Palmas, 13/12/2017

Saúde

Aids

Prevenção e diagnóstico são foco do Dia Mundial de Luta Contra a Aids em 2017

  • Como o slogan “Prevenção é o melhor Remédio, Faça o TESTE”, a Campanha Estadual de 2017 para o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado todo dia 1º de dezembro, alerta a população sobre a importância da Testagem Rápida do HIV

Prevenção e diagnóstico são foco do Dia Mundial de Luta Contra a Aids em 2017



Aldenes Lima/Governo do Tocantins
 
Como o slogan "Prevenção é o melhor Remédio, Faça o TESTE", a Campanha Estadual de 2017 para o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado todo dia 1º de dezembro, alerta a população sobre a importância da Testagem Rápida do HIV, bem como, o uso de preservativos. Disponíveis nas unidades básicas de saúde da maioria dos municípios tocantinenses, os testes rápidos podem ser acessados pela população e o Estado vem promovendo a formação contínua de profissionais nos municípios para realização da técnica que permite, tanto o diagnóstico do HIV, quanto a avaliação para sífilis e hepatites virais B e C.

São público-alvo da campanha realizada desde 1988, pelo  Ministério da Saúde e desenvolvida no Tocantins pela Superintendência de Vigilância, Promoção e Proteção à Saúde/Diretoria de Doenças Transmissíveis e não Transmissíveis/Gerência de DST/Aids e Hepatites Virais, da Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO), população geral e populações chave, segundo perfil da doença no Brasil, que são pessoas privadas de liberdade, jovens HSH (Homens que fazem Sexo com outros Homens), e populações prioritárias, como jovens, população negra, população indígena e população em situação de rua.

Segundo a enfermeira da Gerência Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais da SES-TO, Caroline Biserra Costa da Luz, além das unidades básicas de saúde, os Serviços de Assistência Especializada (SAE) em Araguaína, Palmas, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional e Gurupi e os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), em Araguaína e Palmas, possuem os testes à disposição.

"As ações da campanha estão pautadas no incentivo aos municípios a ofertarem testes-rápidos à população, distribuição massiva de preservativos, e palestras educativas e da propaganda midiática e redes sociais, devido à grande mobilização e poder de alcance que esta modalidade de comunicação possui, além do incentivo à iluminação de prédios públicos (conforme a Lei nº 13.504 de 07 de novembro de 2017, que institui a Campanha Nacional de Prevenção ao HIV/Aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis)", explicou Caroline.

A preocupação da área técnica, segundo a enfermeira, é com o controle dos números de casos registrados no Estado, que de 2014 a 17 de novembro deste ano, segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN-TO), registrou 454 casos de Aids e 951 de HIV. No Tocantins existem em tratamento 2.714 pacientes, distribuídos entre os cinco Serviços de Assistência Especializada.

"Muitos são os esforços empregados pela Secretaria de Estado da Saúde a fim de ampliar a oferta de exames para o diagnóstico precoce da infecção pelo HIV, bem como tratamento em tempo oportuno aos pacientes diagnosticados com HIV/Aids. O momento do diagnóstico da infecção está diretamente relacionada com o sucesso do tratamento, e conseqüentemente, com a qualidade de vida da Pessoa Vivendo com o HIV/Aids – PVHIV", enfatizou Caroline.

A enfermeira destacou ainda que a participação dos municípios é fundamental nesse processo, principalmente no que diz respeito à garantia da qualificação dos profissionais, bem como a oferta de uma estrutura mínima para realização dos procedimentos, conforme preconizado. "A garantia da realização do diagnóstico pela equipe de saúde da família contribui para gerar vínculo entre paciente e serviço/equipe, permite uma assistência mais efetiva no que se refere a transporte, cuidados básicos, e encaminhamentos a médicos aos serviços de referência que garantirão o melhor acompanhamento, no caso de pacientes que tenham diagnóstico de HIV", finalizou. 

O que é HIV

Segundo publicação do Ministério da Saúde, HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. Ter o vírus não é a mesma coisa que ter AIDS, pois há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença.

HIV é contraído pelo: sexo vaginal sem camisinha; sexo anal sem camisinha; sexo oral sem camisinha; uso de seringa por mais de uma pessoa; transfusão de sangue contaminado; da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação e uso de instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Como forma de amenizar as discriminações quanto às pessoas portadoras do vírus, é importante destacar que não pega HIV com: sexo desde que se use corretamente a camisinha; masturbação a dois; beijo no rosto ou na boca; suor e lágrima; picada de inseto; aperto de mão ou abraço; sabonete/toalha/lençóis; talheres/copos; assento de ônibus; piscina; banheiro; doação de sangue e nem pelo ar.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus