Wednesday, 28 de October de 2020

GERAL


Manejo integrado

Pesquisado o controle da Brusone em arroz irrigado no Tocantins

17 Dec 2008

“O arroz é um dos alimentos mais nutritivos para a população mundial, e um dos produtos mais importantes para o Estado. Mas a cultura tem muitos problemas com a doença chamada Brusone, que afeta a planta desde a fase jovem, queimando as folhas, até a fase adulta, causando problemas na produtividade e na qualidade dos grãos. Daí, a necessidade de haver um estudo mais aprofundado a respeito da doença”. A declaração é do pesquisador e professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus de Gurupi, Gil Rodrigues dos Santos, que coordena a pesquisa intitulada Manejo integrado da Brusone do arroz irrigado no Estado do Tocantins. O projeto conta com o auxílio do aluno concluinte do mestrado em produção vegetal pela UFT, Justino José Dias Neto.

Paraibano e há 15 anos residindo em nosso Estado, o pesquisador afirma que o ponto mais forte do projeto é fornecer informações sobre o patógeno Piriculária Oryzae, causador da Brusone. Segundo Gil Rodrigues, mais de 60 raças de fungos foram descobertas, e, com a caracterização de cada umas dessas raças, todas as informações sobre elas vão fortalecer os programas de melhoramento genético do arroz, tanto da UFT quanto da Embrapa, no sentido de prolongar a vida útil das variedades de arroz. "Quando o produtor plantar variedades de plantas, ele vai ter a garantia que essas variedades vão ter maior resistência à Brusone", acrescentou Gil Rodrigues.

Além da identificação dos diferentes tipos de fungos feita durante o desenvolvimento da pesquisa, Gil Rodrigues destacou também resultados positivos com relação ao silício e à adubação nitrogenada. Os estudos revelaram que muito nitrogênio aplicado no plantio do arroz não é benéfico. De acordo com o pesquisador, o ideal seria aplicar o nitrogênio na forma de uréia, na metade no plantio, e a outra metade no início da floração, com menor incidência da Brusone. Após verificar que o silício fornece resistência à planta, constatou-se que o uso do produto no arroz é uma técnica viável e que pode ser devidamente utilizada.

O pesquisador ainda vem realizando estudos sobre a cultura da melancia. Ele anunciou o início do trabalho de melhoramento visando oferecer resistência a uma das principais viroses da cultura, o cancro da haste. "Apesar da redução de sua área plantada no Estado, a melancia ainda se constitui em uma fonte de renda muito viável para o produtor do Tocantins". Ressaltou Gil Rodrigues, que conta com o apoio da pesquisadora Maíra Ignácio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Ambas as pesquisas têm o suporte do Programa Primeiros Projetos (PPP), que contempla doutores recém-formados, sendo financiado pelo Governo do Tocantins por meio da Secretaria da Ciência e Tecnologia em parceria com o CNPq. "Através desse projeto, nós conseguimos comprar vários equipamentos e acessórios para a condução dos estudos. A Secretaria de Ciência e Tecnologia tem sido uma ótima parceira para execução dos trabalhos que envolvem alunos dos cursos de mestrado e graduação, tudo isso trouxe avanços para a Universidade. Todo o Estado ganha com a realização dos estudos, além do resultado, que é muito importante para os agricultores tocantinenses aumentarem suas rentabilidades", conclui Gil Santos.

 

 

Secretário destaca compromisso com a ciência e tecnologia

Para o secretário Osmar Nina, o PPP, assim como outros programas realizados em parceria com as universidades e o Governo federal, por meio de suas agências de fomento, evidencia o compromisso do Governo Marcelo Miranda com o desenvolvimento científico e tecnológico do Tocantins. “Embora com apenas 20 anos, o nosso Estado demonstra maturidade e responsabilidade com o futuro. A Secretaria de Ciência e Tecnologia busca, dessa forma, se manter na vanguarda do desenvolvimento socioeconômico, se articulando e contribuindo rumo ao progresso”, afirma Osmar Nina.

COMPARTILHE:


Confira também:

ONGs de fachada
Falta controle no TO

Educação

Governo do Tocantins publica Protocolo de Segurança em Saúde para retorno das aulas presenciais

Retorno gradativo deve iniciar pelas turmas de 3º ano do Ensino Médio e Ensino Superior

Pandemia

Tocantins registra 282 novos casos da Covid-19

Atualmente, o Tocantins contabiliza 230.724 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 74.500 casos confirmados. Destes, 62.105 pacientes estão recuperados, 11.306 pacientes seguem em isolamento domiciliar ou hospitalar e 1.089 pacientes foram a óbito.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira