Palmas, 20/10/2017

Estado

Japão

Governador apresenta balanço e fala sobre resultados obtidos com a visita ao Japão

  • Durante os dias em que ficaram no país asiático, os representantes tocantinenses apresentaram aos japoneses o potencial produtivo do Estado

Pedro Barbosa

Governador apresenta balanço e fala sobre resultados obtidos com a visita ao Japão



Ivonete Motta/Governo do Tocantins

O governador Marcelo Miranda e sua comitiva finalizaram na sexta-feira, 22, em Tóquio, a agenda de reuniões e trabalhos estabelecida para ser cumprida no Japão. Durante os dias em que ficaram no país asiático, os representantes tocantinenses apresentaram aos japoneses o potencial produtivo do Estado.

O primeiro compromisso ocorreu na embaixada brasileira no Japão, onde o governador Marcelo Miranda apresentou o potencial produtivo do Estado e o processo histórico da parceria e investimentos do Japão no Tocantins. Marcelo Miranda e equipe destacaram a força tocantinense para a agricultura e também a necessidade de se buscar investimentos na indústria, fortalecendo a economia do Estado.

"A história do Tocantins se confunde com a dos nossos irmãos japoneses. Desde o início da criação do Estado, nós tivemos as melhores parcerias com os japoneses. Eu posso citar a Jica [Agência de Cooperação Internacional do Japão], a Toyota, enfim, várias instituições japonesas que nos deram condições para que o Estado do Tocantins pudesse se desenvolver", afirmou, na ocasião, o governador.

Dentre os objetivos da missão tocantinense em solo nipônico estão o incentivo à chegada de indústrias para os polos tocantinenses. De acordo com o governador Marcelo Miranda, o Estado carece de investimentos que visem impulsionar a geração de renda, surgimento de novos postos de trabalho e o fortalecimento da economia do Estado por meio de investimentos do capital estrangeiro. Marcelo Miranda ressaltou que o Estado possui incentivos fiscais em contrapartida à chegada de investidores internacionais. "Temos vários incentivos fiscais e queremos sentar com as empresas e ver o que eles precisam, para saber se podemos contemplá-los. Sempre digo para quem nos visita: venham, conheçam nossa estrutura, conheçam nosso Estado de maneira muito clara, porque não temos apenas a região central. Nós temos várias regiões propícias para receber as empresas", afirmou.

Outro destaque que o governador Marcelo Miranda enalteceu aos japoneses foi a boa localização geográfica do Tocantins aliada aos investimentos em infraestrutura ferroviária, fluvial e de aviação, que podem viabilizar o escoamento da produção tocantinense para o mercado asiático. "Agora, o Tocantins chega a um momento onde estamos procurando atrair novos investimentos e investidores, para que possamos, com a infraestrutura que temos com a Ferrovia Norte-Sul, as rodovias e no futuro a hidrovia, ter condições para que as empresas que vão se instalar possam escoar a produção. Queremos fortalecer nossa agroindústria, para exportar aos grandes centros mundiais", enfatizou.

Filial da multinacional japonesa Mayekawa

Uma das boas notícias que a viagem da comitiva tocantinense traz é que uma das líderes mundiais de tecnologia em refrigeração industrial, a multinacional Mayekawa, do grupo Mykon, com sede em Tóquio, deverá ter uma filial no Tocantins dentro de dois ou três anos. O investimento visa, sobretudo, o mercado dos estados do Centro-Norte. Os entendimentos nesse sentido já estão bastante adiantados e o interesse foi confirmado pelo presidente mundial da empresa, Shin Maekawa.

O empresário reafirmou o interesse do grupo de se instalar no Tocantins e também apoiar o esforço do governo estadual em promover a industrialização do Estado. Ele deverá se reunir com o governador em Palmas, em sua próxima viagem ao Brasil.

Com sede em Arujá (SP) e 14 filiais espalhadas pelo Brasil, a Mayekawa atua há 50 anos no mercado brasileiro de compressores industriais, atendendo sobretudo a indústria de alimentos.

Tocantins Agro

Para transformar a produção de grãos em proteína animal, o Governo do Estado instituiu o projeto Tocantins Agro, que prevê a construção de sete barragens em rios do sudoeste, que vão perenizar uma área de várzea tropical de 300 mil hectares. O Governo do Estado vai investir US$ 165 milhões na construção da primeira dessas barragens, sendo US$ 99 milhões de recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento e US$ 66 milhões de recursos próprios para viabilizar uma área de 26 mil hectares. O restante da área, de 274 mil hectares, será ofertado na forma de concessão ou Parceria Público Privada (PPP). O sistema vai possibilitar a colheita de até duas safras e meia/ano.

Durante a apresentação do Tocantins Agro para empresário japoneses, em Tóquio, Marcelo Miranda demonstrou que o risco do projeto é pequeno, uma vez que o Tocantins já é produtor de grãos, principal insumo da ração animal; o mercado de carnes existe e está em franca expansão e o projeto tem um forte viés de inclusão social, uma vez que a criação de aves e suínos (a proteína animal) exigirá a integração de pequenos produtores, organizados em cooperativas. A infraestrutura de transporte, com a utilização dos modais rodoviário e ferroviário, vai levar o produto ao Porto do Itaqui e, de lá, para o mercado internacional.

NEC

A convite, Marcelo Miranda e sua comitiva se reuniram também com o vice-presidente executivo sênior da matriz da NEC (Nippon Electric Company), Norihiko Ishiguro, que apresentou aos convidados uma plataforma de monitoramento de sistemas de agricultura de precisão, que está sendo testado em Portugal, mas tem no Brasil um mercado potencial para ser utilizado. O software reúne informações captadas em estações meteorológicas, sensor de solo, imagem de satélite, imagem de drones, análise de solos, dentre outros e analisa as condições de produção, alertando em tempo real para a necessidade de correção do solo, por exemplo, controle de irrigação e pragas, dando maior eficiência e produtividade na agricultura.

A comitiva também visitou o centro de inovação da NEC, onde teve a oportunidade de conhecer um moderno sistema de segurança pública, que combina várias tecnologias, como a utilização de câmeras de vídeo, instaladas em pontos estratégicos, e um sistema de reconhecimento facial que já é aplicado em 14 aeroportos do Brasil.

Fundada há 168 anos, a gigante da área de Tecnologia da Informação e Comunicação possui 108 mil funcionários, está presente em 160 países, sendo distribuída em 238 subsidiárias. A NEC Brasil foi fundada em 1968, possui 600 funcionários e foi uma das primeiras filiais fora do Japão. A empresa considera o Brasil um parceiro estratégico, tanto que enviou três executivos para participar do seminário sobre as potencialidades do Tocantins, realizado na Embaixada do Brasil em Tóquio, na terça-feira, 19. O Governo do Tocantins convidou a empresa para participar da edição da Agrotins em 2018.

Conclusão dos trabalhos

O governador Marcelo Miranda concluiu sua agenda em Tóquio na sexta-feira, 22, com visitas ao Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca e à Toyota Tsusho, braço do Grupo Toyota que opera na área agrícola.

No Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca, Marcelo Miranda solicitou ao órgão governamental, a realização por meio de cooperação técnica, de um estudo de avaliação da logística de grãos na região Norte, visando identificar gargalos que necessitem de correção e identificar outras opções logísticas que possam dar maior competitividade aos investidores. O ministério assumiu o compromisso de analisar com maior interesse o pleito apresentado pelo governador.

A última atividade de Marcelo Miranda e sua comitiva foi na Toyota Tsusho Corporation, Grupo Toyota, empresa que já opera no Tocantins no mercado de grãos, por meio da Nova Agri, adquirida há cerca de três anos e conta com três armazéns e um terminal em Palmeirante. O Governador foi recebido por Yoshicoko Miura, executivo responsável pela divisão de alimentos e consumo da companhia. O governador solicitou que a Toyota Tsusho amplie a oferta de armazéns no Tocantins, área em que o Estado tem deficiência e a convidou para investir na produção de ovos orgânicos no Tocantins, uma vez que a empresa pretende investir nesse negócio e estuda onde se instalar.

Comitiva

Integraram a comitiva do governador Marcelo Miranda a Tóquio, o senador Vicentinho Alves; a deputada federal Dulce Miranda; o chefe do Escritório de Representação em Brasília, Renato de Assunção; o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, Alexandre de Castro; o secretário de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária, Clemente Barros; a subsecretária de Estado da Comunicação Social, Ivonete Motta; além do ajudante de Ordens do Gabinete do Governador, Humberto Parrião; e do fotógrafo do Gabinete, Pedro Barbosa.

Viajaram como convidados, sem ônus para o Estado, o vice-presidente da Federação das Indústrias do Tocantins (Fieto), Oswaldo Stival Jr e o assessor José Roberto Fernandes; o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Eduardo de Carvalho; além dos representantes da Nippon Koei Lac, Massayuki Honjo e Roberto Kurokawa.

Para o senador Vicentinho Alves a viagem foi muito positiva e as visitas importantes para fortalecer as relações entre o Tocantins e o Japão. Já a primeira-dama e deputada federal, Dulce Miranda, lembrou da longa e sólida relação do Estado com o país asiático e destacou que o Tocantins está de portas abertas para continuar fortalecendo esses laços.

O presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, destacou que o Tocantins e o Maranhão estão alinhados numa estratégia de oferecer melhores condições para a expansão da produção de grãos na região. Para o vice-presidente da Federação das Indústrias do Tocantins (Fieto), Oswaldo Stival Jr, a sensação é de dever cumprido, uma vez que o Governo do Estado obteve sucesso na sua intenção de apresentar as potencialidades do Tocantins para os empresários e investidores japoneses.

O Governador Marcelo Miranda disse que finaliza sua agenda satisfeito com os resultados obtidos e com o empenho de toda comitiva que o acompanhou. "Estou feliz com os resultados que conseguimos aqui no Japão e com a recepção que eles tiveram com a nossa comitiva. As instituições demonstraram interesse em discutir os projetos que apresentamos e em dar continuidade neste diálogo. O Japão tem uma demanda muito grande na parte de grãos e o Tocantins nasce como um celeiro preparado para ser um dos estados que tem condições de suprir essa demanda", concluiu. (Colaborou: Jesuino Santana Jr/Governo do Tocantins)


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus