Tuesday, 28 de January de 2020

GERAL


Comportamento

O lúdico faz bem

24 Sep 2008

Quem não se recorda com saudade dos tempos em que soltar pipa, brincar de rodas, de pega-pega e de saltar amarelinha fazia parte do dia-a-dia das crianças? As tradicionais brincadeiras e jogos lúdicos acabaram ficando nas lembranças dos pais de hoje. Mas e as crianças? Que falta faz o lúdico no seu dia-a-dia? De que maneira tantos brinquedos e jogos eletrônicos interferem no aprendizado e no processo de formação dos pequeninos?

Para o educador físico Leonardo Maximiano, as brincadeiras e atividades lúdicas são importantes por três aspectos. O primeiro deles é o fato de as atividades serem acompanhadas de movimento, o que, conseqüentemente, leva à melhoria da coordenação motora. O segundo aspecto é que, por estimularem o cérebro a funcionar de forma lúdica, as atividades permitem a percepção de um universo maior de informações, já que o cérebro também funciona de forma “lúdica”. O terceiro aspecto, de acordo com Leonardo, “é o fato de as atividades normalmente serem realizadas em grupos, o que trabalha a socialização, o caráter cooperativo e o senso de coletividade”, explica. Uma outra vantagem das atividades lúdicas é estimular nas crianças a criatividade, a habilidade para solucionar problemas que possam surgir no seu dia-a-dia, além de desenvolver o equilíbrio e a concentração.

A psicopedagoga Eliane Araújo ressalta ainda a importância do lúdico ao aliar o conteúdo às brincadeiras. “As atividades lúdicas são de extrema importância no processo de aprendizagem. A criança tende a fixar melhor o que aprende através de uma experiência prazerosa, como uma brincadeira”, explica.

Para incentivar a meninada, as opções de brinquedos vão muito além dos jogos eletrônicos. No mercado, ainda há muitas opções de brinquedos e jogos que estimulam o raciocínio e a interação. A psicopedagoga sugere jogos como dominó, bingo, pipa, entre outros. “A escolha vai depender da idade e do objetivo da brincadeira”, comenta. E, para a desculpa não ser o preço, Eliane ainda sugere uma alternativa: criar o brinquedo junto com a criança. Segundo ela, essa prática vai estimular a criatividade, além de ser um momento de contato com os pais. De acordo com a psicopedagoga, existem muitas opções de brinquedos que podem ser feitos pelas crianças. “Por exemplo, o antigo vai-e-vem, que pode ser feito utilizando garrafas pet, ou ainda o cai-não-cai, que utiliza palitos de churrasco e bolas de gude”, sugere. (confira abaixo algumas dicas)

Ambos profissionais lamentam que a falta de tempo dos pais - devido às atribuições diárias, somada aos atuais problemas sociais como a violência, por exemplo - têm feito com que as crianças fiquem presas em casa, sem espaço suficiente para brincar, limitadas ao computador e a jogos eletrônicos. Segundo a psicopedagoga, as novas tecnologias não extinguiram o lúdico, mas transformaram-no. Segundo ela, os jogos de computador também ensinam, mas a vivência, na prática, traz resultados muito melhores.

 

 

Tempo x comportamento

A falta de tempo dos pais é um dos agravantes no comportamento e na formação das crianças. “A falta do diálogo e do contato com os filhos acaba gerando distúrbios pela carência afetiva. As crianças querem, de qualquer forma, chamar a atenção dos pais. E isso se manifesta em mau comportamento na escola e em casa”, lamenta a psicopedagoga.

Um conselho dado pela psicopedagoga é que os pais tenham momentos para dialogar e para ter contato com seus filhos, o que fortalece o vínculo entre eles. Eliane ressalta a importância de os pais aconselharem, ouvir e ensinar seus filhos. “Até mesmo questões básicas de educação, como, por exemplo, comer de boca fechada ou não falar de boca cheia, que as crianças deveriam aprender em casa, estão sendo transferidas para a escola”, lamenta Eliana.

A profissional ainda aconselha os pais a criarem o hábito de dedicar aos seus filhos, no mínimo, duas horas por semana para brincar, variando as atividades, para que seja um momento prazeroso para as duas partes. “Essas duas horas devem ser exclusivas para a criança. A família pode optar por atividades como soltar pipa, andar de bicicleta, jogar bola ou fazer qualquer outra atividade que escolherem”, explica.

Leonardo, que além de educador físico também é pai, ressalta: “mesmo com a correria do dia-a-dia, é muito importante que os pais reservem um momento diariamente para que possam acompanhar as etapas do desenvolvimento dos filhos”, orienta. Leonardo afirma que sua maior preocupação é em dedicar todos os dias um tempo para brincar e conversar com seus filhos. “Até o simples fato de assistir televisão ou jogar no computador com a criança é importante para que os pais possam orientá-los quanto ao tipo de programação e de jogos que eles devem ter acesso”, conclui.

 

Idéias para curtir bons momentos em família

Confira algumas dicas para se divertir junto com seu filho.


Brinquedos criativos:

Vai-e-vem

Materiais:

2 garrafas pet (de refrigerante)

Tampas coloridas (de refrigerante, shampoo, etc.)

Fio de Varal (2 pedaços de 3m cada um)

Fita crepe


Como fazer:

Corte as garrafas ao meio, separando o fundo do gargalo. As metades que serão utilizadas são as dos gargalos. Passe os fios por dentro de uma das metades, do gargalo para o centro. Pegue a outra metade e passe os fios do centro para o gargalo, deixando as duas partes cortadas de frente uma para a outra. Encha as metades com as tampinhas coloridas para que se tenha um efeito bonito. Junte as duas partes formando um cilindro, e cole com a fita crepe. Dê um nó nas extremidades de cada fio. A brincadeira é para duas pessoas. Uma de cada lado, segurando uma das extremidades dos fios em cada mão (os fios devem ficar esticados). Conforme elas abrem os braços, o cilindro desliza pelo fio, de um lado para o outro.


Brincadeiras:

Corrida dos três pés

Você vai precisar de barbante para a brincadeira.

Trace duas linhas no chão, uma de largada e outra de chegada. Os participantes dividem-se em pares e ficam atrás da linha de largada. Em cada dupla, uma das pernas dos corredores deve ser atada à do outro com o barbante. Quando for dada a largada, as duplas devem correr com as pernas amarradas para cruzar a outra linha. Quem chegar primeiro vence a brincadeira.

Mais dicas no site: http://recreionline.abril.com.br/atividades/


Outras dicas:

Jogos de tabuleiro, atividades de pintura a dedo, massinha de modelar, quebra-cabeças, casinha ou até mesmo rolar pelo chão, correr, brincar e pular. O importante é aproveitar os momentos juntos!

COMPARTILHE:


Confira também:


Alerta

Coronavírus leva Anvisa a reforçar atenção em portos e aeroportos

Procedimentos adotados para outras doenças, porém, estão mantidos


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira