Palmas, 21/07/2017

Viver

Ludoteca do HIP

Ludoteca do Hospital Infantil mostra bons resultados no atendimento a vítimas de violência

  • Desde que foi entregue, graças a parceria do Estado com o Instituto Sabin e outros colaboradores, mais de 140 crianças já utilizaram o espaço

Valdo França

Ludoteca do Hospital Infantil mostra bons resultados no atendimento a vítimas de violência



Aldenes Lima/Governo do Tocantins
 
"Temos tido 100% de aproveitamento do trabalho realizado no espaço, pois aqui as crianças ficam mais relaxadas, tranquilas e interagem mais com os profissionais". A fala é da coordenadora do Serviço de Referência no Atendimento de Crianças em Situação de Violência no Tocantins (Savi), Rosivânia Tosta, que mostra a satisfação com os resultados apresentados após a entrega da ludoteca em forma de casinha, implantada no Hospital Infantil de Palmas (HIP).
 
Desde que foi entregue, graças a parceria do Estado com o Instituto Sabin e outros colaboradores, mais de 140 crianças já utilizaram o espaço. "Quando é chamada para vir a este espaço, a criança já se anima e o trabalho dos profissionais fica mais fácil", enfatizou Rosivânia, acrescentando que isso acontece por causa do ambiente que foi especialmente pensado para esse atendimento.
 
De acordo com dados do Savi no ano de 2016, foram realizados um total de 517 atendimentos, sendo 139 de casos novos e desses 52 casos foram de violência sexual. "Até 04 de julho deste ano, foram realizados um total de 471 atendimentos, sendo 122 casos novos, destes 43 casos são de violência sexual. Os números mostram que a informação do serviço tem chegado a mais pessoas e por isso há uma maior procura. Sabemos que existem muitos casos sem notificação, mas ficamos felizes em atingir cada dia mais crianças, com nossos cuidados", reforçou a coordenadora.
 
O Savi

O Savi funciona 24 horas em regime de urgência e emergência e conta com uma equipe composta por médicos, psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros. Lá é realizado o primeiro atendimento e o acompanhamento ambulatorial, sendo referência no atendimento às crianças de ambos os sexos, na faixa etária de zero até 11 anos, 11 meses e 29 dias, em situação de violação de direitos em decorrência de violência física, psicológica, sexual e negligência, crônicas e/ou agudas.
 
O acesso

As crianças chegam ao Savi por meio de encaminhamentos de outros órgãos da Rede de Proteção, por procura espontânea de suas famílias ou responsáveis, e também são identificadas por demanda interna, dentre as próprias crianças internadas no HIP.
 
Além do acolhimento e atendimento às crianças e suas famílias, o Savi realiza o imediato encaminhamento aos demais serviços necessários (Instituto Médico Legal, Delegacia da Criança e Adolescente, Conselho Tutelar, dentre outros), conforme diretrizes do Ministério da Saúde e outras normas vigentes.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus