Palmas, 24/09/2017

Opini√£o

Tecnologia

Internet das Coisas promete transformar o marketing digital

  • Por Daniel Galv√£o*


O pr√≥ximo grande game changer do mercado √© sem d√ļvida a Internet das Coisas (IoT). H√° uma verdadeira revolu√ß√£o por traz dessa tecnologia, e seu impacto ser√° sentido em todos os aspectos da intera√ß√£o humano X m√°quina, e at√© mesmo humano X humano. As possibilidades s√£o imensas, e o marketing digital n√£o ficaria de fora.

Para os leigos no assunto, a IoT interliga diversos aparelhos eletr√īnicos atrav√©s de tecnologia sem fio e uma linguagem √ļnica de decodifica√ß√£o dos dados multiplataforma. Ela basicamente coleta informa√ß√Ķes sobre uso de v√°rios dispositivos, compartilha essas informa√ß√Ķes entre os aparelhos, e fornece um big data capaz de ser usado para solucionar problemas, fornecer maior conforto e seguran√ßa, al√©m de ampliar a intera√ß√£o humana.

Na pr√°tica √© poss√≠vel controlar diversos aspectos e ambientes do cotidiano se utilizando de informa√ß√Ķes compartilhadas. J√° emulamos isso em v√°rias ocasi√Ķes, por√©m n√£o de forma t√£o autom√°tica e inteligente. No marketing digital, que √© o nosso foco aqui, temos diversas aplica√ß√Ķes interessantes.

Cerca de 27% das empresas j√° utilizam feedbacks de dados obtidos com IoT em campanhas de marketing digital, e com isso conseguem alcan√ßar seus objetivos e gerar ROI significante. O uso desses dados coletados atrav√©s de diversos dispositivos, permitem que um perfil inteligente possa ser criado a partir das informa√ß√Ķes sobre cada indiv√≠duo.

Com caracter√≠sticas mais pr√≥ximas da realidade, atualizadas em tempo real, √© poss√≠vel descrever um perfil de usu√°rio como sendo uma vers√£o fiel de sua persona como consumidor. As a√ß√Ķes de marketing criadas para ele, e somente para ele, ser√£o as mais assertivas poss√≠veis. O consumidor j√° n√£o ser√° impactado pelo que √© direcionado √† massa, mas sim √†quilo que reflete suas necessidades e desejos reais.

O melhor √© que essas informa√ß√Ķes s√£o fornecidas de forma natural por parte do consumidor. S√£o seus dados compartilhados de redes sociais, seu mecanismo de consumo cotidiano, nada que √© um real segredo, mas que apenas √© informa√ß√£o dispon√≠vel e dispersa, hoje. Com o IoT tudo pose ser organizado de forma produtiva para empresas e consumidores.

A criação de uma campanha ou ação de marketing específica já é possível através de diversas ferramentas, mas não de forma tão completa, ágil e atualizada como através do que está vindo com a IoT. Vou citar exemplo interessante para que fique claro o alcance dessa tecnologia.
Supunha que voc√™, leitor, possui uma oficina mec√Ęnica. Voc√™ quer ofertar um desconto para reparos, e tendo uma base de clientes, hoje pode enviar a eles um cupom por e-mail, por exemplo. O cupom chegar√° √† sua lista de clientes e pode at√© falar √† alguns deles que precisem do servi√ßo, mas √© um tiro no escuro. 90% talvez s√≥ ignore, n√£o se interesse por n√£o precisar disso agora, ou porque sua mensagem foi ignorada como SPAM. 5% talvez precise do servi√ßo e venha at√© voc√™. Os outros 5% talvez reclamem de receber SPAM, se descadastrem de sua lista de contatos.

Talvez alguns deles critiquem o excesso de propaganda nas redes sociais. Agora se utilizando de uma estratégia que utiliza dados de IoT, a situação seria completamente diferente.

Uma pessoa anda em seu carro na estrada e recebe um alerta de defeito em uma das luzes do painel. Ela n√£o sabe qual o problema e n√£o conhece as redondezas. Nesse momento o pr√≥prio sistema do carro diagnostica o defeito. Ele envia esses dados para um dos sensores de IoT. Ele cruza os dados que sua empresa possui como oficina mec√Ęnica.

No celular do motorista ele recebe uma peça de marketing falando justamente sobre avaliação e reparo de carros, indicando sua oficina como a mais próxima, oferecendo a ele algum desconto, e até indicando serviços auxiliares em caso de, por exemplo, ele precisar passar a noite a espera do carro.

O cliente recebeu: solução específica para ele, não se chateou com propaganda inoportuna, ganhou desconto, teve serviços auxiliares apresentados a ele, e sua oficina atendeu um cliente assertivo, manteve uma base de clientes fiel, impactou quem realmente precisava dela, e nesse caso, o retorno pela ação promocional foi de 100%, já que ela falou apenas com as pessoas que realmente precisavam de reparos em seus automóveis.

Outro aspecto é que se for um problema de fábrica, os dados também podem ser enviados à montadora, ajudando essa a prevenir a fabricação defeituosa de novos veículos, e até a ajudar a organização uma ação compensativa para os proprietários, assim como um recall.
Pode parecer simples, mas faz toda a diferença. Pode parecer ficção científica, mas já é feito. Claro que ainda estamos longe de um cenário perfeito, mas muito já fazemos. O marketing digital é construído em cima desse tipo de tecnologia que oferta, acima de tudo, a certeza da oferta a quem realmente procura.


*Daniel Galvão é especialista em marketing digital e Diretor da CRP Mango.


Coment√°rios

comments powered by Disqus