Friday, 06 de December de 2019

GERAL


Redes sociais podem salvar seu plano de marketing

18 Feb 2011

Por Fábio Grinberg

 

Enfim o internauta, principalmente aquele com poder de consumo latente, está aprendendo a fazer uso das redes sociais para trazer benefícios reais ao seu dia-a-dia, como também utilizá-la como uma arma.

Foi-se o tempo em que as redes sociais, como o Twitter e o Facebook eram ferramentas usadas para simplesmente contar nossa rotina, onde estamos ou o que estamos fazendo. Hoje, esses meios de comunicação atingem níveis impressionantes, tornando-se um termômetro do que sua empresa pode ou não oferecer no mercado.

As redes tornaram-se uma espécie de desabafo do consumidor. Quem já não se revoltou com alguma coisa que comprou e não deu certo? Por estar com defeito, por não ter sido entregue, ou por ter atrasado?

Pois essas ações, que antes não passavam do que a palavra mesmo representa, “desabafo”, passaram a ser monitoradas pelas grandes empresas como forma de minimizar a fama ruim que um cliente insatisfeito pode gerar.

Acha que não? Pois há duas semanas, o primeiro no trend topics do Twitter era um consumidor revoltado com uma empresa que fabrica geladeiras, por ter comprado uma delas com defeito e não ter conseguido efetuar a troca ou reparo. O consumidor colocou o eletrodoméstico no jardim em frente a sua casa, estendeu uma faixa de protesto e gravou um vídeo contando toda a história.

Em pouco tempo, ele estava no topo de uma das duas maiores ferramentas de rede sociais do mundo. A empresa, que possui esses “espiões monitores de qualidade”, percebeu a mancha que estava se desenhando na sua campanha de marketing digital, entrou em contato com o cliente e efetuou a troca da geladeira.

É um novo modelo de relacionamento entre empresa e consumidor que ainda é pouco adotado, mas muito eficiente para que se evitem ruídos no seu faturamento. Tudo porque, hoje em dia, uma notícia bem veiculada na internet pode tomar proporções gigantescas, por mais simples que ela seja.

O interesse pelo uso das redes sociais como instrumento de defesa ou de crítica e desabafo, também demonstra o quanto está aumentando não só o uso da internet para diversão, como para o consumo de produtos e serviços.

E é com base nesses argumentos pontuais que sua empresa precisa estruturar sua campanha de marketing digital e, até mesmo, de link patrocinado. De nada adianta um projeto ousado, que tenha efeito e coloque seu empreendimento no topo do Google, se ele deixou de atender apenas um dos pedidos que foi feito. Como afirma Ronaldo Morsch, que disse ser necessária a contratação de mais atendentes para manter o bom serviço em sua empresa de banheiras de hidromassagem.

Por isso, além de manter a qualidade do atendimento é necessária a contratação de um ou mais profissionais que possam fazer o monitoramento da “fama” de sua empresa. Se ela está sendo bem aceita pelos internautas, ou está recebendo crítica devido a uma falha de serviço que, na grande parte das vezes, é fácil de se resolver.

Lembre-se. É preciso estar preparado. Em 2010, o número de investimento em publicidades na internet cresceu em 30%, chegando ao patamar de R$ 1,25 bilhão. Ou seja, para se destacar e dobrar seu lucro/faturamento é necessário ser diferente. Melhor ainda, é necessário ser primordial no que oferece ao seu cliente e no atendimento prestado a ele.


* O que você pensa sobre o assunto? Entre em meu site e blog e confira: www.fabiogrinberg.com.br e www.topgoogle.com.br.

COMPARTILHE:


Confira também:


Primeiro Lugar

Portal O Girassol e Jornalista Suzana Barros conquistam Prêmio Adpeto de Jornalismo

Jornalista Suzana Barros conquistou a premiação com a matéria "As faces da violência contra a mulher".


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira