Saturday, 11 de July de 2020

ESTADO


Saúde

Alto nível de colesterol pode acarretar problemas no coração

13 Aug 2008

Em 8 de agosto foi celebrado o Dia Nacional de Controle do Colesterol, mas a data não é só um alerta aos riscos que a elevação do colesterol apresenta. É também um convite às mudanças de hábitos alimentares, à prática de exercícios físicos e ao abandono do cigarro. Associado popularmente à gordura, o colesterol na verdade é um álcool em constante circulação no organismo. Fixado em moléculas cientificamente chamadas de lipoproteínas, o colesterol aumenta a probabilidade de manifestação de outras doenças, principalmente as que estão relacionadas ao coração. Quando há o excesso de colesterol no sangue, ele se acumula nas paredes das artérias, levando à aterosclerose. As artérias ficam mais estreitas e o fluxo sanguíneo para o coração é bloqueado.

Como não apresenta sintomas, uma pessoa pode estar com o nível de colesterol alto e não saber. Portanto é indispensável fazer exames para detecção prévia do colesterol e administrar os hábitos alimentares. Para a especialista em nutrição alimentar Najat Ata Hassan, do Ambulatório Evangélico de Palmas, a melhor dica para evitar o colesterol é apostar numa dieta balanceada e nos exercícios físicos. “A primeira modificação está na preparação das refeições do dia. Substituir o óleo por alimentos naturais, evitar o consumo de alimentos de origem animal como o leite de vaca puro, e praticar exercícios físicos regularmente”, orienta Najat.

Quando diagnosticado o excesso de colesterol no sangue, evolui-se o risco de complicações físicas, dependendo do grau de elevação da doença. Os dois componentes mais importantes do colesterol são: LDL (lipoproteína de baixa intensidade), ou seja, o "colesterol ruim" e o HDL (lipoproteína de alta intensidade), o “bom colesterol”. Mas quem está propenso a adquirir a doença? De acordo com a nutricionista, pessoas que se alimentam de forma desregrada, ou que quase sempre – devido à falta de tempo – preferem “comer um lanchinho” nas refeições habituais, podem adquirir a doença. Outra possibilidade seria uma herança genética vinda de parentes próximos onde o colesterol não é metabolizado adequadamente pelo corpo, fazendo aumentar seu nível circulante no sangue.

Hassan explica ainda que aqueles que já possuem elevações nos níveis de colesterol não apenas deve abdicar alimentos ricos em gorduras como também procurar ajuda de um especialista para a manutenção da dieta. Ela aponta que alimentos típicos da região como chambarí, buchada e mocotó são os principais vilões da doença, e sugere a substituição desses alimentos por ervas, frutas e legumes. “É indispensável para o controle do colesterol uma mudança considerável nos hábitos alimentares. Alimentos como aveia e linhaça podem ajudar na diminuição do colesterol”, diz. Controlando a ingestão dos outros alimentos fontes de colesterol, “é possível ingerir carne vermelha, só que em menor quantidade”, finaliza a especialista.

COMPARTILHE:


Confira também:


Coronavírus

Prefeito de Araguanã morre de Covid-19

Licenciado para tratamento da Covid-19, o prefeito Hernandes da Areia não resistiu à doença e veio a óbito neste sábado.

Pandemia

Tocantins contabiliza 430 novos casos confirmados da Covid-19; já são 251 óbitos

Atualmente, o Tocantins apresenta 14.939 casos no total, destes, 9.247 pacientes estão recuperados, 5.441 pacientes estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar e 251 pacientes foram a óbito.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira