Palmas, 20/11/2017

Opinião

Trabalho

O mundo do trabalho

  • Por Luiz Gonzaga Bertelli*
O mundo do trabalho


Desde os primórdios, o trabalho acompanha a história da humanidade. As primeiras atividades agrícolas surgiram ainda na pré-história. No Egito Antigo, predominava no mundo laboral a servidão coletiva. Já na época de Aristóteles, na Grécia Antiga, a base era escravidão. Na Alta Idade Média, caracterizada pelo feudalismo, existia um regime restrito de servidão, entre os senhores feudais e seus vassalos. Foi só na revolução industrial, a partir do século 17, na Europa, que surgiu o conceito de emprego, uma relação em que se vende força de trabalho por remuneração. É por meio do trabalho que são desenvolvidas habilidades técnicas, a relação entre as pessoas e a busca por objetivos econômicos e sociais. Seja no campo ou nas cidades, no comércio, nas indústrias, no serviço público ou entidades do Terceiro Setor, o trabalho é o caminho mais certeiro para uma vida melhor.
 
Atualmente vivemos um momento de incertezas com a crise econômica que afeta parte importante da população economicamente ativa do país – o desemprego continua a crescer, apesar de pequenos sinais de que a retração está diminuindo. É sabido também que os jovens na faixa etária de 16 a 24 anos, são os mais afetados pela crise.
A atual geração, que tem dificuldades para se inserir no mercado de trabalho, padece nos subempregos. Crianças são jogadas ao mercado de trabalho para ajudar os pais nas contas domésticas, muitas vezes em situações insalubres e afastando-se dos bancos escolares.
 
O CIEE, com a experiência de 53 anos inserindo jovens no mercado de trabalho, entende que o estágio e a aprendizagem são modalidades importantes que, além de capacitar os jovens, facilitam sobremaneira a sua entrada no mundo laboral. No estágio, os estudantes aliam os conhecimentos teóricos com a prática da profissão, interagindo com profissionais mais experientes. Na aprendizagem, a prática e a teoria andam juntas na formação profissional de jovens entre 14 e 24 anos. Bem formados e capacitados, essa parcela da juventude sai à frente na competição por uma vaga no mercado de trabalho, fortalecendo-se em busca do sucesso profissional. 
 
*Luiz Gonzaga Bertelli é presidente do Conselho de Administração do CIEE, do Conselho Diretor do CIEE Nacional e da Academia Paulista de História (APH)
 
Sobre o CIEE

Desde sua fundação, há 53 anos, o CIEE já encaminhou 16 milhões de estudantes para estágio e aprendizagem em milhares de empresas e órgãos públicos parceiros. Para se ter ideia, o contingente de estagiários é maior do que a população da cidade de São Paulo. A marca confirma o crescente reconhecimento da eficácia do estágio e da aprendizagem em duas importantes frentes: como capacitação prática dos jovens para o mercado de trabalho e como fonte de recrutamento de novos talentos. O CIEE também desenvolve uma série de ações de assistência social, com total gratuidade aos beneficiados e destinadas, em especial, a segmentos em situação de vulnerabilidade social como: Programa de Educação à Distância, Inclusão de Pessoas com Deficiência, Alfabetização para Adultos, Desenvolvimento Estudantil e Profissional, Programa de Orientação e Informação Profissional, Orientação Jurídica Gratuita à População Carente (Projur), Cursos Gratuitos de Informática, além de Ciclos de Palestras, Concursos Literários – que estimulam a escrita e a leitura -, Feira do Estudante - Expo CIEE, entre outros.


Comentários

comments powered by Disqus