Palmas, 23/08/2017

Justica

Biometria

Biometria: Indígenas tem atendimento prioritário em Tocantinópolis

  • "Nossa expectativa é atender cerca de 150 eleitores indígenas nesses dois dias, pois sabemos que uma parte deles não se cadastraram porque residem em localidades de difícil acesso" explicou o chefe de Cartório, Elias Mesquita

Lucas Nascimento

Biometria: Indígenas tem atendimento prioritário em Tocantinópolis



Os indígenas de Tocantinópolis têm atendimento prioritário nesta sexta-feira e sábado (21 e 22/4) na sede do Cartório Eleitoral para a revisão eleitoral e o cadastramento biométrico.
 
Mais de 300 indígenas da etnia Apinajé ainda não se cadastraram, por isso a Justiça Eleitoral do Tocantins, com o apoio da Funai, Ibama e prefeitura estão disponibilizando transporte das Aldeias até o Cartório para que os indígenas possam realizar a Biometria.
 
"Nossa expectativa é atender cerca de 150 eleitores indígenas nesses dois dias, pois sabemos que uma parte deles não se cadastraram porque residem em localidades de difícil acesso" explicou o chefe de Cartório, Elias Mesquita.
 
Para mobilizar os eleitores indígenas que ficaram de fora desse atendimento prioritário serão afixados cartazes nos principais lugares que eles frequentam quando vem ao centro da cidade, como comércio e bancos.
 
"A Justiça Eleitoral tem a missão de garantir  a cidadania para todos, por isso não estamos medindo esforços para mobilizar os indígenas da Região, levando informações sobre a importância do voto biométrico", ressaltou o juiz eleitoral, Helder Carvalho.
 
O cacique da Aldeia Prata, Joel Dias, conta que acha importante os indígenas estarem inseridos na sociedade e possuir todos os documentos obrigatórios, como o título de eleitor. "Tenho orientado outros indígenas principalmente os mais jovens sobre a importância do voto, pois nós também devemos escolher os nossos representantes e alguém que defenda nossas causas", disse.
 
A jovem indígena da Aldeia São José, Letícia Dias, de 18 anos, votou pela primeira vez nas eleições do ano passado, e agora compareceu ao Cartório para o cadastramento biométrico. "Acho importante exercer minha cidadania e escolher meus candidatos, além disso, preciso estar com o título de eleitor regular, pois pretendo me matricular em uma universidade", revelou.
 
A Zona Eleitoral de Tocantinópolis possui mais de 800 eleitores indígenas, o cadastramento biométrico teve início no dia 1° de fevereiro e segue até o dia 26 de maio.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus