Palmas, 24/07/2017

Viver

Família

Defensoria Pública de Araguaína promove diálogo com a comunidade sobre família

  • A programação é pelo Dia Nacional da Defensoria Pública e Dia do Defensor Público

Defensoria Pública de Araguaína promove diálogo com a comunidade sobre família



Autor: Keliane Vale
 
Com foco na família, principal demanda apresentada para atendimento na DPE-TO – Defensoria Pública do Estado do Tocantins, a equipe da regional de Araguaína promoveu roda de conversa com as famílias atendidas pelo Creas – Centro de Referência Especializado da Assistência Social, em Araguaína. A programação é pelo Dia Nacional da Defensoria Pública e Dia do Defensor Público, comemorados no dia 19 de maio.

A equipe multidisciplinar levou discussões e dinâmicas para os participantes sobre o tema da campanha, que é "família afetiva". Segundo a assistente social Fernanda Cristina Campelo, é o caso daquelas famílias que adotam, famílias acolhedoras que recebem em suas casas crianças e adolescentes em situação de extrema vulnerabilidade social, "e de modo geral, pessoas que se relacionam por afeto, não necessariamente por laços consanguíneos", analisou a assistente social. 

Para o defensor público Rubismark Saraiva, na maioria dos casos, as famílias que procuram a Defensoria, são chefiadas por mulheres. "Deixar toda a responsabilidade nas mãos das mães e avós, quando os pais não compartilham do dia a dia e deveres, da constituição da dignidade humana dos filhos, decorre em inúmeras consequências. A relação de afeto não pode se perder", ponderou Saraiva. 

Um dos temas abordados foi sobre a importância do vínculo afetivo na estruturação da personalidade. Uma das mães expôs a dificuldade de educar filhos adolescentes. "Eu perdi minha mãe aos 11 anos e tive que viver sozinha no mundo, eu penso que o adolescente deve saber o que quer da vida", desabafou. Conforme orientou a psicóloga Vanessa Sales, a abertura ao diálogo é primordial na relação com o adolescente. "Quando o diálogo é prejudicado, as relações tornam-se frágeis. Toda criança e adolescente necessita de orientações para realizarem suas escolhas e a participação da família reflete de forma significativa nessas escolhas", considerou a psicóloga.

Ainda foi falado sobre a importância do afeto para o desenvolvimento da criança. Segundo a pedagoga Gislene Moreira, a falta de afeto reflete no aprendizado e comportamento. "Impor limites aos filhos também faz parte da afetividade, aliado ao resgate do cotidiano, que inclui diálogo e atividades em família. O afeto é a base de tudo", disse a pedagoga. 

A coordenadora do Creas, Elizabeth Milhomem, parabenizou à Defensoria Pública pela ação. "Articular essas reuniões fortalece a rede assistencial. E essa ação é uma atitude de amor e que promove aproximação com as famílias que necessitam", avaliou a coordenadora.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus