Tuesday, 19 de November de 2019

GERAL


Mulheres Rurais

Para dar empoderamento às mulheres que fazem a diferença no campo, a Seagro destaca casos de sucesso no Tocantins

15 Oct 2019    14:32
Divulgação Para dar empoderamento às mulheres que fazem a diferença no campo, a Seagro destaca casos de sucesso  no Tocantins

Desde 1995, no dia 15 de outubro, comemora-se o dia Internacional das Mulheres Rurais. No Tocantins, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), lançou oficialmente a campanha #MulheresRurais, Mulheres com Direitos, neste ano. Com objetivo de dar visibilidade ao trabalho desenvolvido por estas mulheres  a Seagro realiza homenagem destacando algumas histórias de mulheres rurais que representam o sucesso da mulher no campo.  

 

Há 23 anos no Tocantins, Maria Rita Melo da Silva, produtora de queijo e outros derivados do leite, iniciou a atividade pela experiência como produtora de leite quando residia no Estado do Maranhão. Ao mudar para o Tocantins, trouxe o seu gado e buscou capacitação em boas práticas de produção de alimentos.

 

Com o apoio do Governo do Tocantins e do município de Palmas a produtora recebeu treinamento com orientações técnicas e passou a produzir queijos que estão registrados há 20 anos no Serviço de Inspeção Municipal (SIM).

Antes da produção de leite, a produtora afirma que não tinha renda. “Depois que iniciamos a atividade passamos a ter uma fonte de renda que faz a diferença na minha família”, comenta. Maria Rita ressalta, ainda, que a renda do seu esforço garante o estudo dos filhos.

“A renda que alcançamos hoje além de garantir o sustento da família, paga a faculdade de agronomia para um dos meus filhos”, complementa.

A família que reside na Chácara Perseverança, localizada na região de Taquaruçu, município de Palmas, Tocantins, possui vinte cabeças de gado e não possui nenhuma linha de crédito, mas desenvolve a atividade com esforço próprio, se destacando em sua produtividade.

 

Dirceu Martins Azevedo Junior, um dos filhos, é quem cuida da ordenha e explica que “a família produz em uma área de três hectares de pastagem tirando uma média de 8 a 10 litros de leite por vaca/dia, produção que garante o sustento da família através do beneficiamento do queijo,” assegura.

Sementes Milenares para o futuro

Em Araguaína, a produtora de sementes Domingas Alves da Silva Moraes, que faz parte da Rede Copa (Rede Copa de Alimentos Saudáveis), formada por agricultores das cidades de Araguaína, Darcinópolis, Nova Olinda, Wanderlândia e Palmeirante, há três anos, é guardiã de sementes crioulas e realiza doação de sementes para serem multiplicadas.

A produtora chega a ceder 50kg de sementes no intuito de multiplicar. Com a organização das mulheres da rede, o retorno tem sido promissor. A agricultora Domingas que desenvolve outras atividades como produção de hortaliças, também  fornece produtos para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) realizando a entrega de cheiro verde, couve, alface, abobrinha.

Com outras mulheres que participam da Rede, firmaram parceria com supermercado Campelo em Araguaína, onde realizam a entrega de pimenta de cheiro e tomate cereja.

De acordo  Domingas, antes de participar da Rede Copa, sua renda era pouca, agora melhorou consideravelmente e as mulheres hoje fazem a diferença no processo de melhoria da renda, tanto na produção de hortaliças quanto na coleta, conservação e multiplicação de sementes.

“As mulheres tem se motivado nas atividades com o aumento da renda e, com isso, nos unimos em todos os aspectos produtivos. Já temos espécies crioulas e outras que servem para alimentação humana e para fazer ração animal, como milho (preto, amarelo, vermelho), feijão, fava, gergelim e feijão guandu”, explica.

A produtora que também é criadora de pirarucu em sua unidade familiar, diz que pretende produzir peixe orgânico. “A ideia é criar o lambari alimentado pelas sementes crioulas e o pirarucu se alimentar com o lambari”, disse. Para Domingas realizar o ciclo produtivo sustentável poderá garantir um produto mais saudável e assim conseguir o registro de produto orgânico.

Os produtores da rede participam de hortas comunitárias, chamadas semi individual, cada um possui seu lote e para a construção dos canteiros realizam mutirões. Domingas, que concluiu um curso de irrigação orienta os produtores na instalação da irrigação coletiva nas hortas.

Ainda, segundo Domingas, em sua família são dez beneficiários diretos do projeto, entre filhos, netos e genro que também são colaboradores no projeto de sementes e nas atividades produtivas afins. 

Outras Mulheres Rurais de destaque

 

Se destacam, ainda, grandes produtoras como Rodevir Rodrigues da Rocha, símbolo da mulher rural no Tocantins que há mais de trinta anos iniciou o leilão de gado, no município de Colinas; Salvina Mocó que  também é fazendeira, Nádia Halum, Médica Veterniária e produdora rural e Vivian de Freitas Machado Oliveira que recebeu a premiação de 1º lugar para a categoria média produção, no Congresso Nacional das Mulheres do Agro, edição 2019, resultado de sua concentração em dois objetivos: manter a propriedade ativa e agregar valor ao negócio principal, a pecuária bovina, investindo em raças pioneiras no Brasil. Exemplos de mulheres no campo.

 

O secretário César Halum prestigia e reconhece o desenvolvimento da agricultura, da pecuária e da aquicultura no Tocantins por meio da mulher que não mede esforços e cresce a cada ano no setor agropecuário.

“A essas mulheres que fazem a diferença no campo, nossos cumprimentos e nosso reconhecimento, por fazerem a diferença  demonstrando que ocupam espaço em qualquer área. Somos muito gratos pelo que elas fazem pelo Brasil e pelo nosso Tocantins,” disse.

COMPARTILHE:


Confira também:


Saúde

Uso inadequado de antibióticos aumenta resistência de bactérias

Prática pode levar ao agravamento de doenças, alerta OMS


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira