Palmas, 13/12/2017

Estado

Vacinação

Com 96,25%, Tocantins registra o maior índice vacinal contra brucelose de sua história

  • A vacinação de bezerras bovídeas (bovinas e bubalinas) contra brucelose, registrou no primeiro semestre deste ano, o maior índice da história no Tocantins

Simara Cavalcante

Com 96,25%, Tocantins registra o maior índice vacinal contra brucelose de sua história



Welcton de Oliveira / Governo do Tocantins, 28 de julho de 2017
 
A vacinação de bezerras bovídeas (bovinas e bubalinas) contra brucelose, registrou no primeiro semestre deste ano, o maior índice da história no Tocantins. Segundo dados divulgados na tarde desta sexta-feira, 28, pela Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), do total do rebanho tocantinense de bezerras entre três e oito meses de idade, foram vacinadas 96,25%. Sendo 492.267 bovinas e 312 bubalinas.

"Batemos um novo recorde de vacinação contra a brucelose, e isso prova que a doença está sendo controlada no Tocantins pelo esforço conjunto do governo do estado, por meio da Adapec e dos produtores rurais que entenderam a importância de erradicarmos esta zoonose", disse o presidente da Adapec, Humberto Camelo, acrescentando que o controle sanitário feito pelo órgão é fundamental para o controle de doenças e garantia de produtos cárneos e lácteos com qualidade.

De acordo com a Adapec, os números positivos também refletem o investimento feito pela Agência em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) em cursos de qualificação para auxiliares de vacinação contra a brucelose em várias regiões do Estado, aumentando assim, o número de auxiliares de vacinadores integrantes de equipes de médicos veterinários cadastrados no Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PECEBT) para atender a demanda dos produtores rurais.

De acordo com a responsável técnica pelo PECEBT, Carolina Silveira Ozorio Ribeiro, os produtores que deixaram de vacinar as bezerras com a vacina Cepa B19 serão autuados pela Adapec com multa no valor de R$ 5,32 por fêmea não vacinada e R$ 127,69 pela não declaração e, além disso, terão a ficha cadastral bloqueada até a apresentação da declaração de vacinação com a Cepa RB 51. 

A responsável técnica do programa explicou que, para executar a vacinação com a RB 51, o produtor rural deve se dirigir ao escritório da Agência onde faz a sua movimentação de rebanho e pegar uma autorização para a compra da vacina RB 51, para que o médico veterinário cadastrado no PECEBT possa emitir o receituário para aquisição da vacina. "Por ser uma vacina de microorganismos vivos, tanto a B19 quanto a RB51 só deverão ser aplicadas por médicos veterinários e seus auxiliares cadastrados na Adapec", advertiu Carolina.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus