Monday, 16 de September de 2019

ESTADO


Gurupi

Coleta Seletiva é tema discutido em simpósio

21 Aug 2008

Em Gurupi, são produzidas 80 mil toneladas de lixo todos os dias. Deste número, 99% do lixo pode ser reaproveitado, porque 59% é material orgânico; 40% é constituído de papel, metal, papelão, plástico, vidro, dentre outros, e menos de 1% é considerado lixo hospitalar, que deve ser descartado.

Gurupi conta com o programa de coleta seletiva desde 2006, para reaproveitar o lixo desperdiçado, que é depositado no aterro sanitário. A iniciativa foi da estudante da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e coordenadora do Programa de Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos na Administração Pública, Marilene Alves, que foi motivada a realizar esse trabalho depois de um acidente com a filha, que pisou em um caco de vidro. Marilene expôs que, até aquele dia, não sabia que vidro poderia causar tétano, só descobriu depois do acidente e do diagnóstico do médico.

A coordenadora explicou que certo dia resolveu montar uma equipe para fazer uma limpeza no córrego Pouso do Meio, ela disse que ficou surpresa com a quantidade de lixo encontrado no local. Segundo ela, havia dentro do córrego, geladeira, fogão e vários tipos de materiais que não deveriam estar ali.

O trabalho conta com o apoio de vários órgãos governamentais e empresas privadas. Ela ressalta que a parceria dos supermercados que estão trocando as sacolas comuns pelas biodegradáveis tem sido bastante importante, já que as biodegradáveis levam um prazo de no máximo oito meses para se decompor, enquanto as sacolas comuns levam em torno de cem anos.

 

 

Coordenadora quer despertar mudança de hábitos na sociedade


O simpósio, que aconteceu no último dia 12, no auditório do campus I Unirg, teve a presença de mais ou menos 220 pessoas, entre elas, o prefeito Alexandre Abdalla (PR), que, na oportunidade, parabenizou Marilene pela iniciativa e colaboração na preservação do meio ambiente. Abdalla também disse que a culpa da jovem ter encontrado vários resíduos no córrego é da prefeitura por não ter o serviço de coleta. De acordo com o prefeito, esta realidade vai mudar. Ele enfatizou que a medicina trabalha muito com o tratamento preventivo, mas, segundo ele, este tratamento não pode ficar apenas nos postos de saúde, pois cidade limpa é cidade saudável.

De acordo com Marilene, além do apoio dos órgãos e empresas privadas, a mídia tem colaborado muito para a conscientização das pessoas. “Em 2006, quando implantamos o projeto, tínhamos vários parceiros, mas, há cerca de três meses a mídia aderiu a este trabalho e o resultado tem sido gratificante e surpreendente” enfatizou.

O trabalho de coleta seletiva vai além da separação do lixo, a coordenadora quer despertar na população a mudança de hábitos. Ela afirma que, para esta mudança acontecer, basta apenas as pessoas quererem.

COMPARTILHE:


Confira também:


Alerta

Brasil tem 16 estados com surto ativo de sarampo; Tocantins está fora da lista

O último boletim aponta que são 24.011 casos suspeitos no país, sendo que 17.713 (73,8%) estão em investigação e 2.957 (12,3%) foram descartados.

Turismo

Ayres quer debater turismo e preservação do Jalapão em audiência pública

No requerimento, o parlamentar solicita a presença dos órgãos estaduais para que possam unir forças e atuações em prol do desenvolvimento sustentável e ambiental correto da atividade turística na região.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira