Monday, 24 de June de 2019

GERAL


Alimentação

Saiba como evitar intoxicações

22 Dec 2009

Este é o perído de comemorações, com muita comida e bebida, fazendo surgir a preocupação com o manuseio e o excesso de alimentos. Pensando nisso, a Sesau – Secretaria de Estado da Saúde vem alertar a população quanto ao manuseio incorreto e a conservação inadequada de alimentos, que são as principais causas de intoxicação alimentar.

Dados da Sesau revelam que quase metade das doenças transmitidas por alimentos são originadas nas residências, onde a maioria são infecções causadas por bactérias e suas toxinas, vírus e parasitas. Com isso, a Sesau além de orientar a população, também realiza constantemente, capacitações com os municípios, monitoramento dos 139 municípios do Estado, através de relatórios mensais e realiza investigação de surtos.

Pois a intoxicação alimentar pode causar de uma simples diarréia, até graves problemas de saúde, sendo os principais sinais e sintomas: náuseas, vômito, dor abdominal, diarréia e febre, dependendo do agente etiológico.

Para evitar este tipo de doença, é necessário que a população esteja alerta sobre cuidados de higiene e manuseio dos alimentos. Segundo a gerente da área técnica de doenças de transmissão hídrica e alimentar, Luana Gomes, lavar as mãos apenas antes de iniciar a preparação do alimento não é suficiente, ”é necessário que as mãos sejam lavadas durante todo o processo de preparo alimentício e os equipamentos utilizados também devem estar limpos”, alertou.

O local onde o alimento vai ser preparado também deve estar protegido de insetos, pragas ou qualquer outro animal. Outra preocupação, e que é pouco mencionada, é sobre a temperatura em que os alimentos são armazenados, pois quando as condições dos alimentos são ideais para os micróbios, eles podem se multiplicar em 130.000 em apenas 6 horas.

Caso a temperatura fique abaixo de 5°C ou acima de dos 60°C, a multiplicação dos micróbios é retardada e pode ser evitada e os alimentos perecíveis devem ser refrigerados preferencial-mente abaixo de 5°C e os cozidos quentes acima de 60°C.

Os alimentos nunca devem ser descongelados em temperatura ambiente, o procedimento deve ser efetuado com refrigeração à temperatura inferior a 5ºC ou em forno de microondas quando o alimento for submetido imediatamente ao cozimento e os alimentos congelados devem ser ingeridos em um prazo máximo de cinco dias, mesmo que conservado sob refrigeração.

É importante não deixar alimentos cozidos por mais de duas horas à temperatura ambiente.

 

Dicas para evitar intoxicação alimentar:

• Lavar as mãos regularmente;
• Antes, durante e após a preparação dos alimentos;
• Ao manusear os objetos sujos;
• Depois de tocar em animais;
• Depois de ir ao banheiro ou após a troca de fraldas;
• Antes da amamentação;
• Não comer alimentos crus, com exceção das frutas e verduras que podem
ser descascadas;
• Evitar o consumo de alimentos crus, mal passados/cozidos (saladas,
carnes);
• Evitar o contato entre alimentos crus e cozidos;
• Lavar periodicamente a geladeira, o freezer e o microondas;
  -As prateleiras da geladeira não devem ser cobertas por panos ou toalhas, pois assim impedem que o ar frio circule;
  - Verificar se as borrachas presentes nas portas da geladeira estão em boas condições, pois são elas que garantem o isolamento térmico;
  - Nunca utilizar alimentos após a data de validade;
  - Observar as condições especiais de cada alimento e suas recomendações;
• Evitar comidas vendidas por ambulantes;
• Manter os alimentos fora do alcance de insetos, roedores e outros
animais;
• Procurar uma Unidade de Saúde. (Informações da Ascom/Sesau)

COMPARTILHE:


Confira também:


Opinião

Cenário político de Palmas: “aparentar ser ” e o “fazer de fato”

É fato que a campanha eleitoral de 2020 já começou. As pedras já estão se posicionando no tablado. Até o momento, de oficial mesmo, somente a candidatura à reeleição da prefeita Cinthia


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira