.

Palmas, 29/03/2017

Viver

Iphan

Cidades históricas e turismo são tema de encontro nacional

  • Essa terceira edição do Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial retoma uma série de iniciativas orientadas pelo Iphan desde 2009 visando a gestão das cidades patrimônio mundial

Cidades históricas e turismo são tema de encontro nacional



Conhecer uma cidade histórica envolve todos os sentidos do ser humano. Para isso, é fundamental conhecer as ruas e o casario, os costumes, as tradições, as festas, as igrejas e a gastronomia de uma cidade. Visitar esses locais implica em conhecer sua dinâmica e seus significados e compreender por que aquele espaço pode ser um importante símbolo da história e da cultura nacional. Visando aliar desenvolvimento, turismo e a preservação do Patrimônio Cultural, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) se une com a Confederação Nacional de Municípios (CNM) e a Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Mundial (OCBPM) para consolidar uma rede de gestores e elaborar uma política nacional de gestão das cidades históricas e patrimônio mundial.
 
Em reunião realizada na última quinta-feira, 09 de março, a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, e o diretor do Departamento de Articulação e Fomento do Iphan, Marcelo Brito, receberam o presidente da OCBPM, Mário Augusto Ribas, e a representante da CNM, Marta Feitosa, para discutir a contribuição do Iphan junto ao evento e as experiências institucionais que deverão ser compartilhadas com a Rede Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial. Entre os destaques da programação estão os centros de interpretação do patrimônio cultural em Portugal, onde uma comitiva do Iphan estará na próxima semana, a fim de conhecer e discutir a experiência dos sítios patrimônio mundial no país. Esse diálogo será concretizado nos próximos dias 11 e 12 de abril, com a realização do 3º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial, em Brasília (DF). O evento envolverá instituições públicas federais e estaduais, gestores municipais e sociedade civil para discutir uma exploração turística adequada e a definição das responsabilidades para a estruturação dessas localidades enquanto destinos turísticos.
 
Outro ponto fundamental de destaque no encontro são ações do PAC Cidades Históricas, marco na história das políticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil, com a disponibilização de recursos para a recuperação e revitalização em 44 cidades e seus bens culturais protegidos pelo Iphan, visando o desenvolvimento econômico e social por meio da preservação e promoção do patrimônio cultural.

Essa terceira edição do Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial retoma uma série de iniciativas orientadas pelo Iphan desde 2009 visando a gestão das cidades patrimônio mundial e tem como base legal o Acórdão 3155/2016 do Tribunal de Contas da União (TCU), recomenda a priorização de questões como a padronização da sinalização, comunicação visual e atendimento ao turista; adequação de infraestrutura de transporte, hospedagem e acesso; estratégias de divulgação e promoção; formação de mão de obra especializada, entre outros aspectos, visando a sustentabilidade dos sítios e a alocação de recursos federais a estes municípios.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus