Sunday, 31 de May de 2020

GERAL


Pandemia

Restaurantes comunitários adotam venda de marmitas durante a pandemia da Covid-19

29 Mar 2020

Os restaurantes comunitários da Capital irão alterar a forma de atendimento ao público a partir da próxima segunda-feira, 30, e adotarão a venda da refeição na modalidade comida pronta (marmita) para evitar a aglomeração de pessoas nestes espaços durante o período de isolamento social. Tal mudança se faz necessária mediante a pandemia de coronavírus (Covid-19) e atende as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde e aos decretos estaduais e municipais frente à pandemia.

 

“Vamos fazer a venda com duas filas distintas e bem separadas, uma para comprar o alimento e outra para a retirada da marmita. Todos os funcionários estarão seguindo um rigoroso padrão de higiene e prevenção à Covid-19”, explica o diretor de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Felipe Coelho, acrescentando que “o restaurante é uma importante ferramenta social pois oferta a refeição à baixo custo e por isso não  deverá ser fechado”.

 

Palmas conta com dois restaurantes comunitários, o Restaurante Tereza Cristina Aires, na região Norte e o Restaurante Popular de Taquaralto, na região Sul. As refeições são comercializadas por apenas R$ 3,00 nos locais. As medidas adotadas pela gestão municipal nos restaurantes comunitários têm por objetivo somente a preservação da saúde e integridade dos usuários.

 

Os restaurantes estão abertos de segunda a sexta-feira, das 11 às 14 horas. As refeições comercializadas são elaboradas sob orientação de nutricionistas e profissionais que asseguram uma alimentação saudável comercializada com um preço acessível.

COMPARTILHE:


Confira também:


Ineditismo

Agrotins 2020 100% Digital rompe barreiras e se torna marca forte no cenário nacional

Conteúdo continuará disponível na plataforma até 26 de junho


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira