Palmas, 24/07/2017

Esporte

Surfe

Filipe Toledo d√° show de surfe e √© o primeiro brasileiro a ser campe√£o na √Āfrica do Sul

  • Surfista do Time Oi, Gabriel Medina tamb√©m faz √≥timo campeonato chegando as semifinais do evento em Jefreys Bay

Filipe Toledo d√° show de surfe e √© o primeiro brasileiro a ser campe√£o na √Āfrica do Sul



Brasil, 20 de julho de 2017 ‚Äď Com uma performance de de alto n√≠vel desde a primeira bateria, o brasileiro Filipe Toledo, surfista do Time Oi, conquistou hoje o t√≠tulo da etapa da √Āfrica do Sul do Championship Tour. Foi o primeiro t√≠tulo de um surfista brasileiro em uma competi√ß√£o da elite do esporte nas tradicionais ondas de Jeffreys Bay. O melhor resultado nacional na etapa sul-africana na Liga Mundial de Surfe (WSL)  havia acontecido em 2000, quando Peterson Rosa foi vice-campe√£o. Esta tamb√©m √© a quarta vit√≥ria de Filipinho em etapas da WSL. Antes, ele j√° havia vencido em Gold Coast (AUS), no Rio de Janeiro (BRA) e em Peniche (POR).
 
Na campanha at√© o t√≠tulo, Filipinho deu show, com pontua√ß√Ķes altas desde a primeira fase. Paulista de Ubatuba, ele combinou variedades de manobras com alto grau de dificuldade, distribuindo floaters, laybacks e rasgadas durante todo o campeonato em um mar pesado. Conseguiu o primeiro 10 na repescagem e surfou para muitos a melhor onda do campeonato na quarta fase, quando deu dois a√©reos em sequ√™ncia e obteve outra nota m√°xima. Nesta quinta-feira, no dia decisivo, Filipinho despachou o sul-africano Jordy Smith (18,70 a 13,26) nas quartas de final, venceu o australiano Julian Wilson (16.63 a 11,33).
 
Para subir ao lugar mais alto do pódio, Filipinho precisou despachar na final o português Frederico Morais, que também vinha de boa campanha na competição, tendo derrubado Medina na fase anterior e John John Florence nas quartas. Na decisão, o brasileiro somou 18 pontos, com 9,17 e 8,83 como maiores notas. Morais fez 17,73, somando 9,40 e 8,33.
 
Com a vitória, Filipinho assumiu a sétima posição no ranking e, se fizer uma campanha consistente nas próximas etapas, pode chegar forte na disputa pelo título mundial. Já Gabriel Medina, também surfista do Time Oi, parou nas semifinais e ficou em terceiro lugar, subindo para a nona colocação do ranking WSL. Adriano de Souza, o Mineirinho, eliminado na terceira fase, caiu da terceira para a quinta. O australiano Matt Wilkinson segue líder do ranking.
 
Agora os surfistas entram na reta final da Liga Mundial, faltando cinco etapas para o final do campeonato. A s√©tima etapa acontece de 11 a 22 de agosto nos temidos tubos de Teahupoo, no Taiti.  Nos √ļltimos tr√™s anos, Gabriel Medina foi campe√£o, finalista e semifinalista do evento, respectivamente.
 
A Oi e o esporte
 
A companhia tem longo hist√≥rico de apoio ao esporte, com patroc√≠nios a grandes eventos, equipes e atletas de diferentes modalidades como basquete, surfe e skate. O incentivo da Oi a projetos esportivos √© estrat√©gico, pois reconhece a import√Ęncia do esporte como ferramenta de intera√ß√£o entre as pessoas e as cidades, seja atrav√©s da sua pr√°tica, ou por meio de manifesta√ß√Ķes culturais como o grafite e a m√ļsica. A empresa acredita que o esporte e o incentivo √† cultura urbana potencializam conex√Ķes e amplia repert√≥rios, aproximando pessoas de diferentes tribos, exercendo um importante papel no processo de desenvolvimento individual e social.
 
Este ano, a Oi patrocinou pelo terceiro ano consecutivo o Oi Rio Pro, a etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour (CT), o campeonato mundial de surfe. Al√©m disso, patrocina os surfistas brasileiros de destaque na WSL: Gabriel Medina, √ćtalo Ferreira, Filipe Toledo, Silvana Lima e Adriano de Souza, o Mineirinho, al√©m do surfista Davizinho, de 11 anos, atual campe√£o mundial de surfe adaptado. Recentemente, como parte do legado do patroc√≠nio aos Jogos Cariocas de Ver√£o de 2016, a Oi construiu pistas de skate em Manguinhos e S√£o Jo√£o da Barra e reformou o park de Campo Grande ‚Äď  aproveitando assim o grande potencial do esporte urbano para aproximar culturas e realidades, promovendo encontros e transformando espa√ßos p√ļblicos.
 
Resultado Oficial da etapa na √Āfrica do Sul 2017:
 
1 Filipe Toledo (BRA)
2 Frederico Morais (POR)
3 Gabriel Medina (BRA)
3 Julian Wilson (AUS)
5 Jordy Smith (AFR)
5 John John Florence (HAV)
5 Mick Fanning (AUS)
5 Matt Wilkinson (AUS)
 
Ranking da Liga Mundial de Surfe (WSL):
 
1 Matt Wilkinson (AUS) 31.950
2 John John Florence (HAV) 31.700
3 Jordy Smith (AFR) 31.350
4 Owen Wright (AUS) 30.150
5 Adriano de Souza (BRA) 27.900
6 Joel Parkinson (AUS) 24.400
7 Filipe Toledo (BRA) 23.950
8 Julian Wilson (AUS) 23.200
9 Gabriel Medina (BRA) 21.000
10 Connor O"Leary (AUS) 20.200
11 Mick Canning (AUS) 19.600
12 Frederico Morais (POR) 18.950
13 Michel Bourez (PLF) 18.450
14 Kolohe Andino (EUA) 16.500
15 Sebastian Zietz (HAV) 16.000
16 Caio Ibelli (BRA) 15.000
17 Conner Coffin (EUA) 13.500
18 Adrian Buchan (AUS) 13.000
19 Jeremy Flores (FRA) 12.750
20 Kelly Slater (EUA) 12.700
20 Bede Durbidge (AUS) 12.700
22 Italo Ferreira (BRA) 12.450
22 Joan Duru (FRA) 12.450
 
Próximas etapas da Liga Mundial de Surfe (WSL):
 
7ª etapa: 11 a 22 de agosto
Billabong Pro Tahiti
Teahupo¬īo, Tahiti
 
8ª etapa: 06 a 17 de setembro
Hurley Pro at Trestles
Lower Trestles, San Clemente, California
 
9ª etapa: 07 a 18 de outubro
Quiksilver Pro France
Landes, Nouvelle-Aquitaine, France
 
10ª etapa: 20 a 31 de outubro
MEO Rip Curl Pro Portugal
Peniche, Portugal
 
11ª etapa: 08 a 20 de dezembro
Billabong Pipe Masters
Banzai Pipeline, Oahu, Hawaii


Confira também


Coment√°rios

comments powered by Disqus