Tuesday, 16 de July de 2019

GERAL


Saúde

Justiça bloqueia recurso do Estado a partir de ação da Defensoria em Guaraí

13 Mar 2019    11:11
Divulgação Justiça bloqueia recurso do Estado a partir de ação da Defensoria em Guaraí

Em sentença estabelecida pela Justiça a partir de uma Ação de Obrigação de Fazer Com Tutela de Urgência movida pela Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) em Guaraí, o Governo do Estado teve um total de R$ 14.200,00 bloqueados, judicialmente, para garantir a internação compulsória, em clínica especializada em tratamento de dependentes químicos, do irmão de uma assistida que buscou pelo amparo jurídico da Defensoria no município, localizado a 177 km de Palmas.

De acordo com a ação da Defensoria, “a internação em entidade de desintoxicação constitui medida de alto custo, não tendo a família do Segundo Requerido [o irmão da assistida] condições financeiras de arcar com o pagamento, devendo, portanto, o Estado do Tocantins, e não o Município [de Guaraí], custear o tratamento, ou disponibilizar tratamento equivalente e igualmente eficaz, em clínica pública especializada ou em clínica particular”.

Conforme indicam entidades especializadas no tratamento de dependentes químicos, o prazo mínimo de duração da intervenção deve ser de seis meses, podendo chegar a um ano. Com base na decisão, o valor bloqueado judicialmente irá custear, aproximadamente, 11 meses de tratamento do irmão da assistida em um centro de reabilitação em Goiânia, capital do Goiás.

Medida extrema

Apresentada no último mês, a sentença favorável à ação explicitou, nos próprios autos, que “o direito à vida, à saúde e à dignidade da pessoa humana é garantido constitucionalmente, sendo dever do Estado, em qualquer esfera, seja Federal, Estadual e Municipal, adotar medidas para a sua garantia”. De acordo com o defensor público Adir Pereira, responsável pela ação, o contexto de pânico no qual se encontra a família afetada exigiu uma medida mais extrema junto à Justiça.

“A internação compulsória em clínicas para desintoxicação e tratamento da drogadição é uma medida extrema, utilizada apenas como última alternativa, quando o tratamento ambulatorial não surte efeito. A Defensoria Pública sempre busca a solução extrajudicial da demanda por este tipo de tratamento de saúde, porém, em razão da inexistência de clínicas no Tocantins, o pleito judicial acaba sendo a única alternativa para garantir o direito ao tratamento necessário à recuperação. Sempre ficamos muito sensibilizados com o sofrimento dos familiares, que chegam à Defensoria com um pedido de socorro e extremamente abalados”, disse o defensor público.

Entenda o caso

Conforme consta na ação movida pela Defensoria, fundamentada nos relatos da assistida e em laudos médicos, a internação compulsória do irmão da mulher que procurou por assistência jurídica da Instituição se faz necessária visto o “alto grau de dependência química” do mesmo. Também segundo a assistida, o irmão dela, hoje com 37 anos e usuário de drogas ilícitas desde os 20, apresenta comportamento agressivo e violento contra ela e a mãe dos dois, com quem ele reside, além de já ter destruído alguns bens de ambas e furtado outros para vender e adquirir mais drogas, ações que inviabilizam a manutenção da convivência familiar.

Devido a isto e por perturbar, constantemente, os vizinhos e conhecidos em busca de dinheiro, alimentos e bebidas alcoólicas, ainda conforme consta na ação, a família já tentou interná-lo, porém, o mesmo, que foi tratado, em duas ocasiões, pelo Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Colinas do Tocantins, o que se mostrou ineficaz, se nega a um novo tratamento.

A ideia da internação compulsória foi fortalecida após o laudo médico apontar, enfim, que o irmão usuário de drogas se trata de uma “pessoa agressiva e sem o discernimento necessário para entender a necessidade de um tratamento médico para sua melhora”.

COMPARTILHE:


Confira também:


Siqueira no Senado

Governador Wanderlei Barbosa prestigia posse de Siqueira Campos no Senado

Durante discurso, Wanderlei Barbosa ressaltou a importância história de Siqueira Campos, como líder fundamental na criação do Tocantins.

TJTO

Juíza determina que o Estado e o município de Palmeirópolis forneçam, em 10 dias, remédio contra hanseníase a paciente

O descumprimento da sentença acarretará em multa diária de R$ 1mil (individualizada em R$ 500,00 para cada uma das partes requeridas - Estado e o Município) e limitada a R$ 30mil


Formação

Unitins traz Viviane Mosé para evento de qualificação de professores

Professora há mais de 30 anos, a palestrante é reconhecida nacionalmente pela atuação na área educacional


Luto

Morre a Auditora Fiscal Elizabeth Leda, aos 73 anos

Irmã da também Audiora Fiscal, Ana Maria Leda Barros e tia do vereador Rogério Freitas, Dra Beth no início da implantação do Estado do Tocantins exerceu o cargo de Coordenadora de Recursos Humanos do Estado


Norte do TO

Polícia Civil prende mais um suspeito de participar de homicídio de adolescente em Araguaína


Cidades criativas

Quatro cidades do Brasil concorrem a títulos na Unesco


Grupo Record

Portal R7 ganha novas cores em ação dia e noite da Benegrip


Tocantins

Grupos de Ajuda Mútua dão apoio a dependentes químicos e familiares durante e após recuperação


Reforma

Damaso vota por regra de transição diferenciada para professores e policiais


Influencer

Gabriel Farhat comanda direção artística de novo projeto musical



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira