Palmas, 20/10/2017

Saúde

Palmas

Para combater o álcool no trânsito, Operação Lei Seca volta a partir desta sexta, 29, e vai até domingo na Capital

  • E, a partir desta sexta-feira, 29, até domingo, 1º, a operação volta às ruas para garantir a segurança das vidas que circulam pelas vias da Capital.

Para combater o álcool no trânsito, Operação Lei Seca volta a partir desta sexta, 29, e vai até domingo na Capital



Dados parciais deste ano sobre os acidentes fatais em Palmas, divulgados pelo Projeto Vida no Trânsito (PVT), apontam que o principal fator de risco ainda é o envolvimento do condutor com álcool. Para conter os índices e preservar vidas, os agentes trânsito e os guardas metropolitanos se uniram para reforçar a Operação Lei Seca.
 
E, a partir desta sexta-feira, 29, até domingo, 1º, a operação volta às ruas para garantir a segurança das vidas que circulam pelas vias da Capital. Desde o final de agosto, em todos os finais de semana, blitze foram montadas em pontos estratégicos, próximo a bares e locais de grande concentração de consumo de bebida alcoólica.
 
Para o secretário municipal de Segurança e Mobilidade Urbana, Major Leonardo Coelho, apesar das divulgações e campanhas de educação para o trânsito que reforçam o perigo de beber e dirigir, muitos condutores em Palmas acabam colocando sua  própria vida e a dos outros em risco. "Estaremos com nossas equipes na rua com o propósito de coibir a direção sob o efeito do álcool. Só assim conseguiremos reduzir ainda mais os números de mortes e preservar as vidas dos que trafegam pelas vias da nossa cidade."
 
Prevenção e imprudência
Segundo dados do PVT, em mais de 40% dos acidentes com vítimas fatais em 2017, um dos condutores estava embriagado, 16% estavam acima da velocidade permitida pela via e em 24% um dos condutores não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Os números também apontam que 80% das mortes foram de motociclistas.
 
Mesmo com o trabalho preventivo da Prefeitura de Palmas ao instalar câmeras de segurança e redutores de velocidades nas entradas da cidade, as rodovias estaduais dentro do perímetro urbano de Palmas somam 45% dos acidentes com vítimas fatais.
 
O superintendente de trânsito, Antônio Neto Portelinha, acredita que esse índice nas rodovias se dá à imprudência. "O Município tem feito o seu trabalho preventivo, com rondas, blitze, redutores de velocidade e radares, mas infelizmente a imprudência dos condutores é constatada com alta velocidade, álcool e ultrapassagens proibidas, até mesmo na ponte (sobre o lago de Palmas)", destaca o superintendente.
 


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus