produtividade da mandioca. Se atualmente produzimos uma média de 17 mil toneladas por hectares, com o uso das tecnologias poderemos alcançar 30 a 50 toneladas por hectares", ressaltou.
 
Incentivo
 
Atualmente, a Seagro, Ruraltins e Embrapa e parceiros desenvolvem as políticas de incentivos em 30 Unidades Demonstrativas de Mandioca (UD"s), instaladas em diferentes municípios do estado, com plantios de mandioca para gerar manivas de qualidade. As mudas, livres de vírus e doenças, são distribuídas para os produtores rurais. "A proposta é a de fortalecer o desenvolvimento da cadeia produtiva de mandioca no Tocantins", reforçou o gerente Carlos Moraes. 
 
Experiências
 
O produtor Pedro Paulo Xerente faz parte do projeto das Unidades de Assistência Técnica no município de Tocantínia, região Central do Estado. O projeto de Multiplicação de Sementes sadia da mandioca é desenvolvido pela Seagro, Embrapa, Ruraltins, entre outros parceiros. De acordo com Pedro Xerente, a intenção do projeto é expandir para as 68 aldeias no município. "A mandioca é um dos alimentos básicos em nossas aldeias, portanto este projeto irá contribuir muito para expandir essa produção, a intenção é multiplicar a sementes da mandioca (manivas) para as aldeias", disse.
 
Já o produtor Gil Eanes Maciel do assentamento Água Viva, município de Santa Maria, produz a mandioca de mesa na comunidade, mas a intenção é expandir a comercialização. Atualmente comercializa a mandioca in natura, embalada a vácuo e derivados (bolos). "Com os projetos de multiplicação de sementes sadia da mandioca pretendo melhorar minha produção e montar uma agroindústria na associação de agricultores", destacou. 


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus