Palmas, 24/11/2017

Estado

Interior

Governador e ministro do Desenvolvimento Social visitam Aldeia Brejo Comprido em Tocantínia

  • Na aldeia, a comitiva visitou resid√™ncias ind√≠genas e acompanhou atividades l√ļdicas desenvolvidas por t√©cnicos do programa com as crian√ßas. Tamb√©m foram realizadas apresenta√ß√Ķes da cultura ind√≠gena local.

Frederick Borges

Governador e ministro do Desenvolvimento Social visitam Aldeia Brejo Comprido em Tocantínia



O governador Marcelo Miranda, acompanhado da primeira-dama e deputada federal Dulce Miranda, recebeu na manhã desta segunda-feira, 16, o ministro do Desenvolvimento Social (MDS), Osmar Terra, em Palmas. A vinda do ministro ao Estado fez parte de uma visita domiciliar à Aldeia Brejo Comprido, no município de Tocantínia, que integra o Programa Criança Feliz.

O objetivo foi observar a aplicabilidade do programa, al√©m de conhecer a realidade local com um prop√≥sito maior: tra√ßar e promover a√ß√Ķes que auxiliem no desenvolvimento das crian√ßas da gesta√ß√£o aos seis anos de idade. A vice-governadora Claudia Lelis e uma comitiva chinesa tamb√©m acompanharam o ministro durante a visita.

Na aldeia, a comitiva visitou resid√™ncias ind√≠genas e acompanhou atividades l√ļdicas desenvolvidas por t√©cnicos do programa com as crian√ßas. Tamb√©m foram realizadas apresenta√ß√Ķes da cultura ind√≠gena local.

O governador ressaltou que a visita do ministro abre a possibilidade de novos projetos dessa natureza. "√Č um programa abrangente, que envolve n√£o s√≥ as crian√ßas, mas tamb√©m as fam√≠lias", disse, destacando a visita dos representantes do governo chin√™s como exemplo do alcance social da iniciativa.

O ministro Osmar Terra ressaltou que o governador Marcelo Miranda faz uma administra√ß√£o para marcar √©poca. "O Tocantins √© pioneiro no desenvolvimento desse programa, que foca a primeira inf√Ęncia, porque toda a intelig√™ncia do ser humano se desenvolve at√© os primeiros dois anos de vida. Uma crian√ßa bem estimulada vai ter mais facilidade ao chegar √† escola e, automaticamente, um maior desenvolvimento intelectual", explicou.

A t√©cnica do Programa em Tocant√≠nia, Elisabete Silva Xerente, disse que o  trabalho consiste em ouvir primeiramente as m√£es, que s√£o orientadas em como estimular os filhos. "Esse trabalho l√ļdico √© fundamental para o desenvolvimento dessas crian√ßas e vem sendo bem aceito nas aldeias. √Č um programa muito bom, que pode mudar a realidade do nosso povo".

"N√£o podemos deixar de reconhecer tudo o que o governador Marcelo Miranda tem feito pelos povos ind√≠genas, principalmente para n√≥s da na√ß√£o Xerente", disse Ercivaldo  Xerente, lideran√ßa e diretor de Escola. Ele justificou seu agradecimento citando a aten√ß√£o que a aldeia tem recebido nos setores da Educa√ß√£o e Social, bem como pelas oportunidades de acesso ao ensino superior.  "Passei a admirar e, hoje, sou seu f√£", disse ele referindo-se ao governador. Ercivaldo completou seu pensamento, externando: "geralmente somos vistos como marginais, pregui√ßosos, mas na verdade nosso mundo, nossa cultura √© diferente. Queremos crescer, queremos uma vida melhor. Esse programa √© uma oportunidade. Por isso, agrade√ßo tamb√©m o ministro aqui presente".

O coordenador regional da Funda√ß√£o Nacional de Sa√ļde (Funasa), Eduardo Batalha Macedo, tamb√©m destacou a import√Ęncia da iniciativa. "Um brilhante programa que vai impactar diretamente todas as fam√≠lias dessas aldeias beneficiadas. Entendemos que esse est√≠mulo que as crian√ßas est√£o recebendo ser√° fundamental para o futuro dos ind√≠genas".


O Programa

O Programa Crian√ßa Feliz tem como foco o desenvolvimento integral das crian√ßas brasileiras, principalmente aquelas que se encontram em situa√ß√£o de vulnerabilidade social, al√©m de oferecer apoio abrangente para toda fam√≠lia, desde a gesta√ß√£o. O principal objetivo √© assegurar as condi√ß√Ķes para que elas desenvolvam seu pleno potencial. Para isso, h√° uma estrat√©gia de visita√ß√£o domiciliar que visa atender fam√≠lias com crian√ßas at√© 3 anos de idade. No caso de crian√ßas em situa√ß√£o de extrema pobreza ou necessidades especiais, o apoio se estende at√© os 6 anos de idade.

A visita domiciliar ocupa o eixo principal do Crian√ßa Feliz. Por meio dela, as equipes conhecem a realidade do p√ļblico e oferecem apoio e orienta√ß√Ķes que os auxiliem no desenvolvimento das crian√ßas da gesta√ß√£o aos seis anos. A inten√ß√£o √© fazer com que as crian√ßas cheguem √† escola com melhores condi√ß√Ķes de aprendizado e tenham mais chances de vencer a pobreza. Como a crian√ßa tem o dobro de conex√Ķes cerebrais que um adulto, √© nesse momento que os principais v√≠nculos afetivos s√£o estabelecidos.


Comitiva chinesa

A comitiva do governo chin√™s √© formada pelo vice-presidente da Funda√ß√£o de Desenvolvimento da Pesquisa da China, Luanda Maia; pelo Gerente de Opera√ß√Ķes, Gab Guoqing; e os diretores do Centro de Desenvolvimento Infantil, Mary Yong,  Cao Yang,  Wu Zhiping, Liang Bojiao e Shi Lijia.


Pioneira

A aldeia Porteira, no município de Tocantínia, foi a primeira comunidade indígena no País a receber as visitas domiciliares previstas pelo programa. Lá, a escolha da equipe de trabalho buscou levar em conta o conhecimento e a proximidade dos entrevistadores com a cultura Xerente.

A escolha da equipe é uma responsabilidade do município e o Governo do Estado capacita esses trabalhadores. As equipes receberam uma capacitação de 40 horas e tiveram aulas práticas.

O Tocantins aderiu ao programa em 2016. Em todo o Estado, 43 munic√≠pios j√° participam e, segundo o Minist√©rio do Desenvolvimento Social (MDS), outros 37 munic√≠pios est√£o aptos a solicitar ades√£o. A expectativa √© atender, no Tocantins, at√© 2018, 4.500 crian√ßas.


Confira também


Coment√°rios

comments powered by Disqus