Friday, 19 de July de 2019

GERAL


Cuidados

Sindiperito-TO alerta para riscos de mortes de bebês por asfixia durante o sono

13 Mar 2019    11:04

Em 2019 o Tocantins registrou dois casos de morte por asfixia em bebês. Os números acendem um sinal de alerta, já que em 2018 a estatística registrou apenas um caso, contra três atendidos pela perícia em todo o ano de 2017. Para o Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Tocantins (Sindiperito-TO), o aumento súbito preocupa, já que os casos notificados se referem apenas ao mês de fevereiro. 

 

Segundo Silvio Jaca, vice-presidente do Sindiperito, a causa da morte pode indicar diversas naturezas. Em algumas situações, a asfixia acontece porque muitos pais dormem junto com os bebês na cama e a movimentação, durante o sono pode asfixiar a criança. Em outros casos as mães podem cochilar na hora da amamentação e acidentalmente, acabam sufocando os filhos. 

 

Os números, conforme Silvio, representam as ocorrências notificadas e atendidas pela perícia. Há ainda as subnotificações em que a criança é socorrida e vai a óbito apenas no hospital ou que, na unidade de saúde, é atendida e sobrevive. Porém, de acordo com o vice-presidente, em ocorrências onde há morte no local, a perícia trabalha para esclarecer a causa. 

 

"O perito vai lá para se certificar que aquilo foi uma morte acidental. Tem bebês que morrem de causa natural, mas existem aqueles que são assassinados. Há situações desse tipo, por conta do estado puerperal da mãe, que pode ter uma depressão pós-parto e cometer um infanticídio. Muitos dizem que foi uma morte acidental, quando na verdade não foi. Em algumas situações a criança tem algum mal súbito ou engasga com algo, tem asfixia por engasgamento com leite ou algum objeto que engoliu. E, às vezes, quando adulto dorme com a criança acaba se movimentando e sufocando o bebê. O mais comum é por asfixia mecânica culposa ou asfixia por engasgar com objetivos ou alimentos", explica Sílvio. 

 

Ainda de acordo com o vice-presidente, em casos assim um inquérito é aberto para investigar as causas da morte e outra perícia é feita no Instituto Médico Legal (IML) chamada de necrópsia. Ela é realizada no cadáver do bebê para verificar o que ocasionou a morte. "Vamos ao local para ver as circunstâncias e a dinâmica do fato, quando é possível. Quando não é possível é feita a necrópsia para descobrir o motivo do óbito, se foi sufocamento ou se foi injetado alguma substância no bebê ou ainda se teve alguma fratura. Tudo isso é feito no IML 

 

Para evitar acidentes desta natureza a recomendação do perito é que a criança durma separada dos pais, ainda que no mesmo quarto, mais nunca dividindo a mesma cama. "Um bebê não tem estrutura física para suportar o peso de um adulto. Mesmo em um movimento rápido a criança pode sofrer uma fratura, ser sufocado. Se a família não tem condição financeira e precisa dividir o mesmo espaço, a orientação é tentar separar o bebê com um travesseiro, colocar um anteparo antes de dormir", afirma. 

 

O vice-presidente acredita que o trabalho da perícia é importante, já que estes profissionais fazem ainda o levantamento estatístico e alerta a população sobre os riscos, sempre com o objetivo de evitar novos casos. "Quando percebemos que algum tipo de crime está aumentando, a perícia trabalha para fazer um levantamento para apurar as causas de algumas ocorrências. Nossa intenção é reduzir os números e os riscos que ocasionam esse tipo de situação", finaliza.

COMPARTILHE:


Confira também:


Estacionamento Rotativo

Tribunal de Justiça reconhece competência do TCE para emitir cautelar durante julgamento sobre o Estacionamento Rotativo de Palmas

O relator do processo, desembargador Ronaldo Eurípedes, apresentou seu voto no último dia 27 de junho negando o pedido da empresa com fundamento. no posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF)

Regularização

Governo inova em gestão e abre portas do Instituto de Terras do Tocantins para estágio em 2019

O Instituto de Terras do Tocantins vem trabalhando com responsabilidade e eficácia para contribuir a cada dia com o desenvolvimento do Estado.


CPPA

Suspeito de cometer homicídio em 2015 é preso pela Polícia Civil em Araguaína

Após a realização das providências legais cabíveis, D.P.S foi encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.


Premiação

EDP, controladora da Investco e da Enerpeixe no Tocantins, está entre as 15 marcas mais valiosas no mundo

A empresa leva o prêmio na categoria empresas de utilidades públicas. Estudo aponta aumento de 38,5% no valor da marca com destaque para o investimento em novas tecnologias ao redor do mundo


Resgate

Paciente em estado grave é transportado de Miracema para Palmas pelas equipes do CIOPAER e SAMU


TV

Gastronomia alemã é o próximo desafio do MasterChef


Encceja

100% das unidades prisionais e socioeducativos realizarão o Encceja PPL 2019


Turismo

Adetuc projeta aumento de turistas e movimentação de mais de R$ 118 milhões na Temporada de Praias 2019


Investimento

Wanderlei Barbosa apresenta ações de turismo e cultura à artesãos de Taquaruçu


SSP

Com base em investigações da Polícia Civil Ministério Público denuncia servidora por peculato



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira