Sunday, 15 de December de 2019

ESPORTE


Brasileiro atravessará a nado oceano Atlântico Sul

03 Mar 2009

Que tal nadar 6.864 quilômetros em pleno oceano Atlântico Sul? O que você acha dessa ideia? Errou quem pensa que a façanha é impossível. A iniciativa é ousada – mas, com planejamento e tecnologia, Márcio Carvalho aposta no sucesso da empreitada, que tem início previsto para julho. No projeto Travessia a Nado do Oceano Atlântico Sul (Tasan), Carvalho enfrentará, sozinho, a correnteza e as intempéries naturais do alto mar.

Com saída programada em Luderitz, na Namíbia (África), o mineiro de 1,96m de altura e 46 anos gastará entre 101 e 131 dias para alcançar o ponto de chegada: a cidade de Salvador, Bahia. Como o tempo em alto mar será longo, ele sabe dos muitos desafios a serem enfrentados – vão desde ataques de tubarões e hipotermia nas águas geladas a ondas gigantes e problemas com as correntes marítimas.

Por isso, ele se prepara física e psicologicamente. “Há seis anos desenvolvo a ideia e estou em plenas condições de realizar a travessia. Além dos treinos de natação e musculação, tenho o suporte de profissionais como preparador físico, nutricionista, cardiologista, psicólogo e neurologista”, explica. Isso sem contar com as equipes que desenvolveram roupas de neoprene que o protegerão do frio e do contato direto com a água. O catamarã Hobby Cat também é um dos seus principais aliados.

 

Proteção

O atleta atravessará o oceano Atlântico dentro de uma estrutura em forma de gaiola oval, presa à cintura e puxada a braçadas. O equipamento, projetado pelos professores Lanna e Paulo Miranda, da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), é feito com fibras de carbono e alumínio aeroespacial, terá 8 metros de comprimento e 3,75m de largura, com capacidade para transportar água potável, refeições desidratadas, roupas de mergulho, medicamentos, cilindros de oxigênio, instrumentos de navegação marítima e sinalização. Os profissionais pesquisaram a navegabilidade do equipamento que será importado de Portugal.

 

Investimento

Para efetivar a iniciativa, o esportista precisa da colaboração de empresários e da população de uma forma geral. O projeto está orçado em R$ 6,8 milhões, levando-se em consideração a alta tecnologia investida na embarcação e vestimenta, além da segurança e alimentação.

É fácil contribuir. Basta acessar o site www.travessiadoatlanticoanado.com, ir ao link “Como ajudar” para ter acesso aos dados da conta corrente do Banco do Brasil, no qual o depósito poderá ser feito. “Se 14 milhões de brasileiros doarem 50 centavos, ou seja, uma participação de 10% da população, terei o dinheiro que preciso para viabilizar a travessia”, afirma Carvalho. Médicos, nutricionistas, psicólogos, engenheiros, entre outros compõem uma equipe com 102 pessoas que participam do projeto, pensado há 25 anos e gestado desde o fim de 2000. “Chegou a hora de ele nascer. É o momento ideal”, finaliza ele.

 

Dia-a-dia

Márcio Carvalho acorda diariamente às 3h30 para ir à academia, onde treina musculação até às 8h. De lá, o consultor administrativo e financeiro vai para o escritório e trabalha até às 17h. Para fechar o dia, são mais duas horas de musculação e duas de natação. Nos fins de semana, o atleta faz treinamento na represa do Funil, localizada próximo à sua cidade natal, Lavras (MG), a 219 quilômetros de Belo Horizonte. Quanto à alimentação, ele precisa ingerir de 4 a 6 mil calorias diárias, sendo que, durante a travessia, serão necessárias 14 mil calorias/dia. Dieta essa desenvolvida exclusivamente para o projeto e 100% por uma empresa mineira.

 

Objetivos

O nadador afirma que o objetivo do projeto Tasan é unicamente pessoal. “Não quero quebrar recordes, nem desafiar ninguém. A aventura possibilita a coleta de dados para fins científicos. Após a travessia, será possível a médicos analisarem o comportamento do corpo humano imerso, levando-se em consideração o tempo dentro das águas salgadas. Além disso, há possibilidades de avaliar descobertas sobre a capacidade humana de superação física e emocional”, finaliza. (com informações da Tasan)

COMPARTILHE:


Confira também:


SSP

Polícia Civil prende três pessoas e apreende 10,5 kg de pasta base de cocaína

Policiais monitoraram por cinco meses atuação criminosa. Droga era oriunda do estado do Mato Grosso.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira