Tuesday, 31 de March de 2020

GERAL


Saúde

O chá nosso de cada dia

05 Nov 2008

Posicionado em segundo lugar no ranking dos líquidos mais consumidos no mundo, o chá só perde para a água. Pesquisa realizada por um dos principais fabricantes da bebida no Brasil, a Dr. Oetker Brasil, aponta um crescimento de 30% no mercado brasileiro de chás seco, nos últimos cinco anos. Isso graças à versão em saquinho, introduzida por aqui no início da década. Aos poucos, o país do cafezinho se rende à cultura milenar oriental.

Em Palmas, a farmacêutica Keli Parus afirma que houve um aumento significativo na procura por chás, principalmente os considerados emagrecedores, que, segundo ela, atuam mais com efeito diurético que na queima de gordura. “Apesar de a pessoa perder peso, essa perda está mais relacionada à perda de líquido que de gordura”, explica Keli.

Mas um dado importante: chás mesmo são os derivados da planta Camellia Sinensis, que são os chás preto, verde, branco e oolong. O que não tiver esta origem não é chá, e, sim, infusão. As folhas da Camellia Sinensis são ricas em compostos fenólicos, substâncias capazes de debelar a ação dos radicais livres, moléculas nocivas acusadas de estar envolvidas em males que vão da aterosclerose ao câncer.

Infusões são todos os outros tipos de bebidas feitas a partir da imersão de folhas, flores e frutas em água quente. Algumas plantas, especialmente ervas, podem ser preparadas em forma de chá. Além de darem mais sabor à infusão, elas têm propriedades que podem auxiliar no tratamento de doenças. (Veja, abaixo, alguns tipos de infusões e seus benefícios).

As virtudes medicinais dos chás são de conhecimento milenar. É inegável o potencial de cura pelas ervas. Tomando chás, além da hidratação, podemos potencializar os benefícios com as propriedades específicas de cada planta e, ainda, ajudar o metabolismo no processo de desintoxicação por meio das catequinas, substâncias presente nos chás de ervas.

 

 

As principais características e os reais benefícios dos chás

Verde - também conhecido como Banchá, possui propriedades terapêuticas e cosméticas. É rico em flavonóides, substâncias antioxidantes que ajudam a neutralizar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular precoce. Devido à ação dos flavonóides e das catequinas, que bloqueiam as alterações celulares as quais originam os tumores, atua na prevenção de câncer. Além de conter manganês, potássio, ácido fólico e as vitaminas C, K, B1 e B2, também ajuda a prevenir doenças cardiovasculares, já que os estudos associam o consumo diário desse chá a uma diminuição dos níveis sangüíneos de LDL, que é a fração ruim do colesterol, e à melhora das condições das artérias. Além de todos estes benefícios, o chá verde ainda é considerado termogênico, acelerador do metabolismo, favorecendo a perda de peso.

Preto - de acordo com pesquisa publicada no periódico científico American Journal of Epidemiology, o consumo de 23 xícaras de chá preto por mês contribui para diminuir em 72% o risco de Parkinson, doença neurodegenerativa que afeta os movimentos. A análise foi de 63.257 homens e mulheres chineses. Outro estudo publicado pela UCL (University College of London) afirma que a bebida atua na redução do cortisol, o hormônio da tensão, além de reduzir os males cardiovasculares com a proteína C-reativa.

Branco - produzido por meio das folhas jovens e brotos da planta, apresenta uma maior concentração de catequinas do que o chá verde. Também apresenta doses mais baixas de cafeína. A ingestão desse chá também pode ser benéfica para os ossos e auxiliar na redução de inflamações e dores. Mas ainda há muita cautela em torno dessas alegações, devido a estudos que ainda estão sendo realizados sobre a erva.

 

 

A História do Chá

De origem chinesa, o chá possui tantos atributos que pode ser considerado uma bebida completa.

A história conta que o chá surgiu por volta de 2.800 A.C, criado na China pelo Imperador Shen Nung. A criação do chá se deu casualmente, quando o imperador, ao ferver água para beber, não percebeu que algumas folhas caíram na vasilha ocasionando um perfume delicioso assim como o sabor.

O chá envolve todo um ritual e origina-se nas folhas verdes da Camellia sinensis, árvore nativa da China.

Muito embora tenha surgido na China, foi o Japão o responsável pela divulgação do chá, tornando-se parte importante na educação japonesa à cerimônia do chá.

No século XVI o chá começou a ser importado para a Europa, através dos holandeses e dos portugueses. Os ingleses só introduziram o chá em suas vidas a partir do século XIX.

COMPARTILHE:


Confira também:


Pandemia

Tocantins tem 11 casos confirmados de Covid-19

De acordo com boletim divulgado pela Secretaria da Saúde agora são 11 casos confirmados, sendo nove em Palmas e dois em Araguaína.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira