Tuesday, 18 de February de 2020

JUSTIÇA


SSP

Suspeitos por crimes de homicídio são presos pela Polícia Civil no interior do Estado

20 Dec 2019
 Suspeitos por crimes de homicídio são presos pela Polícia Civil no interior do Estado

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da 69ª Delegacia de Polícia de Tocantínia deflagrou a 2ª fase da operação "Risca Faca" e prendeu dois indivíduos em cumprimento a mandados de prisão. A operação está sendo realizada em consonância com as diretrizes da "Operação Reverso", que está acontecendo nos estados da região Norte e visa dar cumprimento a mandados de prisão preventiva, temporária e buscas e apreensões neste final de ano.

O primeiro suspeito preso foi identificado pelas iniciais D.F.T.J., de 24 anos e foi capturado na manhã desta sexta-feira, 20, em virtude de haver em seu desfavor um Mandado de Prisão Preventiva e um Mandado de Prisão Temporária de 30 dias. A Temporária refere-se a duplo homicídio (consumado e tentado) ocorrido em 03/11/2019, na Danceteria Copos & Copos, Tocantínia, ocasião em que desferiu golpes de faca na vítima fatal Deuzimar Silva Ribeiro, 35 anos. Posteriormente, D.F.T.J tentou matar outro homem com quem havia se desentendido e brigado em uma festa.

 Ainda em desfavor de D.F.T.J., os policiais civis cumpriram mandado de prisão preventiva referente à tentativa de homicídio com arma branca, tendo como vítima Célio Souza do Nascimento, 26 anos. Segundo o apurado pela Polícia Civil, o suspeito participava de uma confraternização na casa da vítima, quando foi convidado a se retirar do local. No entanto, o suspeito não gostou e, revoltado, juntamente com seu irmão, golpeou Célio várias vezes com uma faca, fato ocorrido em 09/06/2019.

 Já o segundo preso, identificado como M.R.L., 29 anos, é suspeito de matar a golpes de facão, o adolescente indígena C.S.N.D.B., Xerente, de 17 anos, após uma discussão na Danceteria Copos & Copos, fato ocorrido em 21/09/2019. Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, os dois indivíduos presos ficarão à disposição da Justiça Criminal na Cadeia Pública de Miracema do Tocantins.

Com essas prisões, a Polícia Civil contribui para a pacificação social no período de festividades e reafirma o compromisso de repressão firme aos crimes violentos praticados em ambientes festivos na cidade de Tocantínia. Observe-se que os crimes foram praticados em Bares e danceterias, daí o nome da "Operação Risca Faca" em alusão às confusões popularmente conhecidas nesses estabelecimentos.

COMPARTILHE:


Confira também:


Operação Escroque

Polícia Federal desarticula braço de organização criminosa especializada em fraudes no Seguro Desemprego

O nome da operação faz referência àqueles que se apoderam de bens alheios, por meios ardilosos e fraudulentos.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira