Palmas, 26/07/2017

Especial

Trânsito

Soluções que minimizem mortes no trânsito são debatidas em Seminário

  • O evento aconteceu durante toda esta quinta-feira, 25, no anfiteatro do Centro Educacional São Francisco, em Palmas, e reuniu cerca de 200 pessoas

Thiago Sa

Soluções que minimizem mortes no trânsito são debatidas em Seminário



"Qualquer pessoa pode ser vítima de um acidente de trânsito". É com esse enfoque que o Governo do Tocantins, através da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (AGETO), em parceria com o Banco Mundial (BIRD), realizou o I Seminário de Segurança Viária do Tocantins.

O evento aconteceu durante toda esta quinta-feira, 25, no anfiteatro do Centro Educacional São Francisco, em Palmas, e reuniu cerca de 200 pessoas com o objetivo de debater soluções que possam ocasionar no aumento da segurança no trânsito e na redução de acidentes.
Temas como legislação brasileira, impacto dos acidentes no sistema de saúde, importância da sinalização, BR-Legal e impacto do uso do álcool e da direção no aumento dos índices foram debatidos durante o evento.

Segundo o assessor de segurança viária da Organização Mundial da Saúde (OMS), Victor Pavarino, ações governamentais integradas são capazes de fortalecer a segurança viária e minimizar os índices de mortes no trânsito. "O Brasil é um dos países em que a legislação vem se modernizando e já atende os critérios de segurança propostos pela OMS na maioria dos seus quesitos, o único item que buscamos evolução é o da velocidade, mesmo assim possui um dos sistemas mais violentos do mundo", explicou.

De acordo com o assessor, o Brasil ainda não prioriza a segurança viária em relação a fluidez do trânsito, por isso ainda não possui uma legislação que possibilite a implantação da velocidade máxima de 50 quilômetros por hora em ambientes urbanos como prevê a OMS. "A velocidade ainda é um dos itens que mais ocasionam mortes no Brasil e o Governo deve fazer intervenções de infraestrutura para diminuir esses dados", disse Pavarino.

O Capitão da PM e gerente de fiscalização do Detran, Geraldo Magela Júnior também destacou a evolução da legislação brasileira, mas ressaltou que o principal fator que ocasiona acidentes é o humano. "A legislação realmente tem se modernizado, mas a imprudência ainda é responsável pela maioria dos acidentes, para se ter uma ideia, no Tocantins, 85% das mortes no trânsito atingem jovens de 18 a 24 anos e acontecem nos finais de semana, geralmente o uso de bebida alcoólica e o volante é o principal motivo", frisou.

Para o agente de trânsito Celestino Pessoa, eventos como o seminário são capazes de fortalecer uma rede intergovernamental na intenção de fortalecer as ações. "Os entes têm que trabalhar integrados, com ações específicas e intervenções direcionadas, só assim conseguiremos atingir o nosso público, seja com os processos de educação ou de sansão", explicou.

O I Seminário de Segurança Viária fez parte da programação do Movimento Maio Amarelo, desenvolvido mundialmente com o apoio da Organização das Nações Unidas. O movimento faz parte das ações coordenadas desenvolvidas na "Década de Ação", que tem o objetivo de reduzir em 50% o número de mortes no trânsito até 2020.

Após a realização do seminário a Ageto coordenará a atuação integrada com outros órgãos para obtenção, análise e qualificação de dados com o objetivo de identificar pontos críticos e criar mecanismos que aumente a segurança viária no local.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus