Palmas, 13/12/2017

Viver

Música

Projeto Chão de Estrelas traz na primeira edição a obra de Caymmi

  • Este show será apresentado por Dorivã e pelo violonista e arranjador Félix Junior nas cidades de Palmas, Porto Nacional, Gurupi e Paraíso do Tocantins

Projeto Chão de Estrelas traz na primeira edição a obra de Caymmi



O cantor Dorivã lança, na programação do Projeto Quarta Clássica, em 16 de agosto, às 20h30, no Theatro Fernanda Montenegro, o projeto Chão de Estrelas, de sua autoria, e que na primeira edição traz o show As canções de Caymmi, uma homenagem ao cantor baiano Dorival Caymmi, por meio de um passeio pela obra deste grande artista, que perpassou seis décadas. Este show será apresentado por Dorivã e pelo violonista e arranjador Félix Junior nas cidades de Palmas, Porto Nacional, Gurupi e Paraíso do Tocantins.

O projeto Chão de Estrelas foi idealizado pelo cantor Dorivã e propõe-se a  levar canções autorais e/ou de artistas com trabalho reconhecido para apresentações inéditas nas cidades já citadas, podendo se estender a outras,  com intuito de formar e fidelizar plateia apreciadora de boa música; divulgar artistas regionais que não dispõem de espaço representativo na grande mídia e permitir acesso aos produtos musicais do Tocantins.

Segundo Dorivã, o projeto pretende, também, trazer ao Tocantins grandes e bons nomes da música brasileira para, ao seu lado,  contribuir com a melhoria na qualidade do som produzido e apreciado no Estado. Cada edição do projeto, que é uma realização da Passarim Produções,  deve ocorrer trimestralmente.

CAYMMI

O show As Canções de Caymmi surgiu da vontade dos dois artistas fazerem um tributo ao grande cantor brasileiro e por meio de parcerias tem sido possível materializar o sonho.  Dorivã, um dos mais premiados artistas do Tocantins, com 3 (três) Cds de sua autoria e dvd em produção, uniu-se ao compositor Félix Junior, com carreira internacional destacada e considerado pela crítica como revelação dos violonistas de sete cordas no Brasil.

O encontro destes artistas vai emocionar o público com as canções que Caymmi fez pra nós e acontece, justamente, na data em que completa 9 anos de seu falecimento em 16 de agosto de 2008.  No repertório as músicas: Dois de fevereiro, Maracangalha; Peguei um ita no norte; Modinha pra Gabriela; Morena do mar; Oração de Mãe Menininha; O bem do mar; Das rosas; Marina; Nem eu; Só louco; Andança; O bem e o mal: Retirantes/Vida de negro; Suíte do pescador e Samba da minha terra.

Para Dorivã, cantar Caymmi é um sonho e uma honra. "O número de versões de suas músicas feitas por outros intérpretes  é incalculável. No entanto é sempre novo e emocionante interpretar quem admiramos. Caymmi foi um artista completo: compôs, escreveu, cantou e tocou.  Costumo dizer que, desta vez, é o canto do rio celebrando as canções do mar", explica poeticamente.

O show Canções de Caymmi tem como parceiros a Fundação Cultural de Palmas: Projeto 4ª Clássica; a Prefeitura de Paraíso: Projeto Sexta Cultural; a Choperia Beira Rio, em Porto Nacional; o espaço Ahrr Maria Coisaria em Gurupi; Gráfica Primavera e como patrocinadores: TV Anhaguera/Jornal do Tocantins; CapitalTur; Odonto Marques; Atlas Hotel, UFT e a empresa Realize Viagens e Turismo.

Em 60 anos de carreira, Dorival Caymmi gravou cerca de 20 discos.Sua obra, não é tão vasta, em quantidade, mas é destacada pela crítica por ter um inigualável número de obras-primas.
 
Agenda de realização do show:

Palmas: no Theatro Fernanda Montenegro na programação do Projeto Quarta Clássica em 16/08, as 20h30; no Teatro de bolso Memorial Coluna Prestes dias 22 e 23/08 será as 20h30;
Porto Nacional: na Choperia Beira Rio em 18/08, as 22h;
Gurupi: no Ahrr Maria Coisaria em 19/08, as 22h;
Paraíso: na Pça José Torres no Projeto Sexta Cultural em 25/08, as 21h.
 
Sobre os Artistas
 
"Passarim do Jalapão", carinhosamente apelidado assim pelos tocantinenses, o cantor e compositor Dorivã Borges, é natural de Cristalândia no Estado do Tocantins. Na sua discografia estão 3 (três) Cds de sua autoria: "Passarim do Jalapão", produzido por Carlos Fuchs (RJ), "Taquarulua", produzido por Luiz Chaffin (GO), "Folia Dourada", produzido por Jessé Fonseca (TO) e, pronto para lançamento o Cd "Num Pé de Serra", produzido por Manasséis (CE).
 
Dorivã circulou com o Show "Passarim do Jalapão" participou do projeto SESC Amazônia das Artes na turnê pelos estados amazônicos Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, além do Piauí.
 
Convidado e selecionado para vários projetos, dentre eles: "Projeto Palmas para o Mundo" 2017, no Theatro Fernanda Montenegro Palmas/TO, SESC Amazônia das Artes 2015, "Amazônia BR" 2002, no SESC Pompéia/SP, com produção de Gringo Cardia, "Ano do Brasil na França/MINC" 2002 (Paris/FR), atua também com criação de trilhas, sendo a mais recente para o espetáculo "Ritos e Rituais – Uma Trilha Pelo Araguaia e Tocantins" 2014, pela Companhia Contágius de dança, espetáculo selecionado e contemplado em editais no estado do Tocantins, obtendo grande sucesso de crítica e plateia.

Comemora 35 anos de carreira com uma obra de composições que poderiam ser consideradas tão somente regionais, não fosse a linguagem melodiosa de seus ritmos de influência da cultura negra e indígena, como a sússia, catira, jiquitaia, foliado, que são apresentados de uma forma contemporânea e inusitada, ao mesmo tempo simples e de uma poesia profunda e envolvente.
 
Sobre Félix Júnior:

Félix Junior deu início à carreira de compositor ainda adolescente, traz uma ampla bagagem musical, com diversas apresentações no Brasil e no exterior. Começou aos 9 anos de idade, quando seu pai e professor de música, ensinou violão para o filho. Aos 14 anos, uma música de sua autoria conquistou o 4º lugar no 2º Festival Nacional de Choro. Atualmente, Félix Júnior reside em Brasília e é considerado pela crítica como revelação dos violonistas de sete cordas no Brasil.

O músico tem ampla experiência fora do país. Em 2001,  representou o Brasil no Festival de Música Internacional em Santiago (Cuba). Em 2004, participou do Festival de Bandolins em La Coruna (Espanha), e em 2005 tocou em dois shows na Colômbia (Bogotá), com músicos de Brasília. O compositor e arranjador fez apresentações no Clube do Choro de Brasília, com grandes nomes da MPB como Altamiro Carrilho, Osvaldinho do Acordeom, Dominguinhos, e Hermeto Pascoal. (Assessoria de Imprensa/Janete Monteiro 98417-3333)


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus