Monday, 25 de May de 2020

GERAL


Unidos por um Mundo Melhor

14 Jul 2010

Por Giovanni Salera Júnior

Email: salerajunior@yahoo.com.br

     Até algumas décadas atrás só se falava em “progresso” ou “crescimento econômico” e aparentemente todo mundo entendia e concordava. Assim, em todos os países o objetivo político era basicamente o mesmo: o crescimento acelerado da economia; a construção de um número cada vez maior de rodovias, pontes, usinas, fábricas; aeroportos, a fabricação massiva de automóveis; a expansão de áreas de cultivo e o aumento dos rebanhos. A natureza não tinha nenhum espaço, pois ela era apenas uma fonte inesgotável de recursos, criada para simples serventia do ser humano.
 
     Hoje se sabe que o tão falado “progresso” não traz de fato um desenvolvimento justo, pois ele invariavelmente favorece apenas uma minoria da população.

     Assim, a atual crise ambiental planetária nos mostrou que esse caminho desregrado conduz a humanidade ao abismo, a catástrofe de nosso mundo.

     Atualmente, multiplicaram-se os ecologistas, as organizações e os movimentos ambientalistas, bem como os Partidos Verdes (PV) que defendem políticas pautadas basicamente para uma nova relação entre a sociedade e a natureza.

     Então, os adeptos do movimento ambientalista têm criticado o “capitalismo selvagem” que se preocupa apenas com o lucro, sem levar em conta o uso racional dos recursos naturais e a melhoria de vida da população que depende desses recursos para sua sobrevivência.

     O modo de vida predatório das “sociedades de consumo” tem sido contestado pela poluição exagerada que tendem a produzir. Nelas, a publicidade direcionada para o lucro desmedido das empresas convida as pessoas a consumirem cada vez mais. As embalagens de plástico, lata ou papel tornam-se mais importantes que o próprio produto. A moda segue um ritmo frenético para que novos produtos possam ser fabricados e lançados no mercado. A cada ano que passa as mercadorias são produzidas para durarem cada vez menos, para não diminuir nunca o ritmo de crescimento. Hoje tudo é praticamente descartável. Por exemplo, os automóveis têm sido fabricados para durar poucos anos; as habitações construídas atualmente têm duração muito menor que as do passado e o mesmo se pode dizer das roupas, além de vários outros produtos.

     Como infelizmente é comum em nossa época mercantilizada até o “movimento verde” foi absorvido pelo discurso capitalista. Às vezes a defesa do meio ambiente resulta em promoção pessoal e mesmo em ganhos financeiros. É o caso das empresas que visam apenas ao lucro com a venda de produtos com ingredientes naturais ou de instituições que associam conceitos de ecologia para promover sua marca. Isso em alguns casos denota o oportunismo, mas no geral o que se vê é um interesse crescente com a preocupação séria com a proteção da natureza.

    Em tudo isso, o que se observa é a renovação que a problemática ambiental ocasionou nas idéias políticas e nas ações das empresas e dos cidadãos pelo mundo todo.

     Está claro para todos que a natureza precisa ser respeitada. É necessário, portanto, repensar o modo de vida, a produção, o consumo, o lucro e a relação disso tudo com futuro da Terra. É esse o importante recado que o movimento ecológico trouxe para o nosso dia-a-dia.

     Cada um de nós deve assumir sua parcela de responsabilidade frente a esse grande desafio. A luta pela construção de um modelo de desenvolvimento sustentável para nossa sociedade é uma meta que só será alcançada se contar com o envolvimento de todos nós!!!

COMPARTILHE:


Confira também:


COVID-19

Atividades Parlamentares permanecem paralisadas até 01/06 e Audiências Públicas são adiadas em Palmas

A medida tem como objetivo evitar a disseminação e propagação do novo coronavírus, como também preservar a vida dos servidores e parlamentares da Casa de Leis.

Pandemia

Tocantins contabilizou 113 novos casos da Covid-19

Atualmente, o Tocantins apresenta 2.696 casos no total, destes, 732 pacientes estão recuperados, 1.906 pacientes estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar e 58 pacientes foram a óbito.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira