Palmas, 26/07/2017

Política

Estado

Em pronunciamento na Câmara Federal, Irajá Abreu cobra responsabilidade e transparência do Governo do Tocantins

  • De acordo com o parlamentar, os empréstimos e financiamentos realizados ao longo dos 28 anos do Tocantins foram fundamentais para o desenvolvimento do Estado

Em pronunciamento na Câmara Federal, Irajá Abreu cobra responsabilidade e transparência do Governo do Tocantins



O deputado Irajá Abreu (PSD-TO), usou a tribuna da Câmara Federal na tarde desta quarta-feira, 28, para solicitar do Governo do Estado do Tocantins esclarecimentos quanto as contrapartidas do Estado relativo aos empréstimos pleiteados pelo Governo junto à Caixa Econômica Federal e ao Banco do Brasil, que somam R$ 600 milhões de reais.

De acordo com o parlamentar, os empréstimos e financiamentos realizados ao longo dos 28 anos do Tocantins foram fundamentais para o desenvolvimento do Estado.

Dentro de seu pronunciamento Irajá Abreu, ressalta que os empréstimos junto a CEF de R$453 milhões e Banco do Brasil R$146 milhões de reais são necessários, entretanto para que os mesmos possam ser firmados é necessário ter transparência nessas tratativas, vez que toda sociedade necessita saber quais as obrigações deverão ser arcadas pelo Estado.

Na ocasião, o parlamentar questiona porque os empréstimos só foram solicitados agora, quais as taxas de juros utilizadas, quais os prazos e carências e, para quais obras serão destinadas? Importante destacar que o questionamento do parlamentar tocantinense é quanto ao método do financiamento. "Todos nós tocantinenses desejamos ver um Estado próspero e que se desenvolva. O meu questionamento é o método aplicado".

Irajá Abreu questionou ainda, sobre o recurso que será destinado como contrapartida do Governo do Tocantins aos financiamentos que não foram pagos. "Mais de 20% do valor total do financiamento de R$600 milhões, serão gastos como contrapartida de outros financiamentos adquiridos pelo Governo do Tocantins, que estão parados, porque o Governo irresponsavelmente não honrou, a exemplo do PRODESTE". 
"Porque só agora depois de 3 anos de gestão, o Governador Marcelo Miranda quer fazer esse financiamento? Será que não estaria ele preocupado em fazer obras apenas eleitoreiras? ", questiona.

O deputado destaca ainda o papel importante do Legislativo Tocantinense em cobrar esclarecimentos ao Governo. "A Assembleia Legislativa do Tocantins, teve uma postura serena e de extrema grandeza, quando cobrou transparência do Governo na aplicação dos recursos, o outro destaque foi quando abdicou de R$50 milhões que seriam aplicados na construção de um prédio anexo da Assembleia Legislativa. Esse dinheiro agora será destinado aos 139 municípios do Estado do Tocantins".

Irajá Abreu questiona também, qual será a contrapartida que o Governo fará aos municípios. "Ao longo desses 3 anos, os municípios não receberam um centavo do Governo do Estado, a não ser os recursos federais que a bancada tocantinense tem feito com responsabilidade e com vigor. O Governo do Estado não fez nada pelos municípios e pelo que estamos vendo, não pretende oferecer contrapartida nenhuma".


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus