Wednesday, 21 de February de 2018

Wednesday, 21 de February de 2018

ESPECIAL


Fórum Estadual

IV Fórum Estadual Sobre Violência Sexual debaterá implantação da cadeia de custódia no TO

08 Nov 2017

Camilla Negre/Governo do Tocantins
 
Um evento direcionado a estudantes e profissionais que atuam na área ou que se interessem pelo tema e abordará assuntos relevantes para atenção integral às pessoas em situação de violência sexual, com foco na implantação da cadeia de custódia e coleta de vestígios em andamento no Estado. Assim será o IV Fórum Estadual Sobre Violência Sexual, organizado pela Secretaria de Estado da Saúde, que acontecerá nos dias 08 e 09 de novembro, no auditório do Palácio Araguaia, em Palmas.

De acordo com o coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias da Infância e Juventude do Tocantins, o promotor de justiça, Sidney Fiori, o projeto da implantação da cadeia de custódia para o atendimento das vítimas de violência sexual já está em fase avançada. "Pretendemos instalar esse serviço em pelo menos três municípios ainda este ano. O Fórum vai consagrar este momento histórico, que colocará o Tocantins à frente da maioria dos estados brasileiros no atendimento humanizado, minimizando a revitimização", disse.

Durante o Fórum, também serão abordados temas como os sinais e sintomas da violência sexual, de modo a auxiliar na identificação das ocorrências, o perfil psicológico e comportamental do agressor e as possíveis repercussões da violência sexual ocorrida na infância, adolescência ou mesmo na idade adulta para a saúde mental das vítimas, incluindo depressão, transtornos mentais, automutilação e suicídio.

Segundo a coordenadora do Serviço de Atenção à Criança em Situação de Violência (SAVI), do Hospital Infantil Público de Palmas (HIPP), Rosivânia Tosta, o Fórum é um espaço privilegiado de aprendizado, troca de conhecimento e experiências entre profissionais que atuam no atendimento e demais integrantes da rede de proteção.

O evento será realizado através do Serviço de Atenção Especializada à Criança em Situação de Violência (Savi) do Hospital Infantil de Palmas (HIP), do Serviço de Atenção Especializada às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis) do Hospital e Maternidade Dona Regina, em Palmas (HMDR), do Hospital e Maternidade Tia Dedé, em Porto Nacional (HMTD) e da Gerência de Doenças e Agravos Não Transmissíveis (DANT), em parceria com o Ministério Público Estadual, Defensoria Pública e Secretaria de Segurança Pública.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pela internet pelo link: https://goo.gl/wfZedT.

Atendimentos

De janeiro a outubro deste ano, o Savi (HIPP) realizou 961 atendimentos (total incluindo casos novos e ambulatórios com crianças em situação de violência sexual, física, psicológica e negligências). Destes, foram 66 casos novos de crianças em situação de violência sexual, na faixa etária de 1 a 12 anos.

Já o Serviço de Atenção Especializada às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis), situado no Hospital Dona Regina (HMDR), realizou de janeiro a outubro, 941 atendimentos a pessoas em situação de violência sexual, dos quais 208 são casos novos e 733 retorno/ambulatorial, em sua maioria, na faixa etária de 10 e 19 anos.

"A equipe multiprofissional do Savis atende, independente da idade, sexo, orientação sexual, ou mesmo de quando aconteceu a violência, se foi há uma hora ou há 20 anos. É necessário que a pessoa busque ajuda, para que receba os atendimentos devidos", explicou Zelma Moreira, Coordenadora do serviço.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

2

PARABÉNS!
PARABÉNS!

3

BOM
BOM

1

AMEI!
AMEI!

2

KKKK
KKKK

2

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

1

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

2

CREDO!
CREDO!

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


Palmas

Júnior Geo cobra concurso para a Guarda Metropolitana

Na oportunidade, o vereador destacou a necessidade em se fazer emendas parlamentares com o propósito de fortalecer o serviço

IPTU

Palmas é a 12ª cidade no País que mais investe na manutenção em serviços públicos com recursos do IPTU, aponta estudo da UFT

Palmas está no topo das cidades brasileiras (entre 200 mil a 500 mil habitantes) que mais investem por pessoa (per capta) na manutenção de serviços básicos e essenciais da cidade a partir do que arrecada com o IPTU




  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira