.

Palmas, 25/03/2017

Política

Câmara

Políticas públicas e criação da Secretaria da Mulher são defendidas na Câmara de Palmas

  • Ao se pronunciar, o presidente da Casa, José do Lago Folha Filho ressaltou o comprometimento da Casa na construção das políticas que impactam a vida das mulheres palmenses

Cleober Taquara

Políticas públicas e criação da Secretaria da Mulher são defendidas na Câmara de Palmas



A importância da mobilização feminina e do Parlamento em prol da construção de políticas públicas e da ampliação dos direitos das mulheres foi destacada durante a sessão solene realizada na manhã desta quarta-feira, 8, em alusão ao Dia Internacional da Mulher, realizada na Câmara de Palmas.

Após ser aberta pelo presidente da Casa, José do Lago Folha Filho, a sessão solene foi presidida pela vereadora Vanda Monteiro e a mesa composta pela prefeita em exercício, Cinthia Ribeiro, pela vereadora Laudecy Coimbra, pela procuradora de Justiça do Ministério Público Estadual, Vera Nilva Álvares da Rocha e pela diretora Estadual de Políticas para Mulheres, Ana Maria Vanderlei.

Ao se pronunciar, o presidente da Casa, José do Lago Folha Filho ressaltou o comprometimento da Casa na construção das políticas que impactam a vida das mulheres palmenses. "Nessa sessão nós refletimos sobre a importância da mulher, sobre os avanços que ainda precisam ser conquistados e reforço nosso compromisso com a causa feminina. A mensagem desse parlamento é de que iremos atuar para construir com o executivo de Palmas a implantação da Secretaria da Mulher", afirmou.

Direitos das mulheres

Em sua fala sobre o tema "A proposta de alteração das regras da Previdência Social e a ofensa aos direitos das mulheres", a procuradora de Justiça do Ministério Público Estadual, Vera Nilva Álvares da Rocha pontuou os prejuízos que podem acometer as mulheres caso a PEC da Previdência seja aprovada no Congresso Federal. "Essa PEC pretende alterar substancialmente as regras da previdência e as maiores afetadas serão as mulheres. Somos fisiologicamente diferentes dos homens, na regra atual as mulheres se aposentam aos 55 anos e os homens aos 65 anos, e com a proposta todos poderão se aposentar a partir dos 65 anos", afirmou.

Vera Nilva ainda alertou que "o atual governo propõe como uma medida impositiva, podemos perder esse bônus calcado em estudos científicos. Se essa famigerada PEC entrar em vigor será muito difícil alguém se aposentar nesse país. Se não nos mobilizarmos com urgência ela irá passar, vai virar regra constitucional e para ser derrubada será muito difícil".

Políticas para as mulheres

A sessão solene ainda contou com a mensagem da diretora estadual de Políticas para as Mulheres, Ana Maria Vanderlei, que destacou que o dia 8 de Março não é de comemoração, de flores, mas dia de luta por avanços.

A prefeita em exercício da Capital, Cinthia Ribeiro destacou, "um dia de conscientização, de luta, temos muito o que avançar ainda na prática em políticas públicas para as mulheres, avançar de forma efetiva e a Câmara Municipal é fundamental nesse processo. Fico muito feliz por termos duas mulheres nesse parlamento que nos representam e a toda a população".

As três jornalistas que faleceram recentemente na Capital: Olga Cavalcante, Maria Arienar da Silva e Aline Brabo foram lembradas pela vereadora Laudecy Coimbra que solicitou um minuto de silêncio antes do seu pronunciamento. A parlamentar salientou: "hoje é, sobretudo, um dia de refletirmos que muitas mulheres morreram para conquistar os direitos que temos hoje, conseguimos avanços e há muito o que se conquistar".

A vereadora Vanda Monteiro também ressaltou os índices de violência contra a mulher na Capital e a necessidade de se avançar no combate à cultura da violência.

Durante o evento os parlamentares ainda homenagearam autoridades, mulheres que se destacam na comunidade e familiares.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus