Friday, 25 de September de 2020

GERAL


Transporte de pessoas é serviço!

10 Sep 2008

Não é de hoje que o setor de transportes tem se deparado com uma novidade circulando pelas ruas e rodovias do País. São veículos de transporte coletivo – microônibus, inclua-se também vans e até ônibus, com placa cinza e até vermelha - intitulados “locadoras de veículos”.

Nada de mais se fosse realmente uma simples locação de veículo, como ocorre com os automóveis quando o sujeito faz a locação por período com quilometragem livre ou com franquia.

A entrega do veículo pelo locador ou locatário para usá-lo livremente é condição indispensável para a caracterização da locação. De posse do veículo, o locatário tem total liberdade, ou seja, vai para onde quiser, na hora que quiser, escolhe o percurso que melhor lhe agrada, sem se preocupar com nada, afinal ele tem posse do veículo por aquele período previsto no contrato. Ele se autodetermina em relação ao bem, sua vontade é completamente soberana. Assim, o objetivo do contrato é a coisa locada e não o seu aproveitamento ou satisfação de utilidade.

A característica da locação é o regresso da coisa locada para o seu dono, ao passo que o serviço fica pertencendo a quem pagou, não sendo possível a sua restituição. Não há como confundir um contrato de locação de bens com outro cujo objeto é a prestação de serviço, mesmo que este envolva o uso de bens para cumprir suas finalidades. O objeto, nesse caso, é a realização de um serviço, não a locação.

Serviço é uma obrigação de fazer, ou seja, de levar pessoas de um ponto a outro, no caso de transporte, e não uma obrigação de dar um bem para outrem, como na locação. No contrato de transporte, a pessoa paga para ser levada de um ponto a outro, portanto, não basta entregar o veículo nas mãos do contratante, é preciso realizar o transporte nos moldes do contrato.

A pergunta que se faz é: por que essas pessoas estariam fazendo isso? A resposta resume-se num vasto leque de vantagens. A primeira e mais atrativa é a questão de não ter que se submeter a nenhum dos muitos poderes concedentes, é circular livremente sem lenço e quase sem documento. Não precisa se preocupar com a quantidade, idade ou especificações dos veículos da frota, inspeção veicular, pintura e um incontável número de adesivos, documentos e sinalizações obrigatórias, treinamento do condutor, pagamento de taxas. Enfim, todos os procedimentos burocráticos a que são submetidas todas as empresas de transporte.

Sabemos que a ausência de regulamentação é um sério risco, uma porta aberta para a desarticulação completa do setor, o que pode causar incontáveis prejuízos à sociedade como um todo, usuária ou não desse tipo de transporte.

Há também a questão tributária. Já decidiu o Supremo Tribunal Federal (STF) - RE-AgR 446003 – que, sobre a locação de veículos, não incide o Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN), de competência do município. Também não há ICMS, e as locadoras ainda podem optar pelo SIMPLES.

Não é preciso criar nenhuma lei para isso, basta fiscalizar, e é isso que precisamos e esperamos dos poderes concedentes, das secretarias de Fazenda e dos sindicatos profissionais, para não estender a lista de entes que têm o poder para fazer alguma coisa.

COMPARTILHE:


Confira também:


Política

Direitos políticos de mulheres: Brasil é o 9º entre 11 países, diz ONU

Estudo analisou 11 países da América Latina

Saúde

Tocantins registra 670 novos casos da Covid-19

Atualmente, o Tocantins contabiliza 199.194 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 65.354 casos confirmados. Destes, 48.564 pacientes estão recuperados, 15.889 pacientes seguem em isolamento domiciliar ou hospitalar e 901 pacientes foram a óbito.



Economia

Conselho de Desenvolvimento Econômico aprova incentivos fiscais para empresas de diversas regiões do Estado

Os projetos aprovados incentivam a geração novos de postos de trabalho, além de contribuir com a economia, bem como aumentar a arrecadação do Estado


Eleições 2020

Podemos registra chapa com candidatos a prefeito, vice e 29 vereadores

Candidato a prefeito, Alan Barbiero enaltece chapa proporcional do partido: “sem dúvidas, temos o melhor, mais completo e qualificado grupo para disputar as vagas no Legislativo Municipal”


Fakes News

Qual será o impacto das fake news nas eleições municipais?

O papel de prefeitos e governadores no que diz respeito ao controle da pandemia também foi alvo de fake news, especialmente depois que o STF (Supremo Tribunal Federal) declarou a autonomia dos Estados e municípios para definir regras sobre isolamento.


Obras em Palmas

Propostas para 2ª etapa do CAF em Palmas serão conhecidas em outubro


Ações

Vice-governador apresenta ações de combate à pandemia e incêndios florestais no 21° Fórum de Governadores da Amazônia Legal


Saúde

Câmara de Palmas convoca Audiência Pública para prestação de contas da saúde


Convênio

Vice-governador Wanderlei Barbosa e ministro Onyx Lorenzoni assinam convênio de R$ 2,5 milhões para Programa de Aquisição de Alimentos


Conscientização

Governo do Tocantins lança campanha para consumo consciente de água


Prevenção

Neurocientista alerta que apenas conversar não resolve o problema de quem pensa em cometer suicídio



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira