Palmas, 13/12/2017

√öltimas

Fiscalização

Adapec e PM Ambiental interditam dois matadouros clandestinos em Barrol√Ęndia

  • De acordo com o inspetor de defesa agropecu√°ria da Adapec, Dwany de Souza Carvalho, a opera√ß√£o aconteceu ap√≥s registro de uma den√ļncia an√īnima por meio do disque-defesa da Ag√™ncia

Adapec e PM Ambiental interditam dois matadouros clandestinos em Barrol√Ęndia



Welcton de Oliveira / Governo do Tocantins, 23 de outubro de 2017
 
A Ag√™ncia de Defesa Agropecu√°ria do Tocantins (Adapec), por meio da equipe do Servi√ßo de Inspe√ß√£o Estadual (SIE) e a Pol√≠cia Militar Ambiental realizaram na manh√£ desta sexta-feira, 20, a√ß√Ķes de fiscaliza√ß√Ķes e combate ao abate clandestino de animais, no munic√≠pio de Barrol√Ęndia a 105 quil√īmetros da capital, onde foram identificados dois locais clandestinos de abate de bovino sem registro no servi√ßo de inspe√ß√£o oficial e fora das normas higi√™nicas-sanit√°ria.
 
Em um dos matadouros, a equipe apreendeu 660 quilos de carne improprias para o consumo que foi encaminhado para o aterro sanit√°rio de Palmas, os locais foram interditados e os dois propriet√°rios foram autuados em R$ 5 mil reais pela Adapec e mais R$ 50 mil cada um, pela PM Ambiental por irregularidades ambientais.
 
Em um dos locais foi encontrado vest√≠gios de abate de animais com um n√ļmero muito grande de carca√ßas (cabe√ßas) de animais que eram deixadas num local ap√≥s o abate. J√° no outro matadouro clandestino foi feito o flagrante de abate clandestino e foram apreendidas quatro carca√ßas de bovinos. Eram abatidos em m√©dia de 2 a 3 animais por dia e a carne era comercializada no com√©rcio local e na regi√£o.
 
Os ambientes não possuíam estruturas adequadas para abate, que eram feitos em currais abertos, sem nenhuma condição higiênico-sanitária, com a presença de aves, vísceras em contato com o chão, carne totalmente exposta, escoamento de sangue jogado diretamente no solo, entre outras irregularidades.
 
De acordo com o inspetor de defesa agropecu√°ria da Adapec, Dwany de Souza Carvalho, a opera√ß√£o aconteceu ap√≥s registro de uma den√ļncia an√īnima por meio do disque-defesa da Ag√™ncia. "Estamos intensificando este tipo de opera√ß√£o para coibirmos o abate clandestino que coloca em risco a sa√ļde p√ļblica", alertou ele.
 
O presidente da Adapec, Humberto Camelo disse que o combate ao abate clandestino de animais no estado é fundamental para garantir que os consumidores tenham acesso a produtos cárneos oriundos de estabelecimentos devidamente registrados no serviço oficial de inspeção.


Confira também


Coment√°rios

comments powered by Disqus