Saturday, 20 de October de 2018

GERAL


Pecuária

Seagro oportuniza discussão sobre caprinocultura do leite em palestras na Expopalmas

21 Sep 2018    18:13
Divulgação Seagro oportuniza discussão sobre caprinocultura do leite em palestras na Expopalmas

Em novos formato e abordagem, em área aberta e em forma de círculo, o público assistiu, na manhã desta sexta-feira, 21, as discussões promovidas pela Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro) sobre a cadeia produtiva da caprinocultura leiteira no Estado. O evento aconteceu na Expopalmas, e teve início com um relato da experiência do produtor e empresário Adão Rocha, proprietário do Laticínio Ascabras, localizado no município da capital, Palmas.

A programação do dia tem como tema o “Dia do Leite”, com inicio às 9h30 e prossegue até às 17h, no auditório do estande da Seagro, no Parque de Exposição de Palmas. 

O produtor, Adão Rocha, contou que começou a criar caprinos há 18 anos por incentivo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) que realizou um estudo de viabilidade econômica da atividade. “Comecei com 15 animais da raça Sanner e hoje tenho cerca de 40 animais, sendo 30 fêmeas, e cada cabra produz cerca de 4 litros, ao dia, em duas ordenhas, em média, 20 litros”. Para a comercialização além de vender o leite e o esterco, direto ao consumidor, ainda produz queijo frescal e iogurte e leite pasteurizado para os programas governamentais.  

Adão Rocha contou também que já chegou a criar 100 cabeças de caprinos, mas que foi diminuído porque vende também cabritos e animais para reprodução e corte para outros produtores. “A atividade é desafiadora, requer certo valor por causa da viabilidade econômica, mas a gente está se mantendo. Falta um pouco mais de aprimoramento e investimento para que possamos crescer mais”. Para quem quer iniciar atividade o produtor aconselhou a conhecer mais sobre o desafio cotidiano e investir na profissionalização. “Os benefícios são que o produtor pode criar muitos animais em uma área pequena, dependendo do sistema que vai adotar. Os animais comem pouco e os produtos agregam muito valor. Outro ponto importante é demanda de mercado, se produzir 100 litros vai vender tudo”, afirmou.    

Sistemas e potencialidades

Os sistemas produtivos de caprinos leiteiros e as potencialidades também foram assuntos abordados, na manhã desta sexta-feira. O professor Dêmis Menezes, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), Campus Paraíso do Tocantins, falou sobre um projeto que vem sendo desenvolvido para desenvolver a cadeia produtiva de ovinos e caprinos no Tocantins. Falou sobre as dificuldades para convencer os alunos a aderir ao projeto, que também cria um público consumidor baseado na experimentação dos produtos feitos a partir da carne e leite dos animais. “Começamos a fazer os produtos e convidar os alunos para experimentar as comidas. Hoje eles procuram o professor para saber quando vai ter experimentação da culinária”, se divertiu o professor.

A acadêmica do 6º período de medicina veterinária da Faculdade Católica do Tocantins, Maria Eduarda Alves, falou do interesse em participar das palestras com destaque para o melhoramento genético aplicado em animais bovinos, ovinos e caprinos. “Já participamos de uma conversa sobre piscicultura hoje, mais cedo, mas meu interesse maior é pra conhecer sobre melhoramento genético que é uma área em que quero me especializar”, disse.

Tecnologia e Manejo

A diretora de Políticas Públicas da Seagro, Érika Jardim, falou sobre a importância do manejo na produção de caprinos. “Em toda produção pecuária é necessário trabalhar o tripé: alimentação, sanidade e genética. Todos sendo trabalhados com profissionalismo, um bom manejo reprodutivo e um bom manejo sanitário, são condições para que gente possa ter bons resultados. Mesmo considerando a caprinocultura e a ovinocultura como atividades de fácil manuseio e manejo, para ter bons resultados, para ter carne e leite de qualidade é preciso investir em tecnologia e em bons manejos”, orientou.

A diretora reforçou que todo processo de pecuária é preciso que seja acompanhado por um técnico, seja médico veterinário, zootecnista ou engenheiro agrônomo. “São profissionais habilitados para que conduzam a atividade do produtor para que este tenha rentabilidade e  que a atividade seja sustentável, para que o produtor tenha renda o ano todo.  Atividade precisa ser sustentável ao longo do ano, ao longo do tempo, cada vez mais com o uso de tecnologias e profissionalismo”, argumentou a diretora.

Erika Jardim reforçou que a Secretaria da Agricultura, como gerenciadora das  políticas públicas para o setor, vem trabalhando com qualificação técnica, com capacitação para o produtor, com organização da cadeia, apresentando o diagnóstico da ovinocaprinocultura criando a câmara setorial da ovinocaprinocultura. “Uma forma de ter governança a essa cadeia produtiva para que se fortaleça e se desenvolva de forma sustentável”, afirmou.

Programação da tarde

No período da tarde, acontecerá um encontro dos produtores de leite do Estado e para fechar a programação, Erika Jardim apresentará o diagnóstico da bovinocultura no Estado, com números atualizados da cadeia produtiva que vão servir para a elaboração do planejamento estratégico do setor.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

16

PARABÉNS!
PARABÉNS!

14

BOM
BOM

13

AMEI!
AMEI!

12

KKKK
KKKK

14

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

11

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

11

CREDO!
CREDO!

Leia por assunto:

seagro agro tocantins

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


Economia

Mauro Carlesse recebe empresários interessados em investir no Estado

Grupo de empresários vão investir na produção de ovos no Estado; Gurupi e Paraíso são cidades estudadas para receber o empreendimento

Cinoterapia

Projeto com cães no HGP e Infantil comemora um ano

De acordo com a psicóloga do HGP, Jaqueline Monteiro o projeto vem beneficiando pacientes adultos e crianças.


Serviço

Inscrições abertas para o Curso de Supervisão em Serviço Social

Dos 12 módulos, três ocorrerão em Miracema (UFT) e os outros nove em Palmas, nos locais junto às unidade de Ensino (Unip, Unitins, Unopar, Itop) conforme programação disponibilizada no site do conselho.


Sanidade

Tocantins se prepara para vacinação de rebanho contra febre aftosa a partir de 1º de novembro

Após a vacinação, o produtor tem até 10 dias para fazer a declaração em qualquer uma das 139 unidades da Adapec no Estado,


Tocantins

Ligados: projeto itinerante da Energisa está ouvindo a população


Tocantins

Visando concorrência legal Metrologia Estadual verifica taxímetros em Palmas


Sermão aos Peixes

PF apura desvios na área da saúde


Segurança

Forças de segurança do Tocantins recebem a visita do ministro Raul Jungmann em Palmas


Economia

Estimativa do PIB Industrial do Tocantins aponta leve recuperação em 2017


Meio Ambiente

População de Palmas gasta o dobro de água recomendado pela ONU



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira