Tuesday, 10 de December de 2019

GERAL


Serviço

Aumentam lesões e doenças do trabalho; Conheça os sintomas

23 Sep 2009

As lesões por esforço repetitivo (LER) são um conjunto de doenças que atingem músculos, tendões, nervos e articulações e decorrem de sobrecarga no trabalho sobre o sistema músculo-esquelético. Denominadas também pela Previdência Social como distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort), ocorrem principalmente nos membros superiores (dedos, mãos, punhos, antebraços e braços) e são cada vez mais frequentes. (Informações do Jornal do Senado)

 

 

Empresas negam vínculo entre doença e trabalho e não fornecem documento

A partir da década de 70, as LER/Dort tiveram rápido crescimento nos ambientes de trabalho em todo o mundo. No Brasil, casos de tenossinovite (inflamação de tendões) entre digitadores nos anos 80 suscitaram reivindicações que levaram a Previdência Social a incluí-la no rol de doenças do trabalho.

Em 1993, norma técnica instituiu o termo LER, ampliando o conceito e concedendo direitos previdenciários a portadores dessas doenças. Em 2007, o Decreto 6.042 estabeleceu um sistema de nexo epidemiológico que regulamentou mudanças na caracterização das doenças relacionadas ao trabalho.

Mas, segundo o médico do trabalho Rogério Dornelles, as empresas costumam negar esse nexo e não emitem a Comunicação de Acidentes e Doenças do Trabalho (CAT), obrigatória para todos os casos. Excluir o direito do trabalhador à estabilidade de um ano após o retorno e evitar o aumento da contribuição ao INSS devido ao incremento de casos de acidentes e doenças do trabalho na empresa são algumas das intenções dos empregadores.

 

 

LER é uma das principais causas de afastamento

Levantamento realizado pelo Ministério da Previdência Social mostra que, entre outubro de 2008 e janeiro de 2009, as LER/Dort foram os principais motivos de afastamento temporário com concessão de benefícios de natureza previdenciária e acidentária, ao lado dos afastamentos por transtornos mentais. Segundo o diretor do Departamento de Saúde e Segurança Ocupacional do ministério, Remigio Todeschini, os dados permitem especificar a incidência dessas doenças e de acidentes de trabalho.

O senador Paulo Paim (PT-RS) aponta, como forma de coibir acidentes de trabalho, uma redução na jornada sem diminuição do salário. “Morrem mais pessoas nos acidentes de trabalho do que nas guerras. Isso já foi demonstrado, pois a preocupação com a produção é maior do que com a vida”, afirma, defendendo o fortalecimento das comissões internas de prevenção de acidentes (Cipas).

Entre os mais atingidos pelas LER/Dort, estão digitadores, operadores de telemarketing, caixas (bancos e comércio em geral), trabalhadores de linha de montagem e produção, escriturários, e trabalhadores em comunicações, confecções, indústrias alimentícias e gráficas.

 

 

Algumas doenças que podem ser consideradas LER/Dort

• Tenossinovite e tendinite: inflamação de tendões.

• Epicondilite: inflamação de músculos e tendões do cotovelo.

• Bursite: inflamação das bursas (pequenas bolsas de líquido localizadas em pontos em que os músculos ou tendões encostam em umo osso).

• Síndrome do túnel do carpo: compressão de nervo no punho.

• Síndrome cervicobraquial: dor nos braços e na cervical.

• Doença de Quervain: inflamação nos tendões do polegar.

 

Projetos de Lei

O PL 5.638/09, do deputado Paulo Roberto Pereira (PTB-RS), obriga o empregador rural a conceder ao trabalhador uma pausa de 15 minutos a cada duas horas. A proposta está sendo analisada com o PL 4.431/08, do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), que fixa jornada de trabalho de 44 horas semanais com duas pausas obrigatórias de dez minutos para o trabalhador safrista.

O PL 317/07, do deputado Fábio Souto (DEM-BA), determina que o empregador deve implantar ginástica laboral para empregados cujas atividades exijam movimentos repetitivos, posturas incorretas ou ausência de movimentos. A proposta tem o mesmo objetivo do PL 6.231/05, do deputado Fernando de Fabinho (DEM-BA).

 

 

Fatores de risco

Trabalho automatizado, sob pressão, em que o trabalhador não tem controle sobre suas atividades (caixa, digitador, operador de telemarketing e outros).

• Obrigatoriedade de manter o ritmo acelerado para garantir a produção.

• Trabalho fragmentado, em que cada um exerce uma única tarefa de forma repetitiva.

• Trabalho rigidamente hierarquizado, sob pressão permanente das chefias.

• Número insuficiente de funcionários.

• Jornadas prolongadas de trabalho, com frequente realização de horas extras.

• Ausência de pausas durante a jornada de trabalho.

• Trabalho realizado em ambientes frios, ruidosos e mal ventilados.

• Mobiliário inadequado (cadeiras, mesas etc.), que leva a posturas incorretas.

 

 

Medidas de prevenção

Controle do ritmo de trabalho pela pessoa que o executa.

• Enriquecimento das tarefas, não permitindo a fragmentação do trabalho.

• Eliminação das horas extras.

• Pausas durante a jornada de trabalho para que músculos e tendões descansem, sem aumento do ritmo ou do volume de trabalho.

• Adequação do posto de trabalho para evitar posturas incorretas. Mobiliário e máquinas devem ser ajustados às características físicas individuais dos trabalhadores.

• Ambiente de trabalho com temperatura, ruído e iluminação adequados.

• Fiscalização nos ambientes de trabalho pela comissão interna de prevenção de acidentes (Cipa), Delegacia Regional do Trabalho e Emprego, sindicato e centros de referência em saúde do trabalhador (Cerest).

• Cláusulas nos acordos coletivos de trabalho que privilegiem a prevenção de doenças do trabalho ou profissionais, tratamento e reabilitação dos trabalhadores.

• Implantação de programas de ginástica laboral, com duração de 8 a 12 minutos por dia, de cinco a seis vezes por semana. Segundo João Ricardo Oliveira, professor de educação física e instrutor de ginástica laboral, existem três tipos de ginástica utilizados pelas empresas:

• compensatória, praticada antes do expediente de trabalho – tem como objetivo proporcionar aquecimento para o trabalhador;

• de pausa, praticada no meio do expediente – para aliviar tensões e fortalecer músculos;

• de relaxamento, praticada após o expediente do trabalho – proporciona relaxamento muscular e mental.

COMPARTILHE:


Confira também:


Bolsa Família

CAIXA INICIA AMANHÃ PAGAMENTO DO ABONO NATALINO DO BOLSA FAMÍLIA

Mais de 13 milhões de famílias serão beneficiadas com o pagamento adicional, a partir do dia 10 de dezembro

PAGH-Cirúrgico

Governo realiza mais de 50 procedimentos cirúrgicos pelo Opera Tocantins no final de semana

Cinco unidades geridas pelo Executivo Estadual receberam pacientes devidamente regulados


Tom Lyra

Presidente da Adetuc participa de audiência pública sobre o programa Investe+ Turismo

Na ocasião, o presidente apresentou os resultados positivos das ações do Governo e destacou o aumento do fluxo de turistas no Tocantins, o que fomenta a economia e, consequentemente, fortalece as atividades produtivas geradoras de emprego e renda, além de


Homenagem

Sessão solene homenageia transferência da capital para Miracema

O presidente da Casa relembrou as dificuldades para a implantação do Estado. "Por isso, temos a obrigação de dar continuidade ao trabalho iniciado", disse.


Educação

Delegação tocantinense viaja a São Paulo em busca de medalha de ouro na Olimpíada de Língua Portuguesa


Sanidade

Tocantins reduz em 66% os focos de raiva dos herbívoros e retira 13 municípios da obrigatoriedade da vacinação


Madrid

Na COP 25, Ayres participa de reuniões sobre negociação de créditos de carbono


Alvorada

Polícia Civil prende no Sul do Estado homem em flagrante por tráfico de drogas


Futebol

Amistoso marca encerramento do ano na Escolinha de Futebol Nilton Santos, em Palmas


Saúde

Grupo de Autocuidado em Hanseníase de Palmas realiza último encontro de 2019



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira