Wednesday, 16 de January de 2019

ESTADO


MPE

MPE requer redução do número de servidores comissionados na Câmara Municipal de Palmas

25 Apr 2018    21:01
Ronaldo Mitt MPE requer redução do número de servidores comissionados na Câmara Municipal de Palmas

O Ministério Público Estadual ajuizou Ação Civil Pública nesta terça-feira, 24, na qual requer a redução do número excessivo de cargos de provimento em comissão da Câmara Municipal de Palmas. Atualmente, o Legislativo palmense possui preenchidos 328 cargos em comissão e 49 cargos efetivos, de modo que os servidores sob contratação precária representam 87% do quadro da Casa de Leis.

Na Ação Civil Pública, pede-se que o número de cargos comissionados seja reduzido de forma que passe a existir uma proporção de 50% de servidores efetivos e 50% de comissionados, aplicando-se o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que deve haver proporcionalidade entre o número de efetivos e comissionados na administração pública.

Na situação atual, além de contrariar o dispositivo constitucional que estabelece o concurso público como regra para o ingresso no serviço público, a Câmara Municipal fere o princípio constitucional da moralidade administrativa, segundo o entendimento do Ministério Público.

Posse dos concursados

Proposta pela 9ª Promotoria de Justiça da Capital, a Ação Civil Pública lembra que, este ano, a Câmara Municipal realizou concurso público para o provimento de 49 cargos, mas ressalta que a posse dos aprovados não será suficiente para reverter a enorme disparidade entre a quantidade de servidores efetivos e comissionados.

“Acaso venham a ser nomeados imediatamente todos os 42 candidatos eventualmente aprovados no certame em alusão, previsto para ser homologado em 12 de julho de 2018, conforme cronograma constante do Edital n° 001/2018, ainda assim, ter-se-ia um quantitativo exorbitante de 328 cargos de provimento em comissão, para apenas 91 cargos efetivos”, pontua o Promotor de Justiça Edson Azambuja no texto da Ação Civil Pública. Nesta situação, a proporcionalidade seria de 78% de servidores comissionados contra apenas 22% de efetivos.

Inspeção do TCE

O Ministério Público instaurou inquérito civil e solicitou fosse efetuada inspeção pelo TCE junto à Câmara Municipal, com o objetivo de apurar a legalidade do quantitativo de servidores da Câmara Municipal de Palmas.

A Ação Civil Pública foi fundamentada em relatório de inspeção do Tribunal de Contas do Estado (TCE), do ano de 2016, que relata o excesso de servidores comissionados e uma série de outras irregularidades relacionadas a este fato.

Segundo o relatório, a estrutura física do gabinete dos vereadores não comporta a quantidade de servidores lotados. Atualmente, dos 328 servidores comissionados, 192 são assessores parlamentares. Também não existe regulamentação que autorize os servidores a exercer suas atribuições externamente nem há evidência de que o trabalho tenha sido executado.

Sobre os servidores lotados na Diretoria-Geral e Mesa Diretora, foi comprovado na inspeção que diversos deles não exercem suas atividades, não tendo sido encontrados no prédio e restando comprovado, por meio de entrevistas, que os diretores da Casa sequer os conhecem. A auditoria do TCE também concluiu que não existe espaço físico e equipamentos compatíveis com a quantidade de servidores lotados na Diretoria-Geral e na Mesa Diretora.

Ainda de acordo com o relatório, há muitos servidores contratados sem efetivamente prestar serviços e muitas das admissões são realizadas por interesse eleitoreiro.

Outras irregularidades

A Ação Civil Pública sustenta também que a criação de cargos de assessor parlamentar, assessor de gabinete da presidência, assessor das lideranças e assessor das comissões permanentes, da forma como ocorreu, feriu a Constituição Federal, por não ter sido estabelecida nenhuma exigência de nível de escolaridade.

Ainda é sustentado que os salários dos servidores efetivos e comissionados da Câmara foi estabelecido de forma irregular, por meio de resolução, e não por meio de lei específica, como determina a Constituição Federal.

No pedido de liminar, o Ministério Público requer também que essas situações sejam corrigidas por meio de leis a serem aprovadas pela Câmara Municipal.

Outras ações

Em março deste ano, o Ministério Público Estadual ingressou com três outras ações visando a organização dos serviços na Câmara Municipal de Palmas. Uma delas requer a instalação de sistema biométrico de registro de frequência eletrônica e a regulamentação da carga horária dos servidores da Casa, estabelecendo-se jornada de trabalho de 40 horas s emanais. As outras ações pedem que seja melhor estruturado o setor de Controle Interno da Câmara e que seja suspenso item do Edital n° 001/2018, referente ao concurso público da Casa de Leis, que versa sobre a existência apenas de cadastro de reserva para o cargo de Procurador.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

95

PARABÉNS!
PARABÉNS!

71

BOM
BOM

87

AMEI!
AMEI!

73

KKKK
KKKK

73

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

74

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

73

CREDO!
CREDO!

Leia por assunto:

Ação Civil Pública Câmara Municipal de Palmas Cargos

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


Tocantins

Presidente da ATM se reúne com comando da Polícia Militar para discutir medidas de segurança aos prefeitos

Gestores relatam à Associação preocupação com falta de segurança após atentados contra prefeitos; Medida é apresentada pela PM

Réu

Justiça de Goiás aceita mais uma denúncia contra João de Deus

A denúncia aceita pela magistrada foi feita terça (15) pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO). De acordo com o MP, 13 casos de crimes sexuais ocorreram entre o início de 1990 e meados de 2018.



Brasília

Bolsonaro diz a Macri que confia na modernização do Mercosul

O presidente citou ainda que percebe, na união entre Brasil e Argentina, “firme determinação” no combate ao crime organizado, citado por ele como um mal que angustia famílias que há muito não toleram os níveis de violência a que o país chegou.


Defensoria

Luna, a assistente virtual da Defensoria Pública, já realizou mais de 360 atendimentos

O serviço está implantado há apenas 43 dias, alcançando, até o momento, uma média aproximada de nove atendimentos diários desde o próprio lançamento


Pium

Sistema de monitoramento por câmeras é adotado por Cadeia Pública

A adoção do monitoramento por câmeras é resultado de uma força-tarefa realizada pela equipe da unidade prisional.


Seduc

Educação informa período de confirmação de matrículas


Serviço

Marriott International anuncia Bonvoy - o novo nome do seu programa de fidelidade


Síndrome do viajante

Viagens longas podem causar trombose e até embolia pulmonar


Tocantins

Sistema Socioeducativo inicia formação do Cadastro Reserva com foco no avanço da Política Socioeducativa


Educação

Pela primeira vez, estudantes haitianos se formam na UNILA


Geral

Battisti se diz mudado e doente, relatam policiais que o acompanharam



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira