Palmas, 23/09/2017

Esporte

Reviver

Reviver tem final de semana movimentado com competição e atividade paradesportivas

  • Este último final de semana foi bastante agitado para o Instituto Reviver

Marcus Mesquita

Reviver tem final de semana movimentado com competição e atividade paradesportivas



Este último final de semana foi bastante agitado para o Instituto Reviver. Enquanto no sábado, 19, na pista de atletismo da Universidade Federal do Tocantins (UFT), houve a primeira edição do Circuito Paradesportivo do Tocantins, envolvendo paratletas de Palmas e Araguaína, no domingo, 20, foi realizado o Reviver Itinerante, uma atividade que possibilitou aos frequentadores do Parque Cesamar a imersão em algumas modalidades paralímpicas.
 
Estreante em competições, o paratleta do Reviver Paulo Henrique de Sousa disputou as provas de 800 metros, 200 metros e o revezamento 400 x 100 metros no Circuito, conquistando o primeiro lugar tanto nos 800 quanto no revezamento, o que o encheu de entusiasmo. "Foi tudo muito legal; eu gostei muito de competir e de ganhar o meu primeiro troféu. Eu estou disposto a mais; quero treinar muito para ficar melhor e sair vencedor em outras competições", afirmou o corredor.
 
A outra representante do Reviver na competição foi Lorena Noleto, que apesar de não ter ido ao pódio nas provas que disputou, se dizia muito alegre. "Foi muito bom competir com os colegas de outros lugares. É muito legal praticar esportes, correr e fazer amigos", ressaltou a paratleta do arremesso de peso, dos 100 metros e do revezamento 4 x 100 metros.
 
Reviver Itinerante

O Cesamar é um dos cenários mais belos de Palmas; e ainda mais bonito ficou com a grande ação de inclusão realizada pelo Instituto Reviver por meio do Reviver Itinerante, que levou ao público a possibilidade de imersão no basquete em cadeira de rodas, na bocha adaptada, no futebol para cegos, no badminton adaptado e em uma cadeira especial para provas de velocidade.
 
Todos que se colocavam no lugar dos paratletas saiam da experiência maravilhados. E se engana quem imagina que as atividades são fáceis, e quem garantiu que não é o judoca de alto-rendimento Carlos Eduardo Dantas Vale. "Mesmo sendo atleta, eu pude notar o quanto é bem difícil participar de uma modalidade desta, principalmente usando a cadeira; o jogo exige muita técnica. Pelo pouco tempo que pude praticar para conhecer eu já achei incrível o basquete em cadeira de rodas; por isto, eu imagino que quem seja um pouco triste por causa de uma deficiência, de nascença ou por acidente, deva procurar um esporte deste, que traz muita vida e alegria", sugeriu o atleta.
 
E mesmo para quem estuda vários tipos de esportes, descobrir o paradesporto de forma mais intimista foi algo revelador, conforme afirmou Eunice Rufo, aluna do 7º período do curso de Educação Física da Ulbra. "Foi o primeiro contato que tive com o paradesporto e eu já pude perceber que não é fácil. Eu confesso que subestimava um pouco a capacidade de algumas pessoas com deficiência, mas vendo os paratletas fazendo as demonstrações aqui, eu notei o quanto eles são habilidosos, o quanto eles superam as limitações que têm, vivendo o prazer dos esportes. Este trabalho do Reviver é incrível; eu não o conhecia, mas todos estão de parabéns pelo que estão realizando", exaltou a estudante, que se d isse encantada com a bocha adaptada.
 
Gratidão

Presidente do Instituto Reviver, Soraia Tomaz exalta a mobilização de tantas pessoas para que este final de semana paradesportivo pudesse ser realizado. "É fundamental termos gratidão. E eu sou grata ao vice-presidente do Reviver, Raphael Cota Couto, que foi o principal agente responsável pela realização do Circuito Paradesportivo; ele e o Alfredo Sosa Zamora, o primeiro-secretário de Esporte e Lazer do Reviver. Eu agradeço ao Centro de Ensino Médio Santa Rita de Cássia e às Apaes de Palmas e de Araguaína por terem trazido vários paratletas, enobrecendo esta competição. Por fim, agradeço, também, à Fundesportes, pela concessão do espaço no Cesamar, aos paratletas do Reviver que foram nos ajudar no Revive r Itinerante, aos acadêmicos de Educação Física da Ulbra e à equipe Marcão Triathlon Coach pela parceria e pelo suporte na realização das atividades. O paradesporto do Tocantins só tem a ganhar com tantos novos amigos abraçando as causas das pessoas com deficiência", enalteceu Soraia. [Ascom Total / Fotos: Marcus Mesquita]


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus