.

Palmas, 29/03/2017

Sa√ļde

HGP

HGP recebe nova turma de residentes em diversas especialidades

  • Os residentes fazem parte do Programa de Resid√™ncia M√©dica desenvolvido no HGP, por meio de parceria entre a Secretaria de Estado da Sa√ļde e a Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Valdo Franca

HGP recebe nova turma de residentes em diversas especialidades



Luciana Barros/ Governo do Tocantins
 
O Hospital Geral de Palmas (HGP) acolheu a nova turma de residentes que atuar√° na unidade nos pr√≥ximos tr√™s anos nas especialidades de anestesiologia, ortopedia, dermatologia, cirurgia geral, angioradiologia, cl√≠nica m√©dica, cirurgia vascular, reumatologia e outras. Os residentes fazem parte do Programa de Resid√™ncia M√©dica desenvolvido no HGP, por meio de parceria entre a Secretaria de Estado da Sa√ļde e a Universidade Federal do Tocantins (UFT). 
 
O diretor geral do HGP, Daniel Hiramatsu, ressaltou o papel essencial dos residentes no andamento dos servi√ßos da unidade e explicou como eles podem auxiliar. "Os residentes desempenham um papel fundamental para este hospital, dando suporte ao andamento do servi√ßo em todos os setores. Diante da grande demanda de pacientes que chega todos os dias ao HGP, √© essencial que os residentes realizem o atendimento focando na educa√ß√£o do paciente, informando que o HGP √© uma unidade de alta complexidade, que serve para atender pacientes graves. Assim, aqueles est√°veis ou sem gravidade devem procurar um servi√ßo de menor complexidade na rede de aten√ß√£o √† sa√ļde. Essa educa√ß√£o visa n√£o sobrecarregar o hospital e oferecer melhor atendimento √† popula√ß√£o que precisa", destacou.

O m√©dico do N√ļcleo Interno de Regula√ß√£o (NIR), Bruno Brhaian Coelho, explicou aos residentes quais a fun√ß√Ķes deste n√ļcleo no HGP e falou sobre o sistema de Gerenciamento e Rede Inter-Hospitalar . "E um servi√ßo que gerencia todos os leitos do hospital, os leitos intensivos das Unidades de Terapia Intensiva (UTI), Unidade de Cuidados Intermedi√°rios (UCI), al√©m de ajudar no gerenciando da porta de entrada  pronto‚Äďsocorro e transfer√™ncias que n√£o se encaixem no crit√©rio de urg√™ncia e emerg√™ncia dos hospitais  do interior. N√≥s tamb√©m regulamos a contra‚Äďrefer√™ncia e interna√ß√Ķes domiciliares", disse.
 
O m√©dico ainda ressaltou que os residentes s√£o respons√°veis, muitas vezes, pelo preenchimento dos formul√°rios hospitalares, indica√ß√£o de encaminhamento de pacientes para outras unidades de sa√ļde  e o acompanhamento dos doentes ap√≥s a alta hospitalar devendo, portanto, entender o funcionamento do Sistema √önico de Sa√ļde (SUS). 
 
Expectativa

Quem est√° cheio de expectativas para a atua√ß√£o no hospital √© o residente do primeiro ano de ortopedia e traumatologia, Simon Rezende, que se formou h√° quatro anos na Universidade de Cuba, teve o t√≠tulo revalidado pela Universidade de Bras√≠lia (UNB), e atuava na aten√ß√£o b√°sica e em hospital de pequeno porte no interior do Tocantins. "Este momento √© muito importante para a familiariza√ß√£o com a rotina de trabalho do hospital. Para  podermos entender como funciona o servi√ßo, desde o momento que o paciente entra no HGP  at√© o  momento que recebe alta, e continua com os cuidados em domic√≠lio ou em outra unidade de sa√ļde. Observamos a estrutura de forma macro e micro, relacionada a cada setor. Sabendo que o HGP √© uma unidade de refer√™ncia no atendimento e tem uma grande demanda de traumatizados, √© uma oportunidade √≠mpar para aprender muito nesta √°rea", ressaltou.

A residente do primeiro ano de cl√≠nica m√©dica, Thayssa Boechat se disse ansiosa para atuar. "Foi muito importante esta integra√ß√£o para compreendermos o funcionamento  do hospital. Vamos fazer o m√°ximo para prestar um melhor servi√ßo de sa√ļde ao paciente",  enfatizou.


Confira também


Coment√°rios

comments powered by Disqus