Sunday, 08 de December de 2019

ESTADO


Estado

UHE Estreito terá mais uma estação sismológica na área de abrangência

11 Mar 2009

O Programa de Monitoramento Sismológico da Usina Hidrelétrica Estreito (UHE Estreito), que estuda as atividades sísmicas na área de abrangência do empreendimento, instalará em breve a segunda estação sismológica no município de Carolina (MA).

Para a execução do programa, antes e após o enchimento do reservatório da UHE Estreito, o Consórcio Estreito Energia (Ceste) já adquiriu os novos kits sismográficos, utilizados para detectar e medir ondas sísmicas. Cada kit é composto por um sensor, que capta os sinais de vibrações do solo, um digitalizador e uma antena de GPS.

De alta tecnologia, os aparelhos são utilizados para identificar se tem alguma atividade sísmica natural, bem como detectar e medir a sismicidade induzida. Os dados coletados são transmitidos, em tempo real, para o Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UNB), responsável pelo monitoramento sismológico.

De acordo com o técnico em sismologia da UNB, Juraci Carvalho, a primeira estação sismológica da UHE Estreito, instalada no município de Palmeiras do Tocantins, em junho de 2008, não detectou atividade sísmica natural próxima a área do futuro reservatório. “A região compreendida pela UHE Estreito não apresenta significante sismicidade. Com esses dados será possível fazer uma análise comparativa com as informações a serem coletadas após o enchimento do lago”, disse.

O especialista da UNB ressaltou ainda que duas estações sismológicas, instaladas em pontos estratégicos, são suficientes para fazer o controle das atividades sísmicas ao longo da área do futuro reservatório do empreendimento, no entanto, se houver alguma atividade de sismos induzidos será necessário o adensamento da rede para possibilitar um melhor estudo.

O gerente de Meio Ambiente do Ceste, Marcos Duarte, explica que o monitoramento sismológico é importante não só para esclarecer a comunidade dos municípios abrangidos pelo empreendimento, como também servirá de base para as pesquisas acadêmicas. “As informações levantadas por este programa ambiental serão destinadas para o banco de dados dos órgãos ambientais, universidades e demais instituições de pesquisas, uma vez que o monitoramento está ligado à rede nacional sismográfica”, enfatiza.

COMPARTILHE:


Confira também:


COP 25

Agenda do Estado na COP 25 busca investimentos para a estratégia Tocantins 20-40 e para o programa Pátria Amada Mirim

Reuniões com investidores europeus e participação ativa na Amazon-Madrid também estão no cronograma

Câmara

Damaso integra comissão especial que irá debater PEC da 2ª instância

A Constituição estabelece que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória. Atualmente, o trânsito em julgado ocorre depois do julgamento de recursos aos tribunais superiores


CGE

Controladoria e parceiros realizam evento em alusão ao Dia Internacional Contra a Corrupção nesta segunda, 9

Programação contará com premiação de vencedora da rede estadual do Concurso de Desenho e Redação da CGU sobre o mesmo tema.


Carlesse

Carlesse participa da troca de comando no Corpo de Bombeiros e destaca importância de uma mulher assumir o 1º Batalhão

Tenente-coronel Andreya de Fátima Bueno é a primeira mulher a assumir o posto de comando de batalhão no Estado


Palmas

Arte leva esperança e tranquilidade aos pacientes do HGP


Infraestrutura

Governo realiza recuperação de pontos críticos da TO-239 entre Itacajá e Itapiratins


Região central

Polícia Civil conclui investigações sobre estupro de vulnerável em Miranorte


Solidariedade

Governo atende mais de 30 aldeias indígenas no Tocantins com o Criança Feliz


Capital por um dia

Governador anuncia implantação de Colégio Cívico-Militar em Miracema


"Salve Maria"

Modelo do aplicativo “Salve Maria” poderá ser implantando no TO



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira