Saturday, 14 de December de 2019

GERAL


Willamara Leila

“Conseguimos excelentes resultados”

22 Jun 2010

A presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), desembargadora Willamara Leila, fala dos projetos desenvolvidos no judiciário, das conquistas que alcançadas em prol da população tocantinense e também comenta sobre a atual situação do concurso do quadro geral do Estado. Confira, abaixo, a entrevista.

 
O GIRASSOL - Desembargadora Willamara Leila, quais são os resultados da Justiça Móvel no Tocantins?

WILLAMARA LEILA - Os resultados são excelentes, muito satisfatórios. Em Palmas, de 89 ocorrências atendidas pela Justiça Móvel, 73 deram acordo, apenas 6 sem acordo, 6 ilegítimas e 4 evadiram do local antes que a viatura chegasse. Em Gurupi, de 55 ocorrências, 53 acordos e somente 2 não obtiveram êxito na conciliação. Em Araguaína, foram realizados 80 atendimentos, sendo 77 acordos e 3 não deram acordo. Como podem observar, os números são muito bons, uma média de 98% de êxito no Projeto Justiça Móvel em todo o Estado.

 
Além do projeto Justiça Móvel, o TJTO tem outros projetos. Como são realizados? Qual a contribuição e os resultados obtidos?

WILLAMARA LEILA - Vários são os projetos no Poder Judiciário, em todos graças a Deus obtemos êxito. Implantamos o Espaço Saúde no Poder Judiciário, com atendimento aos servidores e familiares, a Junta Médica, onde os pedidos de licença médica são levados e realizados em tempo hábil, adquirimos uma ambulância mini UTI, para cobertura em todo o Estado, caso servidor ou familiar de servidor necessite ser transportado para outra cidade onde obterá cuidados médicos específicos à sua patologia. Criei dentro do TJTO a Diretoria de Obras, onde todos os projetos arquitetônicos de construções, reformas e ampliações são executados, agilizando a execução das obras em todo o Estado. Outra inovação no meio Jurídico são as Unidades Judiciárias, que serão construídas nas cidades que não são sede de Comarcas, fazendo com que o cidadão não tenha que se deslocar de seu município para buscar seus direitos. O juiz e o escrivão irão ao encontro do cidadão que anseia por justiça. São inúmeros os avanços no Poder Judiciário Tocantinense. Em todos o beneficiado direto é a população.

 
Quais ações/projetos que a senhora tem articulado para melhorar/agilizar a justiça tocantinense?

WILLAMARA LEILA - Realizamos ano passado a Meta 02, o que agilizou muitos processos. Tivemos ainda a Semana da Conciliação o que contribuiu satisfatoriamente na diminuição de processos a serem julgados. Empossamos mais de 40 juízes, lotando-os nas comarcas com maior número de processos em espera para serem julgados. Quando já resolvidas as demandas, os mesmos são remanejados para as comarcas com grande volume de processos.

 
O TJTO começou uma série de entregas de novos fóruns e também reforma de outros em vários municípios do Tocantins. Qual será o benefício real para a população tocantinense?

WILLAMARA LEILA - Melhor prestação jurisdicional, atendimento com qualidade e eficiência, locais propícios e higiênicos para a lida diária do serventuário da Justiça. Tudo isso contribui numa eficiência no atendimento à população, garantindo os direitos dos cidadãos.

 
Recentemente o TJTO enfrentou uma greve longa por parte dos servidores. A presidente acha que com o acordo estabelecido, o bom relacionamento entre as partes voltou a vigorar dentro do Tribunal?

WILLAMARA LEILA - O bom relacionamento sempre vigorou entre a Gestão 2009/2011 e os servidores do Poder Judiciário. O impasse aconteceu devido à solicitação de direitos, os quais já estamos fazendo os estudos, estudos estes realizados pela Comissão formada por servidores e membros do Sindicato. Tão logo teremos o plano revisto e atualizado, beneficiando a todos os servidores, preocupação maior desta gestão.

 
Muito tem se falado na demora do julgamento do concurso do quadro geral do Tocantins. O que a senhora explica às milhares de pessoas que fizeram o certame?

WILLAMARA LEILA - O TJTO já se manifestou sobre o concurso, decidiu por continuar, não adiando, não vendo necessidade disso. O processo voltou à primeira instância a fim de que o julgamento prossiga.  

Em sua opinião de jurista, qual seria melhor opção para o Estado, cancelar o atual concurso e fazer um novo levantamento das vagas existentes e abrir um novo concurso? Ou dar prosseguimento a este já realizado?

WILLAMARA LEILA - Como se trata de processo em andamento é melhor aguardarmos o resultado, a decisão, o que certamente dará alívio às partes. O princípio que vigora na administração é o da economicidade e não resta dúvida de que, estando tudo dentro da legalidade, o prosseguimento é o melhor caminho. Se houver impedimento legal, naturalmente outro deve ser realizado, seguindo todos os trâmites legais. 

COMPARTILHE:


Confira também:


SSP

Polícia Civil prende três pessoas e apreende 10,5 kg de pasta base de cocaína

Policiais monitoraram por cinco meses atuação criminosa. Droga era oriunda do estado do Mato Grosso.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira