Monday, 26 de October de 2020

JUSTIÇA


Justiça

Atestado de óbito de Herzog dirá que ele morreu por maus-tratos

25 Sep 2012

O juiz Márcio Martins Bonilha Filho, da 2ª Vara de Registros Públicos do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), determinou ontem (24) a retificação do atestado de óbito do jornalista Vladimir Herzog, que morreu em 1975 na capital paulista. O atestado, emitido no período da ditadura, indicava que sua morte foi  consequência de suicídio. Porém, por ordem da Justiça o atestado de óbito informará que a morte dele foi causada por maus-tratos.


O juiz determinou que, a partir de agora, passe a constar no documento a seguinte informação:  ?A morte [de Herzog] decorreu de lesões e maus-tratos sofridos em dependência do 2º Exército ? SP (DOI-Codi)?. O DOI-Codi era a sigla conhecida do Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna subordinado ao Exército, que atuava como órgão de inteligência e repressão do governo.


A retificação foi um pedido da Comissão Nacional da Verdade, representada pelo coordenador, ministro Gilson Dipp. A solicitação foi encaminhada a pedido da viúva Clarice Herzog. Na decisão, o juiz Bonillha Filho elogiou a atuação da comissão.


?[A comissão] conta com respaldo legal para exercer diversos poderes administrativos e praticar atos compatíveis com suas atribuições legais, entre as quais recomendações de ?adoção de medidas destinadas à efetiva reconciliação nacional, promovendo a reconstrução da história??, disse o magistrado na sua decisão.


Nascido na Croácia, Vlado Herzog passou a assinar Vladimir por considerar seu nome exótico. Naturalizado brasileiro, ele se tornou um dos destaques do movimento pela restauração da democracia no Brasil, depois do golpe militar de 1964. Era militante do Partido Comunista e sofreu torturas em São Paulo.


Em 25 de outubro, Vladimir foi encontrado morto. Segundo informações fornecidas na época, o jornalista foi localizado enforcado com o cinto que usava. Porém, a família e os amigos jamais aceitaram essa versão sobre a morte dele. Nas fotos divulgadas, o jornalista estava com as pernas dobradas e  no pescoço havia duas marcas de enforcamento, indicando estrangulamento. No período da ditadura, eram comuns as versões de morte associadas a suicídio.

COMPARTILHE:


Confira também:


Igeprev

Governador Carlesse celebra acordos e Estado começa a pagar dívida no Igeprev já no mês que vem

Foram firmados dois Termos de Acordo de Parcelamento e Confissão de Débitos Previdenciários, no valor de mais de R$ 1 bilhão

Aureny III

Andrino assumiu o compromisso de revitalizar o asfalto das ruas e avenidas do local

O candidato em conversa com os comerciantes e moradores do Aureny III apresentou o descaso com toda a estrutura física das ruas, e com uma saúde e educação abandonada.


Mulheres 77

Eli Borges diz que, se eleito, irá criar a Secretaria da Mulher

Eli Borges entende que a mulher têm direitos iguais aos homens e por isso vai criar mecanismos para equiparação de salários entre homens e mulheres em situação de igualdade profissional.


Região Sul

Se eleita, Cinthia garante que vai construir a tão sonhada rodoviária de Taquaralto

Com propostas alinhadas ao Plano de Governo da Prefeita Cinthia, Waldson afirma que seu compromisso é com a cidade.


Arte

Instituto Isca beneficia mais de 300 pessoas com projeto de ação social em Araguaína


Oportunidade

Concurso para estudantes do ensino médio oferece premiação em dinheiro e viagem aos EUA


Palmas

Radares fixos da Avenida Teotônio Segurado são verificados pela Agência Estadual de Metrologia


TRE

Cidadania: cartilhas bilíngues chegam aos povos indígenas da Ilha do Bananal


Eleições 2020

Cinthia diz que aumentará investimentos para a juventude com o projeto Qualifica PMW


Portaria

Tocantins fixa início da Piracema para o próximo dia 1º de novembro



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira