Tuesday, 16 de July de 2019

OPINIÃO


Sexualidade Feminina

A emancipação da sexualidade feminina ao longo dos séculos

07 May 2019    14:27

Conhecer a história da sexualidade feminina é resgatar a luta em busca de sua autonomia ao longo dos séculos. Cartas foram conservadas como forma de manifestação do seu eu, e os relatos da repressão enfrentados entre muitas gerações de mulheres foram passado a diante para que não fossem esquecidos. Durante grande parte da história, os homens aparecem como protagonistas preservados nos livros, enquanto as moças, privadas de informações e espaços de discussão, enfrentavam os costumes que lhes delimitavam. Ao mesmo tempo, elas não deixaram de buscar um futuro onde pudessem garantir o direito de conhecer o próprio corpo e de fazer reverberar as suas vozes.

 Para as mulheres haviam restrições quanto ao desfrute do prazer sexual, a imposição dos costumes e a objetificação da mulher como mero aparelho de procriação tornaram-se frequentes, pois sua “função” era apenas gerar herdeiros, não se importavam em dar a elas prazer na hora do sexo. Mesmo que tenha se passado alguns séculos, a mistificação sobre a sexualidade feminina não acabou totalmente. Hoje em dia, ela continua sendo vista e tratada como um grande tabu pela sociedade.

Ainda é muito difícil para a maioria das mulheres refletirem e falarem sobre seus prazeres íntimos e descobrirem seus gostos sexuais. Mas, como incentivar essa descoberta? Com o intuito de trazer a emancipação sexual e fazer com que o público feminino desvende o que realmente gosta e deseja, a escritora Lani Queiroz trouxe uma solução: a literatura. Autora de livros eróticos, Lani reconheceu que as mulheres precisavam de um incentivo para que seus gostos e sua libido fossem instigados. Por meio de seus romances, que aborda questões mais profundas da mentalidade feminina, Lani traz personagens femininas que descobrem a si. Desse modo, as leitoras que acompanham essa jornada são incentivadas a mesma coisa. Com sua escrita intensa, o leitor pode se divertir e ao mesmo tempo descobrir mais sobre interessantes atividades sexuais

Em seu livro “A dívida”, publicado em e-book pela Amazon, a autora e pedagoga Lani Queiroz, apresenta ao leitor uma quebra da mistificação da sexualidade feminina imposta ao longo dos séculos. Primeiro livro da série Turbulência, a obra narra as descobertas românticas da jovem Sofia, que tem muitos sonhos e neles não incluem se apaixonar por um homem frio e implacável, mas dadas as circunstâncias, ela se vê em meio a uma paixão avassaladora e com isso descobre os prazeres da vida e seus desejos sexuais. Já Heitor não procurava por amor, apenas alguém para lhe dê um herdeiro, mas quando ele encontra a protagonista, todos os seus conceitos de mundo são alterados, e ele deixa de ver a mulher como um simples objeto.

Sobre a autoraProfessora e pedagoga, Lani é leitora ávida desde os dez anos de idade e começou a escrever contos e histórias aos treze. Sempre teve o desejo de tornar seus textos públicos e, em 2014, ao postar suas histórias em um site percebeu que a aceitação dos leitores foi além da esperada. Sua primeira obra foi publicada em 2015 e desde então tornou-se uma autora best-seller.

COMPARTILHE:


Confira também:


Siqueira no Senado

Governador Wanderlei Barbosa prestigia posse de Siqueira Campos no Senado

Durante discurso, Wanderlei Barbosa ressaltou a importância história de Siqueira Campos, como líder fundamental na criação do Tocantins.

TJTO

Juíza determina que o Estado e o município de Palmeirópolis forneçam, em 10 dias, remédio contra hanseníase a paciente

O descumprimento da sentença acarretará em multa diária de R$ 1mil (individualizada em R$ 500,00 para cada uma das partes requeridas - Estado e o Município) e limitada a R$ 30mil


Formação

Unitins traz Viviane Mosé para evento de qualificação de professores

Professora há mais de 30 anos, a palestrante é reconhecida nacionalmente pela atuação na área educacional


Luto

Morre a Auditora Fiscal Elizabeth Leda, aos 73 anos

Irmã da também Audiora Fiscal, Ana Maria Leda Barros e tia do vereador Rogério Freitas, Dra Beth no início da implantação do Estado do Tocantins exerceu o cargo de Coordenadora de Recursos Humanos do Estado


Norte do TO

Polícia Civil prende mais um suspeito de participar de homicídio de adolescente em Araguaína


Cidades criativas

Quatro cidades do Brasil concorrem a títulos na Unesco


Grupo Record

Portal R7 ganha novas cores em ação dia e noite da Benegrip


Tocantins

Grupos de Ajuda Mútua dão apoio a dependentes químicos e familiares durante e após recuperação


Reforma

Damaso vota por regra de transição diferenciada para professores e policiais


Influencer

Gabriel Farhat comanda direção artística de novo projeto musical



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira