Friday, 18 de October de 2019

ESPORTE


América do Sul

Pilotos vivem situações opostas na terceira etapa do Rally Dakar

14 Jan 2019    12:09    alterado em 14/01 às 12:09
Pilotos vivem situações opostas na terceira etapa do Rally Dakar

O terceiro dia de disputas do Rally Dakar 2019, realizado nesta quarta-feira (dia 9), foi marcado por situações opostas no Monster Energy Honda Team. O argentino Kevin Benavides escalou a classificação, alcançando o segundo lugar da categoria para motocicletas. Já o espanhol Joan Barreda, líder nos dias precedentes, cometeu um erro de navegação e foi obrigado a abandonar a prova.

A longa terceira etapa do Dakar 2019 foi mais complicada do que o previsto. No dia de seu aniversário, Kevin Benavides presenteou-se com um terceiro lugar na etapa que o elevou à segunda posição na classificação geral. Joan Barreda abandonou, Ricky Brabec e “Nacho” Cornejo enfrentaram problemas e Paulo Gonçalves avançou.

Pouco antes de largar do acampamento de San Juan de Marcona para a terceira etapa do Dakar 2019, Kevin Benavides recebeu os parabéns pela passagem de seu 30º aniversário. Na chegada a Arequipa os parabéns foram repetidos, mas por outra razão: o excelente desempenho na etapa. Benavides lutou pela vitória durante todo o percurso mas, ao final, teve de se conformar com o terceiro lugar a meros 2’37 do vencedor. Tal performance o fez subir da oitava para a segunda colocação na classificação geral, a 11’23 do novo líder da competição, Pablo Quintanilla.  

O trecho cronometrado da terceira foi formado por uma parte inicial de 264 km interrompida por uma breve ligação de dois quilômetros e o trecho conclusivo, com 65 km de extensão. A partir daí os competidores precisaram percorrer mais 461 km para alcançar o acampamento em Arequipa, cumprindo assim quase 800 km rodados no dia.

Tamanha quilometragem foi um excelente teste para o português Paulo Gonçalves, que assim colocou à prova seu físico, rodando em um bom ritmo e conseguindo a sexta colocação na etapa. Já Ricky Brabec pagou o preço de ser um dos primeiros a largar, terminando em 12º. “Nacho” Cornejo se atrasou ao necessitar consertar a corrente de sua Honda CRF450 RALLY, danificada por um choque contra pedras.
Contraponto ao bom desempenho de Benavides foi o dia de Barreda, que teve que dizer adeus prematuramente ao Dakar 2019. Largando com os primeiros, enfrentou uma zona pedregosa e por causa da neblina acabou descendo um barranco de onde foi impossível sair e voltar para a rota correta.

Tudo aconteceu na altura do quilômetro 143 e menos de duas horas após o espanhol largar como líder do Dakar. O balanço da participação de Barreda no Dakar 2019 foi a vitória na primeira etapa e duas jornadas como líder da competição. Ele é o piloto em atividade que mais etapas venceu – 23 – mas o sonho de ganhar o Dakar foi mais uma vez arquivado.

Na etapa desta quinta-feira (10), os competidores enfrentarão a primeira parte de uma etapa Maratona. Serão 352 km de trecho cronometrado e um total de 511 km até a chegada ao acampamento de Moquegua, onde não será possível receber nenhuma assistência mecânica além da oferecida pelos próprios competidores.

Kevin Benavides (3º lugar na terceira etapa / 2º lugar na classificação geral das motos) 
“A etapa hoje foi muito longa e aproveitei a minha boa posição de largada para atacar. Eu me senti à vontade na moto, cometi alguns erros de navegação mas ao final o saldo foi positivo. Estou feliz por ter avançado na classificação geral e vou seguir confiante, etapa após etapa. Não foi nada ruim sair da oitava para a segunda posição no dia do meu aniversário.”
 
Ricky Brabec (13º lugar na terceira etapa / 7º lugar na classificação geral das motos)  
“Foi um dia difícil. Muitas dunas e muita navegação. Barreda desceu o lado errado de um barranco e eu realmente tive que passar muito devagar por ali. No quilômetro 178 havia um waypoint realmente difícil que não estava onde o roadbook indicava. Isso me fez passar uns quinze minutos caçando-o e rodei uns 30 quilômetros nessa busca. Apesar do dia ruim é preciso seguir adiante lembrando que o resto do percurso não será nada fácil.”
 
Paulo Gonçalves (6º lugar na terceira etapa / 9º lugar na classificação geral das motos)  
“Foi uma etapa parecida com a de ontem, com muita areia e dunas. Eu me senti à vontade e com mais confiança, consegui estabelecer um bom ritmo. Lamento apenas ter cometido um erro antes do abastecimento, o que me fez perder 10 minutos, mas o mais importante foi que terminei o dia bem. Vou dar o meu melhor na etapa Maratona.”
 
José Ignacio Cornejo (18º lugar na terceira etapa / 14º lugar na classificação geral das motos)  
“O tensionador da corrente se soltou e por muito tempo andei com a corrente solta sem perceber. Isso quebrou uma parte da carcaça do motor, o que resultou em um vazamento de óleo. A sorte foi ter percebido a tempo de dar um jeito na corrente e limitar a perda de óleo. Perdi tempo fazendo o conserto, mas era isso ou abandonar. Espero poder recuperar o tempo perdido nos próximos dias.”
 
Joan Barreda (abandono)
“Nesta terceira etapa o Dakar 2019 acabou para mim. Estava indo bem, abrindo a etapa, e quando cheguei em um trecho montanhoso havia muita neblina. Segui as indicações do GPS e do roadbook, desci um penhasco e quando percebi era impossível sair daquele lugar. Walkner e outros pilotos chegaram logo depois mas ao me verem naquela situação conseguiram frear e dar a volta. Tentei sair dali de todo jeito, mas foi impossível.”
 
Raul Castells – MONSTER ENERGY HONDA TEAM MANAGER
“Foi um dia complicado para nossa equipe. Joan abandonou ao mergulhar em um lugar sem saída e todos os nossos pilotos tiveram algum tipo de problema mas, mesmo assim, Kevin conseguiu terminar na terceira posição da etapa. Ricky sofreu muito por ter largado antes de todos e Nacho teve problemas mecânicos. Paulo está cada vez mais confiante, fez uma boa etapa. Agora nos resta preparar bem os próximos dias, a começar pela etapa Maratona.”

COMPARTILHE:


Confira também:


Divisa de Estados

Governadores Mauro Carlesse e Mauro Mendes destacam aspectos positivos da rodovia Transbananal

Trecho em questão tem cerca de 90 km e corta a Ilha do Bananal, de Formoso do Araguaia (TO) a São Felix (MT).

Saúde

Opera Tocantins realiza quase 70 cirurgias em 10 dias e espera fechar outubro com mais de 150

As cirurgias acontecem em diversas Unidades Hospitalares do Tocantins sempre em horários diferenciado, fora da carga horária ordinária, como sábados, domingos, feriados, dias de ponto facultativo e ou em período noturno/madrugada.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira