Palmas, 20/10/2017

Estado

Capim Dourado

Capim dourado rompe fronteiras e conquista público japônes

  • Localizada em um dos bairros mais descolados de Tóquio, o Aoyama, próximo à Embaixada do Brasil, encontra-se um ateliê de biojóias que oferece aos seus clientes peças do mais autêntico artesanato tocantinense, o capim dourado

Capim dourado rompe fronteiras e conquista público japônes



Ivonete Motta / Governo do Tocantins
 
Localizada em um dos bairros mais descolados de Tóquio, o Aoyama, próximo à Embaixada do Brasil, encontra-se um ateliê de biojóias que oferece aos seus clientes peças do mais autêntico artesanato tocantinense, o capim dourado. Trata-se da Coloridas Deco, que tem à sua frente a artesã Yasuko Yamamoto, que assim que soube da presença da delegação tocantinense em seminário na sede da Embaixada, foi ao encontro do grupo para conhecer as autoridades e falar sobre o seu trabalho de divulgação do Tocantins.

Yasuko conversou longamente com a primeira-dama e deputada federal Dulce Miranda, a quem contou que trabalhou por um longo período com o mercado de importação e exportação entre o Brasil e o Japão e empresa de turismo que operava entre os dois países, e que, quando saiu da atividade decidiu montar um negócio envolvendo artesanato brasileiro. O Coloridas oferece também peças como a renda Renascense, bordados de Minas e outros.

A artesã tem apreço especial pelo capim dourado, disse ela à Dulce Miranda, tanto que já participou duas vezes da festa da colheita do capim dourado. Ela disse que trabalha com artesãos de Mateiros e São Félix do Tocantins, a quem envia desenhos das peças e as recebe confeccionadas, já que a matéria-prima não pode sair em estado natural do Tocantins. Ela divulga suas peça em eventos como feiras de artesanato e produtos étnicos e galerias de arte.

Dulce Miranda contou a Yasuko que irá apresentar um projeto de lei na Câmara dos Deputados que torna o capim dourado patrimônio cultural do Tocantins e que possa garantir ao produto uma denominação de origem , além de valorizar ainda mais o trabalho das famílias e dos artesãos locais, a exemplo do que já acontece com outros produtos que possuem reconhecimento nesse nível.    

"O trabalho desenvolvido pela Yasuko, para além de ser um pequeno negócio, é o reconhecimento de uma tradição e valorização de pessoas simples como D. Miúda (matriarca de Mateiros), que é símbolo da transformação do capim dourado, que se tornou um produto de exportação do Tocantins e do Brasil", destacou Dulce Miranda.

A conversa entre a Deputada e a artesão foi acompanhada de perto pelo embaixador do Brasil em Tóquio, ministro André Corrêa do Lago, que segundo revelou, ele próprio um grande apreciador da arte em capim-dourado. Lago disse que possui várias peças em capim-dourado na residência oficial e foi agraciado pela primeira-dama e pelo governador Marcelo Miranda com novos itens. Para Lago, o capim-dourado, assim como o Jalapão, são marcas registradas do Tocantins. Ele apoiou a iniciativa da parlamentar de tornar o capim dourado patrimônio cultura do Estado. Os produtos brasileiros vendidos na Colorida podem ser acessados pelo endereço http://otimo.coloridas.jp/.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus