Palmas, 29/05/2017

Saúde

HIP

Hospital Infantil recebe espaço humanizado e adaptado para atender crianças em situação de violência

  • Trata-se de uma casinha com ludoteca construída e pensada para deixar as crianças mais à vontade para tratar do assunto

Valdo França

Hospital Infantil recebe espaço humanizado e adaptado para atender crianças em situação de violência



Aldenes Lima/Governo do Tocantins
 
As vésperas do Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual contra Criança e Adolescentes, celebrado em 18 de maio, o Hospital Infantil de Palmas (HIP) recebeu um novo espaço que vai ajudar a fortalecer o atendimento a crianças que passam por situação de violência. Trata-se de uma casinha com ludoteca construída e pensada para deixar as crianças mais à vontade para tratar do assunto. A casinha foi construída por meio de parceria entre o Estado, Instituto Sabin e outros parceiros que colaboram com materiais, brinquedos, objetos de decoração e paisagismo.
 
O novo espaço será usado pela equipe multidisciplinar do Serviço de Referência no Atendimento de Crianças em Situação de Violência no Tocantins (Savi), que atua 24 horas em regime de urgência e emergência. Durante a entrega da casinha, na tarde desta quarta-feira, 17, o subsecretário de Estado da Saúde, Marcus Senna, lembrou que a obra abre um canal de interlocução com a sociedade, que precisa conhecer o serviço ofertado. "Em um momento em que se vive a redução de orçamentos, contar com importantes parceiros para se executar um projeto tão pertinente como este é muito importante. Esta obra abre um canal de interlocução com a sociedade e contribui para mudar a estatística, que infelizmente mostra que apenas cerca de 10% das pessoas que sofrem violência, fazem a notificação do caso", lembrou.
 
A vice-governadora Cláudia Lélis parabenizou toda equipe do Savi pelo trabalho realizado junto às crianças e destacou a importância do serviço. "Essa equipe se depara com situações difíceis e tem um preparo extraordinário. Vocês têm feito o diferencial na vida dessas crianças. Esta obra nos deixa muito felizes e mais importante que o físico, é a obra humana que tem um valor imensurável", afirmou.
 
A coordenadora do serviço, Rosivânia Tosta, destacou que a obra é uma junção de inúmeros parceiros que abraçaram o projeto e apoiaram desde o início e teve a fala completada pela diretora do hospital, Leiliane Alves: "Isso nos deixa muito felizes porque agora as crianças terão um espaço mais humanizado", destacou.
 
O gerente executivo do Instituto Sabin, Flávio Deboni, também falou da satisfação da instituição em colaborar com a execução do projeto. "Esta é a ludoteca de número 70 que o Sabin constrói no país e com uma especificidade de ser a única neste formato tão especial, que apesar de ter cara de brinquedoteca, tem uma finalidade diferente, que é tratar pessoas e amenizar os traumas", afirmou.
 
Presente no evento, a promotora de Justiça, Maria Roseli de Almeida Pery, afirmou que a inauguração da ludoteca "é um momento gratificante para as crianças e para o Sistema Único de Saúde, que se concretiza em ações emocionantes como estas, voltadas para as crianças que são o futuro do país, para quem devemos ter um olhar especial e humanizado. Sou testemunha do trabalho realizado aqui no Infantil, em cada visita que faço, e vejo as políticas públicas de humanização que se implantam nesta unidade", enfatizou.
 
O Savi
 
Instituído em setembro 2015, o Savi conta com uma equipe multiprofissional composta por médicos, psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros, com funcionamento 24 horas em regime de urgência e emergência. Lá é realizado o primeiro atendimento e o acompanhamento ambulatorial, sendo referência no atendimento às crianças de ambos os sexos, na faixa etária de zero até 11 anos, 11 meses e 29 dias, em situação de violação de direitos em decorrência de violência física, psicológica, sexual e negligência, crônicas e/ou agudas.
 
As crianças chegam ao Savi através de encaminhamentos de outros órgãos da Rede de Proteção (demanda referenciada), através de procura espontânea de suas famílias ou responsáveis (demanda espontânea) e também são identificadas pelos servidores demandas de violência dentre as próprias crianças internadas no HIP (demanda interna).
 
Além do acolhimento e atendimento às crianças e suas famílias, o Savi realiza o imediato encaminhamento aos demais serviços necessários (Instituto Médico Legal, Delegacia da Criança e Adolescente, Conselho Tutelar, dentre outros), conforme diretrizes do Ministério da Saúde e outras normas vigentes.
 
Números
 
O número de crianças atendidas no Savi tem aumentado significativamente. No ano de sua implantação (2015), de junho a dezembro, foram realizados 45 atendimentos. Já em 2016 foram 378 atendimentos e até o mês de abril deste ano já foram realizados 148 atendimentos.
 
Dia Nacional
 
Dando continuidade a programação em decorrência do Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual contra Criança e Adolescentes, nesta quinta-feira, 18, às 10h, a diretora do Hospital Infantil de Palmas, Leiliane Alves da Silva, e a coordenadora do Savi, Rosivania Tosta, participarão de uma ação educativa realizada pelas Secretarias Municipal de Saúde e Ação Social da cidade de Paraíso.
 
Já às 16h30, em Palmas, as equipes do Savi e Psicologia e Brinquedoteca do HIP realizarão atividades educativas na Ludoteca do Infantil. As duas atividades contarão com a participação de acadêmicos da Universidade Federal do Tocantins (UFT) que atuarão como animadores infantis.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus