Palmas, 25/09/2017

Justica

Sindifato

Após sindicato patronal faltar, Sindifato convocou farmacêuticos para nova audiência no Ministério do Trabalho em Palmas

  • Solicitada pelo sindicato dos trabalhadores, audiência de mediação no MTE foi feita para formalização da convenção coletiva dos farmacêuticos do Tocantins

Após sindicato patronal faltar, Sindifato convocou farmacêuticos para nova audiência no Ministério do Trabalho em Palmas



Está marcada para a manhã desta segunda-feira, 28, no Ministério do Trabalho e Emprego de Palmas nova audiência de mediação para formalização da convenção coletiva dos farmacêuticos do Tocantins. 
 
Essa foi a segunda tentativa de acordo entre os farmacêuticos e os hospitais e laboratórios. Isso porque na reunião marcada no último dia 18 o Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Tocantins (Sindessto) não compareceu. 
 
"Infelizmente, a categoria ficou frustrada no último dia 18 com a ausência dos representantes da classe patronal. Desta vez, esperamos que a audiência marcada pelo ministério seja respeitada, bem como a categoria num todo", afirmou o presidente do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins (Sindifato), Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.
 
A audiência foi possível graças a solicitação do Sindifato. "O apoio e a presença dos farmacêuticos são fundamentais para a categoria, em especial aos que trabalham no setor hospitalar e laboratorial. É primordial para comprovarmos a força de nossa categoria na luta, que é de todos, para não perdermos direitos", conclamou o presidente do sindicato da categoria.
 
REIVINDICAÇÃO DOS FARMACÊUTICOS
 
O Sindifato reivindica reajuste de 9,1% aos farmacêuticos e farmacêuticos bioquímicos, índice que levaria o piso salarial para R$ 3.560,00. A proposta de ticket alimentação é de R$ 16,38 aos trabalhadores que têm jornada especial de 12×36 ou seis horas diárias, com intervalo de uma hora para refeição. Já, quem está submetido a jornada de seis horas diárias fica assegurado: Limite de 30 horas semanal; mínimo de uma hora e no máximo de duas horas diárias de intervalo para alimentação [almoço ou jantar] ou descanso; e quinze minutos de intervalo diários para lanche.
 
Já a contraproposta do Sindessto prevê reajuste de 7% de aumento de 13 para 15 plantões. "Os farmacêuticos não aceitaram e solicitamos a mediação do Ministério do Trabalho", declarou o presidente do Sindifato.
 
Serviço - A reunião foi às 8h30, na sede do Ministério do Trabalho e Emprego de Palmas, na quadra 302 Norte, avenida NS 2 – ao lado do Fórum Trabalhista.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus