Tuesday, 02 de June de 2020

ESTADO


Palmas

Alunos em defesa do trânsito

17 Dec 2008

Alunos do curso de pós-graduação em Gestão e Segurança no Trânsito trabalham em projetos que têm por objetivo principal apresentar propostas para solucionar os problemas encontrados no trânsito de Palmas. Convidada a participar de uma discussão em uma das aulas do grupo, a equipe do jornal O GIRASSOL esteve com os estudantes para entender os principais problemas e ouvir suas propostas sobre o tema.

De acordo com os alunos, o grande problema não está na política de trânsito adotada na Capital - que, segundo eles, é voltada para corrigi-los à medida em que vão surgindo - mas na falta de educação no trânsito por parte dos condutores. “Falta educação e consciência cidadã ao condutor”, lamenta o aluno Meceno Neto.

Segundo os alunos da turma, em Palmas, há dois tipos de condutores: aqueles que não sabem como se comportar em estrutura de Capital, por terem vindo de cidades menores do interior do Estado; e pessoas que vêm de grandes capitais, que estão acostumadas com um fluxo maior de trânsito e, quando se deparam com avenidas largas e menos movimentadas, acabam se excedendo.

Para os alunos, as campanhas de conscientização ainda são a melhor alternativa para educar e melhorar o trânsito na Capital. Por esse motivo, a turma está trabalhando em projetos de educação a partir dos problemas identificados, apresentando sugestões de como ampliar as ações educativas. Os estudantes acreditam que esse seja o meio para solucionar a problemática. “Estas ações devem acontecer de forma continuada e devem avançar de forma rápida”, explica Meceno. Os projetos serão todos encaminhados à ATTM.

Dentre os assuntos discutidos durante a conversa, alguns temas foram levantados, como a aplicação de multas e as polêmicas rotatórias espalhadas pela cidade. De acordo com o grupo, a aplicação de multas é um bom instrumento utilizado para pressionar o condutor, apesar de ser apenas em parte eficiente, já que, na ausência de fiscalização, o condutor acaba fugindo às regras. Mais uma vez, a discussão remete à importância de se investir na conscientização e na educação dos condutores.

Com relação às rotatórias, elas são vistas como uma solução por unanimidade dos alunos. Segundo eles, as rotatórias são feitas para sanar o problema do trânsito. A justificativa é que a maior parte dos acidentes graves não acontece nelas, mas nos semáforos. “Se tirarem as rotatórias para colocar semáforos, o número de acidentes será ainda maior”, alerta Manoel Messias Dias Pinto, aluno da turma. “As pessoas não sabem utilizar e muitos dos que sabem não respeitam”, acrescenta Manoel. O problema novamente é a falta de educação e a instrução do condutor quanto ao uso da rotatória.

A principal orientação dos alunos é que os condutores passem a praticar a direção defensiva, em que o condutor planeja previamente o trajeto a percorrer e como percorrer esse trajeto, o que pode prevenir grande parte dos acidentes. “Antes de chegar à rotatória, deve-se saber para onde quer ir”, explica Marcus Vinícius Silva, estudante do curso.

Devido ao fato de o tema ser de extrema importância e do interesse de muitos, os alunos acreditam que essas discussões devam ser divulgadas. Para isso, eles criaram o blog: www.gestaoesegurancanotransito.blogspot.com

COMPARTILHE:


Confira também:


Campanha Educativa

Polícia Civil do Tocantins participa de operação de prevenção à Covid-19 em Palmas, Araguaína e Gurupi

Abordagens são educativas e buscam prevenir o avanço da Covid-19

Covid-19

Tocantins confirma 141 novos casos da Covid-19

Os dados contidos no boletim são consolidados com resultados de exames realizados no Lacen e notificações recebidas dos municípios até as 23:59h do último dia.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira