Friday, 14 de December de 2018

CONCURSOS


Crimes

Polícia Civil indicia três suspeitos de praticar crimes diversos em Araguaína

08 Oct 2018    23:58

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da 2ª Delegacia de Araguaína concluiu, nesta segunda-feira (8), às investigações referentes ao desvio de cerca de R$ 75.766,16, (Setenta e cinco mil setecentos e sessenta e seis reais e dezesseis centavos), promovido por funcionárias de uma imobiliária naquele município.

De acordo com o Delegado Luis Gonzaga da Silva Neto, segundo o apurado, as supostas autoras Amanda Rodrigues Alves, de 23 anos e Ana Caroline Alves Lins, também de 23 anos induziram os clientes da imobiliária, na qual trabalhavam a efetuarem pagamentos em dinheiro em espécie na própria imobiliária, onde elas recebiam tais valorem e não repassavam à referida pessoa jurídica.

Mo entanto, o procedimento de praxe era o pagamento através de boletos bancários, não sendo permitido o recebimento de qualquer valor, seja em espécie ou através de cheque, diretamente no estabelecimento.

Ainda segundo o Delegado, os clientes compraram diversos lotes, sendo estes financiados pela imobiliária, em que efetuavam os pagamentos através de boletos, mas posteriormente passaram a ser orientados pelas supostas autoras Amanda e Ana Caroline a efetuarem pagamentos em dinheiro, em que elas recebiam tais valores, e para não deixar qualquer suspeita, emitiam recibos fictícios aos referidos clientes da imobiliária.

 Ainda, outra forma de receber os valores dos clientes, se deu através de diversos depósitos bancários na conta do suposto autor Gleison Freitas de Sousa, de 36 anos, que na época dos fatos era namorado de Amanda Rodrigues, em que esta e Ana Caroline induziram os clientes a acreditarem que Gleison seria um dos sócios da imobiliária, não havendo nenhum problema em realizar os depósitos e transferências, referentes aos pagamentos dos lotes, em sua conta bancária.

 Nos autos há um áudio enviado por Amanda para o advogado da imobiliária, em que pede que o mesmo intermedeie um acordo para que nem ela e nem a Ana Caroline viessem a responder criminalmente. Há ainda conversas pelo aplicativo whatsapp do referido advogado e as duas mulheres, em que estas tentam negociar uma forma de pagamento parcelado para que nada fosse parar na polícia, negociação esta infrutífera.

 Conforme o apurado, Amanda e Ana Caroline levavam uma vida acima do padrão financeiro que o salário permitia, pois viajavam e compravam roupas de marcas de preços elevados, tudo sendo ostentado em suas redes sociais.

O Delegado concluiu o inquérito policial, sendo Amanda Rodrigues Alves, Ana Caroline Alves Lins e Gleison Freitas de Sousa indiciados pelos crimes de furto duplamente qualificado, estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa, cuja pena dos crimes, se somadas, podem chegar a 21 (vinte e um) anos de prisão. O caso agora foi encaminhado ao Poder Judiciário para as medidas cabíveis.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

22

PARABÉNS!
PARABÉNS!

23

BOM
BOM

18

AMEI!
AMEI!

20

KKKK
KKKK

22

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

13

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

14

CREDO!
CREDO!

Leia por assunto:

crime presa tocantins

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


CPPA

Mesmo com situação levada à Justiça, esgoto a céu aberto continua na CPPA

MPE/TO e Prefeitura também judicializaram o caso, mas o problema continua na Casa de Prisão Provisória

Sindicância

Estado abre sindicância para apurar situação de servidores na Secretaria de Governo

De 18 de dezembro a 28 de fevereiro de 2019, terá início o recadastramento de todos os servidores do Poder Executivo




  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira